Relembre as contratações mais caras dos grandes de São Paulo na década passada – poucos vingaram

São Paulo, SP

26-05-2020 15:24:09

Com a década chegando ao fim, chegou a hora de relembrar quais foram as contratações mais caras dos grandes paulistas nos anos 10. Na maior parte dos casos, essa lista é a mesma das maiores contratações da história dos clubes, a exceção do Corinthians, que tem em seu ranking histórico muitos jogadores comprados em 2005 em parceria com a MSI. Raul Barbosa, analista de esportes no GUIA55, aponta que a inflação nos valores dos jogadores foi muito grande na década, o que explica esse fenômeno – e traz alguns valores inexplicáveis comparados ao desempenho dos atletas.

São Paulo

Não dá para afirmar veementemente que as maiores contratações do São Paulo deram certo, mas quando comparadas às dos outros grandes paulistas, chegam a ser aceitáveis, com valores menores e jogadores que mostraram alguma regularidade.

Pablo – R$26,5 milhões: sua passagem está sendo prejudicada por muitas lesões, mas a torcida ainda espera que o atacante recupere o bom futebol, justificando o investimento.

Ganso – R$23,9 milhões: Ganso teve muitos altos e baixos no São Paulo, em uma irregularidade típica do jogador. Foram 229 partidas, com 24 gols e 49 assistências.

Lucas Pratto – R$23,9 milhões: não chegou nem perto do jogador que surpreendeu o Brasil jogando pelo Atlético-MG. Pratto marcou 14 gols pelo Tricolor, e saiu pouco tempo depois para o River Plate.

Maicon – R$22,1 milhões: como a negociação envolveu outros fatores, incluindo jogadores, e a porcentagem adquirida foi baixa, em valores reais essa pode ter sido a contratação mais cara do clube. O zagueiro estava emprestado e tinha ajudado o Tricolor a chegar longe na Libertadores, mas depois de contratado não foi tão bem, sendo expulso na semifinal da competição.

Palmeiras

Na lista do Palmeiras, pelo menos uma das contratações foi indiscutivelmente certeira e rendeu ótimos frutos ao clube. As outras três, porém, passaram longe do sucesso.

Borja – R$33 milhões: foram 103 partidas e 35 gols pelo Verdão. Porém, a expectativa criada em cima do jogador, por conta de seu passado e do valor gasto, não foi correspondida.

Carlos Eduardo – R$25,2 milhões: o Palmeiras pagou muito pelo atacante, mas as atuações foram bem abaixo do esperado. Após um ano no clube, foi emprestado ao Athletico.

Dudu – R$18,7 milhões: entre todas as contratações dessas listas, Dudu foi a mais certeira. Os valores não foram exorbitantes, mas o jogador se tornou ídolo da torcida e levou o clube a alguns títulos, sendo inclusive premiado como melhor jogador do Brasileirão.

Deyverson – R$18,5 milhões: apesar de fazer os seus golzinhos, Deyverson irritou muito a torcida com seus passes errados e atitudes completamente sem sentido dentro de campo. Sua saída causou comemoração.

Corinthians

Na lista dos jogadores mais caros da década no Corinthians, há dois fracassos gigantescos e dois que ainda podem provar o seu valor. O curioso é que em uma década muito vitoriosa e recheada de ídolos, nenhum dos jogadores mais caros rendeu o esperado.

Alexandre Pato – R$45 milhões: mesmo tendo um bom início, a passagem de Pato pelo Timão foi desastrosa. Gols perdidos, atitudes desrespeitosas e provocações à torcida fizeram dele um dos jogadores mais odiados pelos corintianos.

Luan – R$22,7 milhões: com o futebol parado, ainda não é possível julgar a contratação. Até agora, foi bem nas partidas mais decisivas, mas pecou na regularidade.

Angelo Araos – 17 milhões: veio com o status de ser a maior promessa do futebol chileno. No Corinthians, porém, ainda não teve o seu posicionamento “descoberto” por nenhum dos técnicos. O torcedor já está perdendo a paciência, mas os seus bons lances quando atua pelo Chile ainda trazem esperanças.

Giovanni Augusto – R$15 milhões: a contratação mais cara de um pacote fracassado, que também contou com Marquinhos Gabriel, Marlone e Guilherme. A expectativa era repor a altura o time de 2015, desmanchado pelo futebol chinês, mas nenhum rendeu em campo e todos acabaram sendo emprestados diversas vezes.

Santos

Na lista do Santos, nenhum dos jogadores rendeu em campo. Para piorar, ainda deixaram um grande prejuízo financeiro, muitos processos, polêmicas e lembranças que mexem com os nervos de qualquer torcedor.

Leandro Damião – R$41,6 milhões: o Santos investiu pesado em Leandro Damião, em parceria com um fundo de investimentos. Os efeitos da contratação duraram muito tempo, mas não como a torcida esperava. Cinco anos depois, quando o contrato se encerrou, o Santos ainda enfrentava processos milionários que causaram um prejuízo histórico. Damião fez apenas 11 gols.

Cueva – R$26 milhões: 16 partidas, nenhum gol, nenhuma assistência. Depois disso, uma rescisão contratual polêmica e a saída de graça, mesmo antes de o Santos terminar de pagar o peruano. Para piorar, a dívida era em dólar, fazendo com que o valor da contratação aumentasse quase R$4 milhões.

Montillo – R$16,2 milhões: a contratação do argentino, que veio do Cruzeiro, foi bem confusa e envolveu muitos fatores. Logo, os valores reais podem até superar os gastos com Cueva. Ele não foi mal no clube, mas foi prejudicado por lesões. Pelo menos nesse caso, o Santos não levou tanto prejuízo, já que o vendeu ao futebol chinês por R$24 milhões.

Felipe Aguilar – R$15 milhões: o zagueiro veio ano passado do Atlético Nacional (COL) e gerou muita expectativa no torcedor. Porém, enfrentou a concorrência de Gustavo Henrique e Lucas Veríssimo, que formaram uma ótima dupla. Com isso, acabou não tendo espaço e saiu para o Athletico – naquela que se tornou a contratação mais cara do clube paranaense.

Deixe seu comentário