Lutas

O judô brasileiro é campeão das Américas. Disputando o Campeonato Pan-Americano de Edmonton, no Canadá, a equipe verde-amarela faturou 17 medalhas, sendo nove ouros, sete pratas e um bronze, e se sagrou campeã geral do torneio, que serve como preparação para os Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015, em julho deste ano.

A delegação brasileira estreou bem no Campeonato Pan-Americano de judô, em Edmonton, no Canadá. Nesta sexta-feira, os judocas do Brasil conquistados quatro medalhas de ouro, quatro de prata e uma de bronze.

A judoca Ketleyn Quadros segue se preparando para tentar uma vaga nos Jogos Olímpicos do Rio em 2016. Agora na categoria meio-médio (até 63 kg), a brasiliense estreia, nesta sexta-feira, no Campeonato Pan-Americano de judô em Edmonton, Canadá.

A equipe brasileira enfrentou 14 horas de viagem até a cidade de Edmonton, no Canadá, mas já está na sede do Campeonato Pan-Americano de judô. A delegação nacional, de 18 atletas, chegou à cidade canadense na manhã desta quarta-feira, no horário local, e de noite já encarou uma sessão de treinamento.

A Seleção Brasileira de judô passou os últimos cinco dias treinamento intensamente na cidade Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador (BA). Visando a disputa do Pan-americano da modalidade, a equipe nacional volta a se reunir no dia 21 de abril para embarcar para o Canadá, palco da competição. Rosicléia Campos, técnica da equipe feminina, explicou como foi o período de preparação. 

No último dia de competições do Grand Prix de Samsun, na Turquia, o judoca Rafael Silva disputou a final da categoria peso-pesado contra o tunisiano Faicel Jaballah e acabou derrotado. Contudo, mesmo assim, o brasileiro retomou a liderança do ranking mundial da Federação Internacional de Judô (FIJ), ultrapassando o francês Teddy Riner.

A judoca brasileira Nathália Brígida garantiu a medalha de prata no primeiro dia de disputas do Gramd Prix de Samsun. A jovem atleta foi derrotada na final pela atual vice-campeã mundial, Paula Pareto. Sarah Menezes ficou perto do bronze, mas acabou perdendo para a turca Dilara Lokmanhekim.

Com o objetivo de minimizar a pressão de fatores externos, e evitar a empolgação da torcida, a delegação do judô brasileiro traça um cronograma para se isolar antes e durante os Jogos Olímpicos do Rio-2016. Esporte que mais rendeu medalhas ao Brasil em Olimpíadas, 19 no total, o judô é tido pelo Comitê Olímpico Brasileiro como grande esperança. Não à toa que a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) não vem poupando esforços para prover uma boa estrutura.

A delegação brasileira que irá disputar o Grand Prix de Samsun de judô, na Turquia, realizou o primeiro treino de aclimatação nesta quarta-feira. Os 14 judocas brasileiros chegaram no território turco na última terça-feira.

A 500 dias dos primeiros Jogos Olímpicos em terras brasileiras, a expectativa começa a tomar conta dos atletas e dirigentes das modalidades que disputarão o evento. Alguns esperam que seja um marco para o aumento de incentivo ao esporte no Brasil, e outros, como o armador Marcelinho Huertas, da Seleção masculina de basquete, esperam conquistar bons resultados inéditos diante dos torcedores do país na competição que se inicia no dia 5 de agosto de 2016.

Mais na web