Joziane se contém para não virar tiete de campeã olímpica na São Silvestre

Helder Júnior - São Paulo,SP

30-12-2016 08:24:53

Principal esperança brasileira na prova feminina da 92ª Corrida Internacional de São Silvestre, Joziane Cardoso está deslumbrada com as adversárias que terá nas ruas de São Paulo, no sábado. A paranaense de Nova Santa Bárbara conheceu a queniana Jemima Sumgong, campeã olímpica da maratona nos Jogos do Rio de Janeiro, na quinta-feira e não escondeu a sua empolgação.

“Afe! Pois é!”, exclamou Joziane, quando lembrada que estava ao lado de Jemima, com quem competirá na São Silvestre. “Tipo assim, estou até me segurando para não tirar uma selfie. Nunca imaginei que estaria correndo com essa e outras mulheres. Está sendo incrível para mim”, acrescentou.

Além da atual medalhista de ouro olímpica da maratona, Joziane enfrentará outras atletas renomadas, como a etíope Yimer Ayalew, que venceu a São Silvestre em 2008, 2014 e 2015. E não lamenta as adversidades em momento algum. “Acho bacana que a prova seja forte. Isso te obriga a correr mais, a melhorar o seu tempo. A concorrência está bem maior em 2016, o que é legal, já que estamos falando de uma prova vista no mundo inteiro”, valorizou.

Com tamanha concorrência, no entanto, Joziane também tem consciência de que as suas chances de surpreender as africanas acabam reduzidas. “A gente tem que ser realista. Só vai dar se acontecer um imprevisto muito grande”, admitiu, sem perder as esperanças. “Mas vou tentar manter contato com elas, não deixar abrir muito. De repente, quem sabe, estou ali brigando”, sonhou.

De qualquer forma, a atleta já se dará por satisfeita se conseguir ser novamente a melhor brasileira da São Silvestre. “Será a quarta vez que corro a prova, a segunda em alto nível. No ano passado, fui quarta colocada. Se estiver no pódio neste ano, já acharei incrível. Ainda mais com essa concorrência de peso”, repetiu Joziane Cardoso, que se permitirá uma selfie com Jemima Sumgong caso alcance o objetivo.

Deixe seu comentário