Futebol/Desafio ao Galo

Artilheiro do Desafio ao Galo rodou por clubes paulistas e faz faculdade

Enrico Liberatori* - São Paulo , SP
29/06/2019 08:00:10

Em: Campeonato Copa Paulista, Campeonato Paulista A2, Campeonato Paulista A3, Futebol, Juventus (Mooca), São Caetano, TV Gazeta
Jorge Mauá é atacante do Napoli, invicto após cinco jogos (Foto: Jonathan Paixão/Divulgação)

O Napoli começou o Desafio ao Galo de 2019 com tudo. O time da Vila Industrial, bairro da Zona Leste de São Paulo, demonstrou o melhor futebol da competição, venceu os cinco primeiros que disputou e se classificou para o Super Galo, a fase final.

Um dos grandes responsáveis pelo desempenho do Napoli é Jorge do Vale de Araújo, mais conhecido como Jorge Mauá. O atacante é o artilheiro do Desafio ao Galo com nove gols, mesmo número que estampa sua camisa. Na última partida, vitória por 2 a 1 sobre o Nove de Julho, o centroavante marcou de bicicleta (veja aos 31 minutos do vídeo ao final da matéria).

“Esse momento bom é fruto de um trabalho. Não é sorte. Eu treino todo dia da semana, estou me dedicando, faço condicionamento, treino físico e tudo para chegar bem no final de semana”, disse o artilheiro em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

“Meu pai falava do Desafio ao Galo, e hoje eu posso jogar por uma excelente equipe. Com essa cobertura da TV Gazeta, todo o país está vendo os jogos aos domingos. Pessoal do Nordeste me liga falando que assistiu. Isso é bacana”.

Jorge Mauá não é nenhum garoto. O centroavante tem 32 anos de idade e teve uma carreira de quase seis anos no futebol profissional, passando por vários clubes de divisões inferiores de São Paulo. Nacional, Taubaté. Juventus, São Caetano e Noroeste fizeram parte de sua carreira.

No entanto, Jorge Mauá fez seu nome na várzea, onde teve mais sucesso. Em 2013, inclusive, o atacante foi campeão da tradicional Copa Kaiser, um dos principais torneios de futebol amador do Brasil, pelo Leões da Geolândia, da Zona Norte paulistana.

“A várzea tem uma valorização boa. Dá pra ganhar um dinheirinho que no profissional a gente não ganha. Às vezes eles contratam por um valor alto, mas atrasam. E a várzea, às vezes, dá mais visibilidade do que o profissional para quem quer o futebol raiz”, disse o atacante.

Além de ser figurinha carimbada no futebol de várzea, Jorge Mauá também é estudante. O artilheiro do Desafio ao Galo interrompeu a carreira profissional em 2018 justamente para retomar o curso de Educação Física, que trancou a três semestres do final.

Quando se formar, Mauá não sabe se vai ser jogador profissional novamente – mas a permanência na várzea é certa. “Quando eu terminar a faculdade, eu pretendo trabalhar com a terceira idade e com escolinhas. Eu não sei se vou querer voltar para o profissional, mas na várzea eu vou continuar!”, garantiu o artilheiro.

*Especial para a Gazeta Esportiva