Carille dá bronca em Aguirre após não ser reconhecido no Morumbi

Helder Júnior e Tiago Salazar - São Paulo , SP
25/03/2018 19:16:16 — 25/03/2018 20:38:54

Em: Campeonato Paulista, Corinthians, Escolha do editor, Futebol, São Paulo
Nenê e comandou a festa na frente de Carille, que já tinha se irritado com Aguirre (foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Fábio Carille não se irritou apenas com o atacante Nenê, que comemorou o gol da vitória por 1 a 0 do São Paulo no clássico deste domingo, no Morumbi, diante do banco de reservas do Corinthians. Ao término da partida, o técnico corintiano foi cobrar explicações do colega uruguaio Diego Aguirre.

“Dei uma dura nele, sim. Ele passou na minha frente e não me cumprimentou. Isso me deixou muito chateado”, reclamou Carille, que se enervou ainda mais com a justificativa do treinador do São Paulo. “Sempre protejo a qualidade dos profissionais, sejam de onde forem, e falo que as portas do Brasil estão abertas para todos. E ele teve cara de pau de falar que não me conhecia”, continuou a chiar.

Aguirre tentou minimizar o episódio. Após correr em direção a Carille para se desculpar ao final do jogo, o uruguaio ainda se justificou publicamente. “Foi uma coisa normal. Eu estava focado no jogo, pensando em coisas do jogo. Não estava nem olhando para ele. É verdade que não o reconheci, até porque não estava pensando nisso”, admitiu.

Carille, ainda assim, tratou de se apresentar a Diego Aguirre. “Sou técnico do Corinthians há cem jogos, campeão brasileiro. Ele já trabalhou no Brasil e fala que não me conhece? Fui cobrá-lo mesmo”, insistiu, lembrando que o adversário já comandou Internacional e Atlético-MG.

Para Aguirre, a sua aproximação ao final do clássico já era suficiente para estabelecer um clima amistoso entre técnicos de São Paulo e Corinthians. “Se vocês assistirem a qualquer jogo internacional, verão que os treinadores se cumprimentam quando acaba, dando parabéns. Não vejo nada errado. Como ele talvez não tenha entendido, fui me desculpar, dizendo que não o reconheci. Para mim, termina aí, dentro de campo. Na minha carreira, nunca tive diferença com treinador algum”, citou.

Na quarta-feira, no jogo de volta das semifinais, Carille fará questão de cumprimentar o uruguaio em Itaquera. Em 2018, o técnico adquiriu o hábito de visitar os colegas de times adversários no vestiário visitante e conceder um brinde. Segundo ele, trata-se de uma iniciativa para fortalecer a união da sua classe – o gesto foi elogiado e replicado por Dorival Júnior, antecessor de Aguirre no São Paulo.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

“Falei que o Aguirre veria o tratamento que teria na arena, que daria um presente para ele no vestiário”, afirmou Carille, capaz de arrancar elogios do rival. “O que aconteceu hoje não trará nenhum reflexo ao outro jogo. Ele é um treinador fantástico, um fenômeno, campeão brasileiro. Estou focado no futebol. Não tenho mais nada a falar sobre algo que não existe, que ficou ali”, disse Aguirre.

Nenê
Diego Aguirre não reconheceu também o que fez Fábio Carille se enervar com Nenê. Durante o primeiro tempo, o atacante do São Paulo se desentendeu com o comandante do Corinthians por ter sido acusado de falta de fair play ao não devolver a posse de bola após o veterano Emerson Sheik receber atendimento médico. Pouco antes do intervalo, marcou um gol e festejou na frente do banco de reservas visitante.

“Não sei o que houve ali. O Nenê também teve um problema com o treinador, mas não entendi bem”, esquivou-se Aguirre, que teve uma conversa com o jogador logo após o entrevero. “Falei de coisas do jogo, sobre pressionar a bola, sobre futebol”, alegou.




×
Quer receber notícias do Corinthians?