Caso de violência sexual volta à tona, e Cuca diz: "Preciso dar um basta nisso"

São Paulo, SP

02-03-2021 22:25:11

O técnico Cuca falou sobre um assunto praticamente proibido nos últimos anos: a denúncia de violência sexual em Berna, na Suíça, no ano de 1987.

Em entrevista ao UOL, o treinador se diz inocente. Ele gravou um vídeo ao lado de sua esposa e filhas. O caso voltou à tona quando a torcida do Atlético-MG fez campanha nos últimos dias contra a chegada de Cuca e relembrou o ocorrido.

Foi uma excursão do elenco do Grêmio em 1987. Na ocasião, Cuca, o ex-goleiro Eduardo, o ex-zagueiro Henrique e o ex-atacante Fernando foram detidos em um hotel da Suíça sob a acusação de violência sexual contra uma adolescente de 13 anos. Os quatro ficaram quase um mês detidos. Eles foram condenados à revelia a 15 meses de prisão e a pena prescreveu.

"Eu preciso dar um basta nisso. Claro que essa história me incomoda demais. Não posso virar bandido depois de 34 anos. Não fui julgado e culpado. Fui julgado à revelia, não estava mais no Grêmio quando houve esse julgamento com os outros rapazes. É uma coisa que eu tenho uma lembrança muito vaga, até porque não houve nada. Não houve estupro como falam, como dizem as coisas. Houve uma condenação por ter uma menor adentrando o quarto. Simplesmente isso. Não houve abuso sexual, [não houve] tentativa de abuso ou coisa assim", disse Cuca.

"Sou uma pessoa do bem, vivo numa família de mulheres, 90% da minha família são mulheres! Esse episódio de 1987 precisa ser explicado. Eu estava no Grêmio havia duas ou três semanas apenas, não conhecia ninguém. Eu jamais toquei numa mulher indevidamente ou inadequadamente. Sou um cara de cabeça e consciência tranquila. Tenho a consciência tranquila", completou.

Cuca está perto de substituir Jorge Sampaoli no Atlético-MG após o trabalho no Santos. Ele tem 57 anos.

Deixe seu comentário