Responsável por sintético promete campo semelhante aos da Uefa

São Paulo , SP
18/01/2020 08:00:33

Em: Escolha do editor, Futebol, Palmeiras

Enquanto o Palmeiras está em pré-temporada nos Estados Unidos, o Allianz Parque sofre modificações para a implementação do gramado sintético. A partir da segunda quinzena de fevereiro, a promessa é de economia com gastos de manutenção e um campo parecido aos utilizados pela Uefa.

Segundo a WTorre, o sistema ser instalado no Allianz Parque é patenteado e desenvolvido exclusivamente para o futebol profissional, além de ter certificação da FIFA, testada por laboratórios da Europa e Estados Unidos credenciados pela mesma entidade.

“Sua concepção é resultado de exaustivos estudos para atender as demandas cada vez mais exigentes do futebol profissional, como, por exemplo, interação da grama com o atleta e interação da bola com a grama. Tudo isso para termos um jogo perfeito, semelhante ao dos gramados naturais dos campos da UEFA”, disse Alessandro Oliveira, diretor presidente da Soccer Grass, empresa responsável pelo campo do Allianz.

O gramado será o Soccer Grass MX Elite 50, fabricado na Holanda, com 50mm de altura e composto por três tipos de fios em formatos e cores diferentes. Cada tufo de grama tem 24 cerdas e é costurado diversas vezes ao tapete, o que impede que o material se solte com o impacto. A drenagem esperada é de 500 mm/h.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

A promessa é que o campo sintético não apresente deficiências após os espetáculos, já que os fios foram desenvolvidos com memória para que sempre estejam na vertical, mesmo após suportar pesos e coberturas. Segundo os responsáveis pela empreitada, o campo estará pronto para o jogo apenas seis horas após a desmontagem do palco.

O preenchimento do gramado será realizado com o Infill TPE. Com formato cilíndrico e oco por dentro, o material facilita a troca de calor e é resistente a radiação solar. O produto é capaz de absorver o choque do jogador com o gramado e retomar a forma original logo após o impacto.

Em média, o novo gramado proporcionará economia de R$ 80 a R$ 100 mil em termos de gastos com energia, uma vez que o campo natural precisava de iluminação artificial diária. Com a garantia de oito anos, a arena não precisará fazer o descarte da grama natural, o que também diminui a produção de resíduo para o meio ambiente.

 




  • fidutifo

    O fato e que so paises de pouca expressao futebolistica possuem estadios com grama artificial, e a maioria sao paises nordicos (Holanda, Dinamarca, Noruega, Russia, Suica, Suecia, etc) com invernos rigorosos e o cuidado com grama natural e extremamente caro. Sao Paulo nao e Fortaleza com pouquissima chuvas e la fica realmente caro manter grama natural. Esta decisao dos diretores do Palmeiras e na verdade uma das maneiras de enfiarem mais dinheiro nos seus bolsos com pouca consideracao aos jogadores. Com nosso verao de temperaturas altissimas os jogadores irao sentir como se estivessem tocando em plastico derretido quando jogarem nesta grama artificial.

    • Chico Guru

      Eu acho que vc nunca jogou futebol em sua vida. A anos eu jogo futebol society em gramados sintéticos, em baixo de um sol escaldante, e nunca me senti derretendo em grama artificial. A única diferença do campo natural para o sintético são os cravos da chuteira, que deverão ser mais baixos devidoao gramado ser mais rentes ao solo, do resto, é praticamente tudo igual

      • fidutifo

        Seo Guru, passe seu joelho com um pouco de forca na grama natural e depois faca o mesmo mas agora na grama artificial. E realmente voce tem razao, o resultado e praticamente igual, ne seo Guru? E como o Lattes falou “o porvir do ignaro destrata a natureza”.

        • Chico Guru

          Se for olhar para esse lado, uma forte pancada no joelho tem o mesmo efeito tanto na grama natural como na artificial hehehe

×
Quer receber notícias do Palmeiras?