COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

O técnico Jorge Sampaoli não escondeu sua decepção com a atuação da Argentina contra a Croácia, nesta quinta-feira, em Nzhny Novgorod, que complicou a situação dos hermanos no Grupo D da Copa do Mundo. Depois da derrota por 3 a 0, o treinador buscou defender o goleiro Caballero, que falhou feio no primeiro gol croata, mas admitiu que o time não soube superar esse tento no restante da partida.

“Eu sou responsável por tomar as decisões, não é humano culpar Caballero. Eu estava muito esperançoso e tenho muita dor por causa da derrota, eu provavelmente não li o jogo corretamente”, comentou o comandante, antes de deixar claro que a tentativa do arqueiro em encobrir Rebic, que chutou de primeira e aproveitou com louvor o erro do rival, foi decisiva.

“Depois do primeiro gol o time sentiu muito. No segundo tempo nós tentamos colocara jogadores para tentar reverter a situação, mas não fomos capazes”, continuou Sampaoli, de olho no resultado de Islândia e Nigéria, nesta sexta-feira, às 12h (de Brasília), que definirá qual será a missão argentina na última rodada, terça-feira, contra os africanos.

“Como piloto, não encontrei o melhor time para acompanhar Messi. O plano de jogo não funcionou, temos que esperar o jogo de amanhã (sexta-feira) e apostar na mínima chance que resta. Estávamos muito empolgados antes do jogo para obter a qualificação, este resultado nos afastou, sentimos que seria um jogo de decolagem e não foi”, concluiu.

A depender do que acontecer no embate, os comandados de Jorge Sampaoli precisam derrotar os africanos às 15h (de Brasília) da terça-feira, em São Petersburgo, e torcer para que os croatas ao menos arranquem pontos dos islandeses. Atualmente, o saldo de gols (-3) é outro agravante da situação frente a Islândia (0) e Nigéria (-2).



Pouco depois de derrotar a Argentina por 3 a 0 e assegurar a classificação da Croácia para a próxima fase da Copa do Mundo, o técnico da equipe europeia, Delic Zlatko, deu outro motivo para os sul-americanos temerem a queda na fase de grupos do Mundial. Em entrevista coletiva, ele assegurou que vai poupar jogadores na partida contra a Islândia, a última da chave, na próxima terça-feira.

“Sim, com certeza (darei)”, disse Zlatko ao ser questionado sobre a rara possibilidade de dar descanso ao elenco em meio ao torneio. Para ele, os croatas fizeram por merecer isso ao derrotarem tanto argentinos quanto nigerianos, na primeira rodada. “Jogamos uma boa partida, tivemos alguns erros, mas não é hora de falar sobre isso. Corrigiremos depois”, assegurou.

As palavras do comandante croata fazem parecer ainda mais difícil a missão dos hermanos na busca pela classificação. Com apenas um ponto conquistado no Grupo D, o time espera Islândia, com um, e Nigéria, zerada, enfrentarem-se às 12h (de Brasília) desta sexta-feira, em Volgogrado.

A depender do que acontecer no embate, os comandados de Jorge Sampaoli precisam derrotar os africanos às 15h (de Brasília) da terça-feira, em São Petersburgo, e torcer para que os croatas ao menos arranquem pontos dos islandeses. Atualmente, o saldo de gols (-3) é outro agravante da situação frente a Islândia (0) e Nigéria (-2).

“Nós atingimos o nosso primeiro objetivo, agora vamos descansar bem e estar bem preparados para o nosso próximo desafio. Não ganhamos nada ainda, precisamos nos manter concentrados para chegar em grande nível às oitavas de final”, avaliou Modric, que simplificou o caminho encontrado para o triunfo.

“Quando a Argentina teve a bola a gente conseguiu cortar as linhas de passe para o Messi, o principal jogador deles, e não deixamos que ele criasse os lances. Perdemos três chances claras de abrir o placar, mas conseguimos no começo do segundo tempo e ainda fizemos dois belos gols para fechar”, concluiu.



Como era de se imaginar, a derrota por 3 a 0 sofrida pela Argentina diante da Croácia nesta quinta-feira já está repercutindo na imprensa do país. A partida, válida pela segunda rodada da fase de grupos do Mundial, complicada bastante a situação da albiceleste, que apenas empatou com a Islândia na estreia.

Famoso por suas ironias, o diário Olé estampa sua capa com a manchete “Caballeros de la angustia” (cavalheiros da angústia, em tradução literal), fazendo um trocadilho com o nome do goleiro Caballero, que falhou no primeiro gol dos croatas.

Capa do portal argentino Diário Olé (Foto: Reprodução)

Com “A caída argentina”, outro famoso jornal argentino, o Clarín, estampou a capa de seu portal com a chamada : Argentina sofre golpe duríssimo diante da Croácia e está quase fora do Mundial”, com uma foto de Lionel Messi com as mãos na cabeça, desolado.

O portal ainda trouxe “o que necessita a Argentina para seguir” na Copa, a repercussão mundial da derrota, com memes, além de bastidores de Messi e lances importantes do jogo.

 

Capa do portal argentino Clarín (Foto: Reprodução)

Por fim, mais um veículo de tradição no país hermano, o La Nacion, definiu o resultado como “golpe demolidor” e diz que a sequência na Copa do Mundo foi colocada em xeque, também com uma imagem de Messi, desta vez de costas, com as mãos na cintura e olhando para baixo.

Ainda acrescentou na chamada de seu portal: “Uma derrota que expôs o pior da seleção argentina e deixou-a à beira do abismo”.

Capa do portal argentino La Nacion (Foto: Reprodução)

A Argentina volta a campo na próxima terça-feira, quando enfrenta a Nigéria pela última rodada do Grupo D. A bola rola às 15h (de Brasília) em São Petersburgo, mesmo horário de Croácia e Islândia, que acontece em Rostov. O time de Sampaoli tem apenas um ponto somado e segue com chances de classificação, enquanto os croatas já estão garantidos nas oitavas de final.



O Irã tem chances de chegar às oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia, mas a maior vitória do time asiático neste Mundial pode acontecer fora de campo. Tocado pela presença feminina na derrota para a Espanha, o capitão Masoud Sojaei defendeu a presença das mulheres nos estádios também em sua terra natal.

“Eu também gosto de ver as mulheres iranianas nos estádios. O que aconteceu ontem foi um grande passo para a liberação das mulheres nos estádios”, afirmou o capitão de sua seleção.

As mulheres não podem frequentar arenas esportivas desde a Revolução Iraniana, em 1979. Antes da Copa do Mundo, o presidente da Fifa, Gianni Infatino, afirmou ter recebido garantias do governo local de que essa proibição seria revogada.

A ideia era permitir a entrada da torcida feminina já no duelo de estreia da seleção da casa, contra o Marrocos, na sexta-feira passada, mas a autorização necessária do Conselho Provincial de Teerã não chegou a tempo.

Torcedores se mobilizaram para que as iranianas passem a frequentar estádios em seu país. Como forma de suporte, também foi criado um abaixo assinado por Maryam Qashqaei para pressionar o presidente da FIFA Gianni Infantino a tomar alguma providência em relação a não participação de iranianas nos estádios.

Uma parte da descrição do abaixo-assinado diz que o maior estádio do Irã é chamado de Azadi, que significa “liberdade”, o que não faz sentido já que ele não pode receber mulheres. Até terça-feira (19/06), petição já tinha recebido mais de 63 mil assinaturas e tem como meta 75 mil.



Recuperado de lesão na coxa direita, corintiano estará em ação na segunda rodada (foto: Pedro Martins/Mowa Press)

O lateral direito Fagner será a única novidade da formação brasileira contra a Costa Rica, às 9 horas (de Brasília) desta sexta-feira, em São Petersburgo. Não por vontade do técnico Tite. Danilo acusou uma contusão muscular na região direita do quadril e acabou vetado pelo departamento médico após passar por exames.

Antes do Mundial, a intenção de Tite não era contar com Danilo nem com Fanger como titular da posição. O veterano Daniel Alves sofreu uma lesão ligamentar no joelho direito às vésperas da convocação, defendendo o Paris Saint-Germain na final da Copa da França, e não pôde ser chamado pelo treinador.

Fagner saiu atrás na disputa com Danilo porque também estava em recuperação de uma contusão, muscular na coxa direita, durante a preparação da Seleção Brasileira.

Conhecido de Tite dos tempos de Corinthians, Fagner atuou na Seleção Brasileira sob o comando do técnico tanto quanto Danilo. Cada um esteve quatro vezes em ação, contra 14 de Daniel Alves.

O restante da escalação do Brasil será o mesmo do empate por 1 a 1 com a Suíça, pela primeira rodada do grupo E do Mundial. Confira o time: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Willian, Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus.



Luka Modric merecia que o título dessa nota mudasse de “cara” para “craque”. Essa é a melhor definição para o meio-campista da Croácia e do Real Madrid, o melhor jogador da imponente vitória por 3 a 0 da sua seleção sobre a Argentina, na tarde desta quinta-feira, em Nizhny Novgorod. Líder, o capitão da equipe não só dominou Messi no principal duelo do dia como arranjou tempo para fazer um lindo gol.

O encontro entre ele, camisa 10 no Real, e Messi, camisa 10 no Barcelona, concentrou as expectativas antes da partida. Com a bola rolando, após um forte abraço no rival, Modric viu que era o momento para demonstrar toda a sua capacidade de marcação e armação. Messi, um gênio já estabelecido entre os maiores da história do esporte, não foi páreo para a implacável presença do rival, bastante auxiliado por Rakitic.

Depois de segurar o jogo no primeiro tempo, Modric viu Caballero dar o primeiro gol de presente para Rebic, no começo da etapa final, facilitando seu trabalho. Dominante, o capitão conseguiu controlar o ritmo da partida, evitando uma pressão intensa da habilidosa, porém desorganizada equipe da Argentina. Aos 35 minutos, viu que era o momento de decidir.

Após roubada de bola no meio-campo, Rakitic levou a bola pela esquerda e demorou a perceber, mas Modric estava livre na entrada da área. Depois de tanto pedir, o craque recebeu de frente para Otamendi, mostrando calma para esperar uma ultrapassagem pela direita e outra pela esquerda. Com tantas opções, ele não teve dúvida: escolheu cortar para a direita, chutar forte no canto e fazer um golaço.

A alegria na comemoração do meia, muitas vezes com uma aparente frieza para lidar com as emoções do jogo, fechou com chave de ouro sua apresentação de gala. Agora classificado para a próxima fase da competição, repetindo um feito conquistado apenas pela histórica geração de 1998, Modric terá alguns dias de descanso para continuar a dar seu show pelos campos russos.




A Croácia garantiu sua vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo, nesta quinta-feira, ao vencer a Argentina por 3 a 0. Apesar da equipe de Jorge Sampaoli ter ficado mais com a bola ao longo dos 90 minutos, os europeus foram fatais quando foram ao ataque e finalizaram muito mais do que os seus adversários.

A Albiceleste ficou com a bola 58% do tempo e trocou exatamente 500 passes na partida, completando 393 e acertando 393. Por sua vez, os croatas tiveram 42% de posso e 394 passes realizados, 291 certos.

Mesmo tendo adotado uma postura mais defensiva, a Croácia não ficou retrancada e conseguiu dar 15 arremates. Desses chutes, seis foram para fora do alvo e cinco no gol. O impressionante é que 60% das finalizações certas na meta defendida por Caballero resultaram em gols.

Os argentinos também conseguiram criar um bom número de chutes no confronto, entretanto não teve precisão. Dos dez arremates, apenas três acertaram o alvo e outros três foram para fora da meta. Os outros quatro foram bloqueados pela defesa do time de Zlatko Dalic.

Em termos defensivos, as duas equipes tiveram números similares de bolas recuperadas (36 a 35 para os europeus). Já na questão disciplinar, os croatas fizeram 32 faltas e receberam quatro amarelos contra 15 faltas e três amarelos dos hermanos.