COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

A Argentina ficou mais distante das oitavas de final na tarde desta quinta-feira. Mostrando uma equipe com os mesmo problemas da estreia, apesar das três mudanças de Jorge Sampaoli no time titular, Messi e companhia viram o goleiro Caballero entregar um gol para Rebic, no começo do segundo tempo, e sucumbiram com o bom futebol do adversário. Liderados pelos ótimos Modric, autor do segundo gol, e Rakitic, autor do terceiro, os croatas dispararam 3 a 0 em Nizhny Novgorod.

O triunfo com autoridade dos croatas classificou a equipe para as oitavas de final da Copa do Mundo pela primeira vez desde a histórica campanha de 1998, quando caíram nas semifinais para a anfitriã França. O time dos Balcãs tem seis pontos conquistados enquanto a Argentina tem apenas um. Islândia, com um, e Nigéria, zerada, enfrentam-se às 12h (de Brasília) desta sexta-feira, em Volgogrado.

Na próxima rodada, a última da chave, os europeus cumprem tabela diante da Islândia enquanto os sul-americanos tentam evitar um vexame contra a Nigéria, ambos às 15h (de Brasília) da terça-feira. A única certeza é que, para passar de fase, os argentinos precisarão ganhar dos africanos.

Croácia assusta e Argentina perde chance

O primeiro tempo começou em alta velocidade, com os croatas pressionando a saída de bola e quase abrindo o placar aos quatro minutos de bola rolando. Perisic recebeu pela esquerda, invadiu a área com certa liberdade e chutou cruzado, exigindo a primeira grande intervenção de Caballero na Copa do Mundo para que o placar não fosse aberto tão rapidamente.

Depois de dez minutos sofrendo para criar oportunidades, os hermanos conseguiram uma oportunidade muito boa em bola rebatida na entrada da área, quando Meza tocou por cima da zaga para Messi, que não alcançou a bola por alguns centímetros, já dentro da pequena área.

Aparentemente mais ambientada com o novo esquema e menos nervosa pela possibilidade de complicar sua classificação, a seleção-sul-americana quase abriu o placar em uma escapada de Acuña. O canhoto brigou pela bola com Vrsaljko e conseguiu roubá-la dentro da área, chutando em cima de Subasic. Na sobra, porém, Enzo Pérez, mesmo sem marcação, chutou para fora, sem goleiro.

O jogo começou a ficar um pouco mais nervoso, com faltas fortes pelos dois lados. O único punido, porém, foi Rebic, por solada em Salvio. Antes do intervalo, outras duas boas chances croatas desperdiçadas: Primeiro Mandzukic, livre dentro da área, escolheu o canto mais difícil e cabeceou para fora. Depois Rebic, em contra-ataque, recebeu de Rakitic e, após limpar Mercado, chutou por cima do gol.

Caballero entrega e Argentina sucumbe

A Argentina voltou para o segundo tempo com a mesma proposta de jogo, apostando em uma escapada de Messi ou Aguero na frente, mas viu seu plano sucumbir antes dos dez minutos. Os tranquilos croatas lançaram uma bola longa, Mercado tomou a frente de Rebic e recuou para Caballero. O goleiro tentou devolver de primeira, por cima do atacante, mas pegou mal na bola e viu Rebic, sem deixá-la cair, abrir o placar.

O gol desmontou a estratégia argentina e fez com que Sampaoli passasse a usar todas as alternativas disponíveis no seu banco de reservas. O primeiro a entrar foi Higuaín, que quase deu passe para gol de Meza, mas Subasic fez a defesa. No rebote, o atleta do Independiente ajeitou para Messi chegar chutando, mas Rakitic, preciso, conseguiu travar a jogada.

O treinador ainda tentou com Pavón e Dybala, mas a exposição da defesa pagou seu preço. Após perda de bola no meio-campo, Modric ficou muito tempo livre na entrada da área e, após certa demora de Rakitic, recebeu. O craque do Real Madrid cortou a marcação duas vezes e abriu espaço para, de direita, acertar o canto direito de Caballero e ampliar a vantagem.

Os argentinos ainda ameaçaram em boa jogada de Dybala, driblando dois adversários e travado em cima da hora por Lovren. Quem ficou mais perto do gol, no entanto, foi mesmo a Croácia. Rakitic, que foi bastante frio ao ignorar chute de Otamendi quando estava caído e não cair na provocação do rival, primeiro acertou o travessão em cobrança de falta. Depois, nos acréscimos, sem goleiro, fechou o placar.

FICHA TÉCNICA
ARGENTINA 0 X 3 CROÁCIA

Local: Estádio Nizhny Novgorod, em Nizhegorodskaya (Rússia)
Data: 21 de junho de 2018 (Quinta-feira)
Horário: 15h(de Brasília)
Árbitro: Ravshan Irmatov (Uzbequistão)
Assistentes: Abduxam Rasulov (Uzbequistão) e Jakhongir Saidov (Uzbequistão)
Cartões amarelos: Mercado, Otamendi e Acuña (Argentina); Rebic, Mandzukic, Vrsaljko e Brozovic (Croácia)
Gols:
CROÁCIA: Rebic, aos oito, Modric, aos 35, e Rakitic, aos 46 minutos do segundo tempo

ARGENTINA: Caballero; Mercado, Otamendi e Tagliafico; Salvio (Pavón), Mascherano, Pérez (Dybala), Acuña e Messi; Meza e Agüero (Higuaín)
Técnico: Jorge Sampaoli

CROÁCIA: Subasic, Vrsaljko, Lovren, Vida e Strinic; Rakitic, Modric, Perisic (Kovacic), Rebic (Kramaric) e Brozovic; Mario Manzukic (Corluka)
Técnico: Delic Zlatko



O jovem Kylian Mbappé realizou um sonho durante a tarde desta quinta-feira. Aos 19 anos, o atacante da França marcou o seu primeiro gol na Copa do Mundo e se tornou o herói da vitória por 1 a 0 sobre o Peru, em Ecaterimburgo.

Mostrando oportunismo, o companheiro de Neymar no Paris Saint-Germain aproveitou sobra do chute de Olivier Giroud para empurrar para o gol e se tornar o francês mais jovem a balançar as redes em Mundiais, feito que garantiu os “Bleus” nas oitavas de final da edição russa do torneio.

“Eu sempre disse que marcar na Copa do Mundo era um sonho para qualquer jogador de futebol. Está se tornando realidade, espero que faça mais”, vislumbrou o atleta, após o duelo com os peruanos.

Apesar da idade, Mbappé se solidariza com a seleção e se dispõe a ajudar até na defesa, como ocorreu no segundo tempo contra o Peru, quando precisou recompor a marcação no momento de pressão do adversário.

“Se a equipe precisar, vou me sacrificar em algum momento para ajudar a equipe. Nos períodos em que estávamos mais recuados no campo, precisávamos voltar para ajudar a equipe”, explicou o avante, elogiado pelo técnico Didier Deschamps.

“Ele tem muita velocidade e fez a coisa certa em relação ao coletivo. Ele pode fazer isso, ele sabe como fazer isso. Não é um sacrifício. Isso permite que o time defenda melhor e também ataque melhor”, analisou o treinador.

Com o triunfo, a França chegou aos seis pontos ganhos, dois a mais do que a Dinamarca, segunda colocada, e se manteve na liderança do Grupo C. As duas seleções farão duelo direto pelo primeiro lugar da chave na próxima terça-feira, às 11 horas (de Brasília), em Moscou.



A Espanha, de Jordi Alba, já está classificada às oitavas de final da Copa do Mundo (Foto: AFP)

Após dois jogos na Copa do Mundo, o lateral-esquerdo não vê muita diferença da Espanha de Julen Lopetegui para a de Fernando Hierro, que assumiu a equipe a dois dias do início da competição. O jogador do Barcelona disse que a “essência” do futebol praticado pelo time segue a mesma e elogiou a personalidade do atual treinador.

“É uma pessoa que encaixou muito bem no grupo. Já o conhecíamos, é uma grande pessoa, muito próximo de todos os jogadores e agora acabou se tornando técnico. Estamos felizes que esteja conosco. É claro que a ideia do trabalho é a mesma que tínhamos com Julen. Cada um com seus detalhes, mas a essência da seleção continua a mesma. Torço para que ele possa fazer um bom papel como treinador”, declarou.

O atleta ainda elogiou o Irã, que fez um jogo duro diante da Espanha, mas saiu derrotado pelo placar mínimo. “O Irã se fechou lá atrás, e nós lutamos para entrar na área. Não foi fácil criar situações. O Irã vai colocar Portugal em dificuldades, pois são uma equipe compacta. Não é fácil quando um time se fecha bem atrás e não te deixa nenhum espaço”, disse.

Por fim, o lateral do Barcelona comentou a postura da imprensa espanhola, que tem criticado muito a seleção. “Acredito que devemos ser positivos nesta vida. Temos uma grande seleção, precisamos melhorar algumas coisas, mas esperem um pouquinho antes de “cair de pau”. Não comecem já, por favor”

Na última rodada do Grupo B, a Espanha enfrenta o já eliminado Marrocos, em Kaliningrado, enquanto Portugal e Irã decidem uma vaga, em Saransk. As duas partidas estão programadas para às 15h (de Brasília) da segunda-feira.



A atuação de Carlos Sánchez na estreia da Colômbia na Copa do Mundo da Fifa virou caso de polícia. Segundo notícia da emissora colombiana BLU Radio, o volante está sofrendo ameaças em redes sociais e a polícia local já iniciou uma investigação sobre o caso.

Na Colômbia, desde a morte do zagueiro Escobar, após a Copa de 1994, qualquer tipo de ameaça a qualquer pessoa pública em rede social é investigada para evitar maiores proporções.

Escobar foi assassinado em Medellín logo após o Mundial de 1994. O zagueiro fez um gol contra na derrota por 2 a 1 para os Estados Unidos. Naquele ano, os cafeteros caíram logo na primeira fase com outras derrotas diante de Romênia e Suíça.

As ameaças à vida de Carlos Sánchez tiveram início após a expulsão do volante com apenas três minutos de jogo na derrota contra o Japão por um toque de mão dentro da área. Com o revés, a Colômbia precisa vencer a Polônia na segunda rodada do Grupo D para seguir com chances de classificação.



Eliminado já na fase de grupos da Copa do Mundo, o Peru deixou a Arena Ecaterimburgo inconsolável após a derrota por 1 a 0 para a França, sofrida na tarde desta quinta-feira. Foram vários os jogadores que choravam ao término da partida, acompanhada por milhares de torcedores compatriotas no estádio.

Em conferência de imprensa, o técnico Ricardo Gareca tratou de tirar o peso da eliminação das costas de seus pupilos, mas também não escondeu sua decepção pela queda precoce.

“A equipe deu tudo de si em ambas as partidas. Nos falta um jogo para vencer diante de todos os torcedores que vieram nos acompanhar. No entanto, tínhamos outras expectativas”, lamentou o treinador argentino.

“Dói para nós sair eliminados e não ter uma última chance de classificação. Demos tudo, entregamos tudo, e agradecemos à torcida peruana pela paixão que mostrou à seleção nacional. Parece que o tempo e o crescimento nos fortalecerão”, projetou.

Classificado ao Mundial após 36 anos de ausência, o Peru tem duas derrotas na edição russa do torneio, já que havia perdido por 1 a 0 para a Dinamarca na estreia. Na análise de Gareca, apesar dos resultados, sua equipe deixou uma boa impressão.

“Quando à imagem, foi positiva. Em linhas gerais, não tenho do que reclamar aos jogadores. Tentamos. Saímos para ganhar as duas partidas, mas a França venceu este último merecidamente”, avaliou.

O Peru ainda cumprirá tabela diante da Austrália, na próxima terça-feira, a partir das 11 horas (de Brasília), em Sochi. O objetivo é, ao menos, se despedir da competição com três pontos conquistados.

“Vamos nos esforçar no último jogo para que eles possam comemorar um gol”, concluiu Ricardo Gareca.



O técnico Tite parece ter deixado para trás de uma vez por todas as polêmicas envolvendo o árbitro de vídeo no duelo do último domingo, com a Suíça, pela estreia na Copa do Mundo. Embora tenha reclamado da falta não marcada no lance do gol adversário e de um pênalti em Gabriel Jesus, o comandante do time canarinho preferiu falar sobre desempenho nesta quinta-feira, véspera da partida contra a Costa Rica.

“O que eu tinha que manifestar a respeito do VAR já está muito claro. Temos agora um foco para melhorar nossa performance. As outras responsabilidades não competem a nós. Qualquer comentário que eu fizer soa como querer levar vantagem”, disse Tite.

Após reclamar à Fifa sobre a omissão do VAR em dois lances capitais do confronto, a CBF obteve uma resposta negativa em relação à divulgação das conversas entre os árbitros de vídeo e o juiz mexicano César Ramos. Muitos acreditam, inclusive, que a entidade que regula o futebol brasileiro perdeu prestígio por conta de Coronel Nunes, presidente em exercício que havia feito um pacto com as demais federações sul-americanas para votar na candidatura dos EUA, México e Canadá para o Mundial de 2026, no entanto, de última hora, optou por Marrocos, o que enfureceu os outros cartolas.

“Não queremos vantagem. Queremos merecer, jogar bem e na coletiva falar que vencemos porque fomos melhores. Isso me atrai. Cada um com suas responsabilidades”, completou Tite, se esquivando de qualquer polêmica.

A Seleção Brasileira volta a entrar em ação nesta sexta-feira, às 9h (de Brasília), no estádio Krestovsky, casa do Zenit, em São Petersburgo, contra a Costa Rica, pela segunda rodada do Grupo E.

 



Conquistada na tarde desta quinta-feira, em Ecaterimburgo, a vitória por 1 a 0 sobre o Peru garantiu a classificação antecipada da França às oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. Com a primeira meta alcançada, o técnico Didier Deschamps projeta consolidar a liderança do Grupo C no último jogo da primeira fase.

“É uma segunda vitória e estamos classificados”, celebrou Deschamps, que no último sábado havia visto seus pupilos derrotarem a Austrália por 2 a 1. “Este era o nosso objetivo. Estou bastante satisfeito com o que os jogadores fizeram”, acrescentou.

Com o resultado, a França chegou aos seis pontos ganhos, dois a mais do que a Dinamarca, segunda colocada. Pela terceira rodada da Copa do Mundo, as duas seleções farão um duelo direto pela ponta da chave na próxima terça-feira, a partir das 11 horas (de Brasília), em Moscou. Os “Bleus” jogam pelo empate.

“Este será o nosso objetivo no terceiro jogo, mas primeiro vamos comemorar porque vencemos nossos dois jogos, o que nem todos conseguiram (no Mundial)”, concluiu Deschamps.

Caso confirme o primeiro lugar, os “Bleus” enfrentarão o segundo colocado do Grupo D, que é composto por Croácia, Argentina, Islândia e Nigéria.

Questionado sobre a partida, Deschamps viu dificuldades para os dois lados. Os europeus garantiram o triunfo aos 33 minutos do primeiro tempo, quando Mbappé aproveitou rebote para se tornar aos 19 anos o francês mais jovem a marcar em Mundiais.

“Sofremos no segundo tempo, tivemos dificuldade em sair com a bola e quando nós a recuperávamos, não a mantivemos. Mas foi o mesmo para o Peru”, concluiu o comandante.



Mesmo enfrentando um time repleto de estrelas, como a seleção francesa, o Peru não abdicou do ataque e até ditou o ritmo do duelo em vários períodos. No entanto, assim como contra a Dinamarca, pecou nas finalizações e saiu de campo derrotado pelo placar mínimo. A falta de pontaria dos comandados de Ricardo Gareca, nas duas partidas, custou a eliminação dos peruanos da Copa do Mundo.

A postura ofensiva dos peruanos ficou evidenciada na posse de bola. A seleção Rojiblanca teve 56% de posse e acertou 432 passes de 530, o que culminou em um aproveitamento de 82%, porcentagem baixa para uma equipe que entrou em campo com a estratégia de tomar as rédeas do jogo. Os franceses, por sua vez, também tiveram dificuldades de tocar a bola, e só tiveram 77% de aproveitamento no quesito (311 de 404).

O futebol reativo praticado pelos comandados de Didier Deschamps, de poucos toques para chegar ao adversário, teve mais êxito. Foram 12 finalizações do franceses, sendo seis para fora, quatro em direção a meta, e duas bloqueadas. Os peruanos não ficaram muito atrás, arrematando 10 vezes. Porém, a pontaria não estava calibrada como a do adversário. Das 10 finalizações, seis foram para fora, duas ao gol e duas bloqueadas.

As estatísticas defensivas mostraram um Peru intenso, sempre buscando retomar a bola o quanto antes. Os rojiblancos desarmaram em 15 oportunidades, enquanto os europeus apenas sete. Mesmo jogando em sua defesa na maior parte do tempo, a França não se distanciou do rival na questão das bolas recuperadas. Ao todo, os vencedores do duelo retomaram a posse 46 vezes, já os eliminados em 44.

Na última rodada do Grupo C, França e Dinamarca farão um duelo valendo a liderança da chave na próxima terça-feira, às 11 horas (de Brasília), em Moscou. No mesmo dia e horário, em Sochi, o Peru cumprirá tabela diante da Austrália, que precisa da vitória e de um revés dos nórdicos para avançar.




O volante Paul Pogba, da França, foi decisivo na vitória por 1 a 0 sobre o Peru, na tarde desta quinta-feira, em Ecaterimburgo. O jogador, além de ter sido cirúrgico na parte defensiva, foi crucial na jogada do gol de Mbappé, anotado aos 33 minutos no primeiro tempo.

No lance em questão, o camisa 6 evitou contra-ataque peruano ao desarmar Paolo Guerrero na intermediária. De quebra, deixou Olivier Giroud livre dentro da área. No rebote da finalização do atacante, Mbappé só empurrou a bola para a rede, tornando-se aos 19 anos o francês mais jovem a marcar na história da Copa do Mundo.

Mas não foi apenas no gol que Pogba trabalhou bem. Durante a maior parte do duelo, ele dominou o meio de campo e em determinados momentos apareceu nas laterais para cruzar. Também chamou atenção pela precisão nos passes. Foram 45 acertos e apenas quatro erros.

Nascido em Lagny-sur-Marne, na França, Pogba iniciou sua carreira profissional no Le Havre. Em 2009, foi negociado ao Manchester United, que três anos depois o negociou com a Juventus. Na Velha Senhora, o volante ganhou destaque com grandes atuações e ao ser campeão quatro vezes do Campeonato Italiano. Em 2016, o United desembolsou 105 milhões de euros para trazer o francês de volta ao Old Trafford.

Com o triunfo, a França se manteve na ponta do Grupo C da Copa do Mundo, com seis pontos ganhos, e se classificou às oitavas de final da Copa do Mundo. Pela terceira rodada do torneio, os “Bleus” farão um duelo direto pela liderança da chave com a Dinamarca, na próxima terça-feira, às 11 horas (de Brasília), em Moscou.