Corinthians se posiciona sobre possibilidade de Danilo Avelar voltar a defender o clube

Tiago Salazar - São Paulo,SP

04-09-2021 06:00:41

No dia 23 de junho, o Corinthians decidiu que Danilo Avelar não defenderia mais o clube, apesar do vínculo contratual com vencimento marcado para dezembro de 2022.

A postura da diretoria alvinegra foi motivada por um ato de injúria racial cometido pelo jogador em uma sala de bate-papo de gamers do jogo Counter-Strike. Avelar se referiu a outra pessoa como "filho de rapariga preta".

Nessa sexta-feira, duas hashtags sobre o caso entraram nos Tranding Topcis (assuntos mais comentados) do Twitter: #ForaAvelar e #VoltaAvelar. Torcedores se manifestaram sob a possibilidade da situação do atleta ser reconsiderada internamente.

A Gazeta Esportiva, então, procurou o Corinthians. Por meio de sua assessoria de imprensa, o clube informou que não houve mudança de postura. Tudo segue como ficou definido à época.

Portanto, o Timão continuará dando para Danilo Avelar a condição de concluir sua recuperação física. Mas, sem abrir qualquer possibilidade para o lateral/zagueiro ser reintegrado ao elenco.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Há duas semanas, o presidente Duilio Monteiro Alves comentou o caso durante entrevista exclusiva à TV Gazeta. Relembre:

"Hoje, permanece igual. É bom que a gente deixe claro, como foi colocado por nós na época, não existiu ainda rescisão. Nós não podemos fazer, por conta dele estar em recuperação. Deixamos claro, naquele momento, que ele seguiria sua recuperação e que a gente acharia melhor forma de resolver esse problema. Então, isso está parado, a gente depende do término da recuperação dele para que a gente sente e resolva a melhor forma de fazer essa rescisão. Mas, hoje, a situação é essa e ele continua, e nós temos obrigação de recuperá-lo. É um atleta do clube, se lesionou no clube e a gente tem de deixar ele em plenas condições, para depois conversar sobre a saída dele".

Danilo Avelar está em fase final da recuperação de uma lesão grave. Em outubro do ano passado, ele rompeu o ligamento cruzado do joelho direito durante uma partida contra o Santos.

A legislação protege os atletas nesses casos e obriga os clubes a manterem os vínculos contratuais até que o profissional esteja apto para voltar a jogar.

O Corinthians também não pode demitir Avelar por justa causa, como chegou a ser cogitado nas redes sociais. O clube só poderia se apoiar na Lei caso o jogador fosse condenado pela Justiça Criminal de maneira a perder a própria liberdade.

Sendo assim, se o Corinthians decidir, unilateralmente, quebrar o contrato para se desvincular do atleta, consequentemente terá de arcar com uma multa, que é de aproximadamente R$ 7 milhões.


Além desse problema, o Corinthians sequer terminou de pagar pelo atleta. Em 2019, a diretoria alvinegra acertou a compra de 100% dos direitos econômicos de Avelar junto ao Torino-ITA depois dele defender o time por empréstimo.

A aquisição foi acordada em duas parcelas iguais de 750 mil euros. A primeira foi paga em março, com oito meses de atraso, depois dos italianos procurarem a Fifa. Na ocasião, o valor era equivalente a R$ 5 milhões.

A última parcela ainda está pendente. A princípio, ela tinha vencimento para junho, mas foi postergada. O novo vencimento não foi revelado, mas foi explicado à reportagem que o Corinthians pretende fazer o pagamento na data limite, para não ter a despesa agora.

Desde que se viu envolvido em toda essa polêmica, Danilo Avelar já fez visitas à CUFA (Central Única das Favelas), à Favela do Areião, Guaianases, e também conheceu um time da Taça das Favelas. Ele se propôs a conversar com moradores e líderes de comunidades.

O jogador resolveu não conceder entrevista à imprensa, mas alguns registros destas visitas foram postados nas redes sociais.

Danilo Avelar resolver visitar comunidades carentes e falar com líderes comunitários (Foto: Reprodução Instagram)

Deixe seu comentário