Para evitar faltas intencionais, NBA pode mudar regras

São Paulo, SP

05-02-2016 19:48:37

A estratégia de forçar faltas intencionais próximas ao garrafão, adotada por algumas equipes da NBA, pode estar com os dias contados. O comissário da liga de basquete norte-americana, Adam Silver, afirmou que a entidade está considerando uma mudança nas regras para evitar a prática, considerada anti-esportiva.

“Estou tendendo a achar que devemos mudar algumas coisas na regra durante este verão (inverno no hemisfério sul). Estamos sendo forçados a fazer essa mudança por conta do modo sofisticado como os técnicos usam cada tática disponível para eles. Essa não é, definitivamente, a maneira que queremos ver o jogo ser jogado”, disse Silver, em entrevista à revista “USA Today”.

A prática, denominada “hack-a-play”, costuma ser utilizada para que jogadores com baixo índice de acertos em lances livres tenham de cobrá-los. Para isso, os técnicos fazem um rodízio entre seus jogadores para que não se estoure o número de faltas.

A maior vítima desta estratégia vem sendo o Los Angeles Clippers, do pivô DeAndre Jordan, famoso por ter um pífio desempenho na linha de lance livre (média de 41,9% de acerto durante a carreira). Nos anos 90, a prática acontecia nos jogos da outra franquia de Los Angeles, os Lakers, que tinham como pivô o gigante Shaquille O’Neal, outro jogador que não tinha intimidade com lances livres.

Segundo a matéria publicada no “USA Today”, cerca de 164 jogadas “hack-a-play” aconteceram somente em dezembro de 2015, número superior a toda temporada de 2014-2015. Além de Jordan, Andre Drummond, do Detroit Pistons, e Dwight Howard, do Houston Rockets, vem sofrendo com a tática por parte dos adversários.

Deixe seu comentário