Gazeta Esportiva

Vítor Pereira reconhece Corinthians mal contra América e explica ausência de Cantillo

São Paulo, SP

18/09/22 | 21:11 - 18/09/22 | 21:13

O técnico Vítor Pereira não gostou do que viu na noite deste domingo, na derrota do Corinthians para o América-MG por 1 a 0, no estádio Independência. Ainda assim, ele acredita que o resultado, conquistado em jogo válido pela 27ª rodada do Brasileirão, foi justo.

"O primeiro tempo do jogo não conseguimos controlar, o adversário foi mais forte, não conseguimos ter bola, pressionar e tivemos muitas dificuldades. Portanto, fomos para o intervalo no 0 a 0, o que não espelhou o que aconteceu, nós não estivemos ao nosso nível”, iniciou o treinador na coletiva de imprensa.

"Na segunda parte, fizemos alterações, equilibramos o jogo, não vou falar que foi bem-jogada, mas mais equilibrada. Acabamos por sofrer um gol, não sei, numa sequência de situações que não poderiam acontecer e aconteceram. Isso é reflexo do que fizemos no jogo", complementou.

VEJA MAIS:

Cássio explica escalação do Corinthians e afirma que Brasileirão também é foco do time
Raul leva amarelo em retorno e vira desfalque contra o Atlético-GO

VP também falou sobre suas escolhas na escalação. Segundo ele, por conta do alto desgaste contra o Fluminense, na última quinta, pela semifinal da Copa do Brasil, foi preciso poupar a maioria dos atletas.

"Há três dias, tivemos um jogo com uma exigência muito grande, tivemos que preservar vários jogadores, porque senão corremos riscos muito grandes e não fomos capazes de dar resposta ao jogo e sair com uma vitória", falou.

Ainda assim, o meio-campista Cantillo sequer viajou para Belo Horizonte. Questionado, o técnico foi sincero: o jogador precisa voltar a se entregar nos treinos e competir pelo seu espaço.

"Sabe por que o Cantillo não veio? Tive uma conversa com ele. Tem que melhorar o seu comportamento e entrega, tem que ser mais competitivo, lutar pelo seu espaço. Se ele lutar pelo seu espaço, for mais competitivo no treino, melhorar os índices físicos, terá mais oportunidade, mas tem que voltar a competir", revelou.

Agora, o técnico terá dez dias para trabalhar com seu elenco, já que o próximo compromisso do Timão é só no dia 28 de setembro, contra o Atlético-GO, na Neo Química Arena, às 19h (de Brasília).


Veja abaixo outros trechos da coletiva:

Planejamento para os próximos dez dias

“Primeiro vamos descansar e, depois, vamos trabalhar em cima dos comportamentos que precisamos trabalhar e melhorar”.

Fora de casa

“Nós temos tido alguma facilidade quando há um jogo desta importância que foi da quinta-feira. Normalmente, o jogo seguinte é sempre fora. Nós não podemos apresentar, porque não estamos em condição de apresentar todos os jogadores frescos após os jogos. Isso aconteceu aqui, no Ceará, contra o Fluminense. Se o jogo fosse em casa, poderíamos, eventualmente, sermos mais competitivos. Hoje, o que posso dizer, é que o primeiro tempo foi mal. Do meu ponto de vista equilibramos, mas deu um gol para o América em um erro que cometemos. Se fizéssemos aqui um ponto hoje não seria ruim pelo que apresentamos”.

Barriga cheia?

“Não é uma questão de ambição. Temos que ser realistas. Hoje não foi a mesma equipe que jogou contra o Fluminense, não pudemos apresentar a mesma equipe, porque muitos dos jogadores estão fatigados e com risco de lesão. Alguns com desconforto muscular, portanto, temos que ter cuidado. Esta é a nossa realidade, temos que estar preparados para isso”.

Maycon

“O Maycon já começou a correr, bater na bola, portanto, já está no tempo. Vamos ver esses dias, temos esses dias para tentar melhorar a condição física dele. Espero poder contar com ele”.

Deixe seu comentário