Atletismo/Corrida Internacional de São Silvestre

Campeã da Pampulha é esperança para quebra de jejum na São Silvestre

André Sender - São Paulo, SP - Brasil
26/12/2014 10:00:22

Em: Atletismo, Corrida Internacional de São Silvestre, Mais Esportes

A catarinense Joziane da Silva Cardoso vive em 2014 a melhor fase de sua carreira. Campeã da Meia Maratona de São Paulo, ela venceu no início de dezembro a Volta Internacional da Pampulha, quebrando um jejum de oito anos sem títulos nacionais no evento. Agora, a meta é quebrar o estigma na Corrida Internacional de São Silvestre.

A tradicional prova de 31 de dezembro não é vencida por uma atleta brasileira desde 2006, quando Lucélia Peres foi a primeira a completar os 15km do percurso. O ano foi o mesmo em que a própria Lucélia conquistou a Pampulha, em que nenhuma corredora nacional tinha subdo ao lugar mais alto do pódio até o resultado de Joziane.

“Este ano ela venceu a Meia Maratona de São Paulo, que só uma brasileira tinha vencido até então, ficou em quarto lugar na Meia do Rio e venceu a Pampulha espetacularmente. Essas coisas não acontecem por acaso”, disse seu técnico, Dr. Henrique Viana.

(Foto:Eduardo Frazão/MidiaSport)
(Foto:Eduardo Frazão/MidiaSport) – Credito: Divulgação

O feito de Joziane em Belo Horizonte chamou a atenção de seu treinador, Dr. Henrique Viana, porque foi obtido em meio à fase de treinamento para a São Silvestre. Ela disputou a Volta da Pampulha apenas dois dias depois de encerrar o trabalho na altitude de Campos do Jordão, programado para apresentar resultados em 31 de dezembro.

“Ela está em um grupo de atletas que responde muito bem ao estresse físico do treino na altitude, com um crescimento muito grande e muito rápido. Também era assim com o Ronaldo da Costa e o Franck Caldeira. Por isso previ que ela iria correr muito bem na Pampulha e prevejo que vai estar melhor ainda para a São Silvestre”, afirmou.

Pelo Quênia, Alice Timbilili (em 2007 e em 2010), Pasalia Chepkorir (2009), Priscah Jeptoo (2011) Maurine Kipchumba (2012) e Nancy Kipron (2013) foram as campeãs após a conquista de Lucélia Peres. Já a etíope Yimer Ayalew ganhou a corrida em 2008.

Ainda entre as mulheres, o Brasil totaliza apenas cinco conquistas desde a instituição da São Silvestre feminina, em 1975. A primeira campeã foi Carmem Oliveira, em 1995, seguida por Roseli Machado (1996), Maria Zeferina Baldaia (2001), Marizete Rezende (2002) e pela própria Lucélia Peres.

Apesar do predomínio do Quênia na prova feminina, com 11 títulos, o grande destaque individual é uma portuguesa. Rosa Mota, medalhista de ouro na maratona dos Jogos Olímpicos de Seul-1988, ainda reina absoluta como hexacampeã (1981-1986). Sua compatriota Aurora Cunha levou a melhor em 1988.