Eliminação deixa diretoria em alerta com antigos problemas

Gazeta Press - Rio de Janeiro,RJ

24-03-2016 13:31:55

O Flamengo nunca escondeu o objetivo de disputar o título da Primeira Liga, mas quando a escalação do time que enfrentaria o Atlético-PR foi anunciada, os torcedores não entenderam uma formação mesclando reservas e titulares. O resultado acabou não sendo o esperado e o Rubro-Negro foi derrotado por 1 a 0 pelo Furacão, despedindo-se do sonho de conquistar o caneco.

Após a partida, alguns jogadores chegaram a comemorar a eliminação por conta do longo desgaste sofrido logo no começo do ano. O técnico Muricy Ramalho mais uma vez responsabilizou o cansaço. Já a diretoria, antecipando as críticas, lembrou que o time está tendo que atuar em várias cidades porque os principais estádios do Rio de Janeiro (RJ), Maracanã e Engenhão, estão entregues aos organizadores dos Jogos Olímpicos de 2016.

O diretor-executivo do departamento de futebol, Rodrigo Caetano, reconheceu que as constantes viagens prejudicam o elenco e admite que os dirigentes estão em estado de alerta para que esse problema não venha a servir de justificativa para outros maus resultados. Mas, por suas palavras, deixa evidente que uma solução ainda não foi colocada sobre a mesa, apesar das constantes cobranças de Muricy.

"Infelizmente estamos enfrentando esse problema em um ano no qual estamos projetando um bom desempenho em todas as competições, inclusive o Campeonato Brasileiro. Sabemos que em algumas ocasiões realmente vamos precisar levar em consideração e priorizar o aspecto técnico, ter um bom gramado. Vamos talvez ter que recuperar isso em clássicos fora do Rio de Janeiro. Peço apenas que a torcida nos dê apoio independentemente da praça que estivermos jogando. Esse componente desgaste é apenas mais um, mas temos que reagir", disse Rodrigo.

Nos bastidores da Gávea, alguns dirigentes já dão sinais de incômodo com as cobranças de Muricy Ramalho e com a falta de tato do treinador em lidar com a falta de um estádio. O treinador, porém, mais uma vez responsabilizou o cansaço pela eliminação, já que teve que escalar um time misto.

"Tive que fazer o correto e não colocar em campo um time sem condições físicas. Tenho que respeitar os atletas. Aqui não é a coisa do acho ou você acha. Seguimos exames que deixam evidentes os riscos de lesão", disse Muricy, que já antecipou que vai manter o rodízio na partida do próximo domingo, às 18h30 (de Brasília), contra o Volta Redonda no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ), pela terceira rodada da Taça Guanabara.

Para este duelo, o treinador segue sem poder utilizar o volante colombiano Gustavo Cuéllar e o atacante peruano Paolo Guerrero, ambos servindo as suas respectivas seleções nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Nesta sexta-feira, o time treina na parte da tarde e em seguida viaja para a Cidade do Aço.

Deixe seu comentário