Gazeta Esportiva |

Insatisfeito com reserva, Rodrigo Pessoa anuncia desistência dos Jogos

Em Mais Esportes, Olimpíadas 2016
Atualizado em 03/08/2016 - 22:49:17 Compartilhe
São Paulo , SP
Cavaleiro Rodrigo Pessoa está fora dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)
Cavaleiro Rodrigo Pessoa está fora dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

O cavaleiro Rodrigo Pessoa não participará dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Na noite desta quarta-feira, por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa, o brasileiro contestou o técnico George Morris por deixá-lo na reserva e confirmou a desistência.

Premiado com a medalha de bronze por equipes nos Jogos de Atlanta 1996 e Sydney 2000, Rodrigo Pessoa foi ouro na prova individual em Atenas 2004, sempre em parceria com o cavalo Baloubet du Rouet. Insatisfeito com a condição de reserva no Rio de Janeiro 2016, ele resolveu desistir.

Assim, Felipe Amaral, aluno de Rodrigo Pessoa, assume a condição de reserva da equipe de saltos nacional. No Rio de Janeiro, o cavaleiro de 43 anos participaria de sua sétima edição dos Jogos Olímpicos como atleta, superando o velejador Torben Grael e o mesatenista Hugo Hoyama como recordista.

Veja a nota publicada por Rodrigo Pessoa:

“Após muita reflexão cheguei a conclusão que continuo com a mesma opinião: o único lugar que não posso contribuir é na reserva. Segundo o técnico George Morris, a minha égua Cadjanine não corresponde as suas expectativas e por isso não vejo coerência nesta convocação de reserva. Imagina se precisamos do reserva. Diante disso, penso que temos um segundo conjunto reserva (Felipe Amaral/Premiere Carthoes BZ) tão bom quanto os demais e não quero impedi-lo de ter a oportunidade de viver a sua primeira Olimpíada.

Participei de seis Jogos Olímpicos como titular. Acredito e reafirmo o que avisei à comissão técnica: minha égua estaria pronta no momento adequado. Assim como em várias outras ocasiões, meus cavalos sempre chegaram preparados para contribuir com sucesso para a equipe do Brasil.

Apesar da minha insistência em tentar representar mais uma vez o meu país, infelizmente, pela decisão do técnico, adicionado a uma suspeita de cólica da égua, dessa vez, estou fora. Só me resta torcer para o Brasil buscar esta medalha. Estarei presente, na torcida desta vez. Queria agradecer pelas centenas de mensagens que recebi de perto e de longe neste momento.”

Comente