Libertadores

La Bombonera | 10/11/2018

Futebol/Libertadores da América

Após vencer Weverton, Benedetto enfrenta o titular da Argentina na Copa

São Paulo , SP
10/11/2018 08:00:38 — 11/11/2018 12:29:18

Em: Boca Juniors, Futebol, Futebol Internacional, Libertadores, River Plate
Gráfico: Gustavo Izus, Nicolas Ramallo, Maria-Cecilia Rezende/AFP

Darío Benedetto é o principal responsável por eliminar o Palmeiras e colocar o Boca Juniors na final da Libertadores da América. Depois de ficar fora de ação devido a uma grave lesão no joelho direito sofrida em novembro de 2017 e ficar quase um ano sem marcar gol, o atacante desencantou em grande estilo contra o Verdão na fase semifinal.

No jogo de ida do confronto, na Bombonera, Benedetto saiu no banco faltando 15 minutos para o apito final, mas o tempo foi suficiente para decidir a partida. O camisa 18 marcou os dois gols da vitória xeneize por 2 a 0 e deu grande vantagem ao Boca Juniors para o jogo de volta.

Benedetto foi decisivo para a classificação do Boca à final da Libertadores (Foto: Juan Mabronata/AFP)

Uma semana depois, no Allianz Parque, a fórmula se repetiu: Benedetto entrou na segunda etapa e foi decisivo. O Palmeiras saiu atrás, precisava marcar quatro gols e havia virado o jogo em 2 a 1. No entanto, enquanto o Verdão pressionava em busca da classificação, o atacante entrou faltando meia hora de jogo, marcou novamente e decretou a eliminação palestrina com empate por 2 a 2.

Na decisão da Libertadores, Benedetto terá pela frente outro goleiro de seleção. Na semifinal o Boca enfrentou e venceu Weverton, goleiro titular da Seleção que conquistou a medalha de ouro nas Olimpíadas de 2016, o próximo goleiro adversário será ninguém menos que Franco Armani, presença constante na seleção argentina.

Benedetto marcou três gols em dois jogos contra Weverton e o Palmeiras (Foto: Nelson Almeida/AFP)

Depois de defender o Atlético Nacional, da Colômbia, por sete temporadas, Armani chegou ao River Plate em 2018, mesmo ano em que foi convocado para a seleção pela primeira vez. Na Copa do Mundo, na Rússia, o goleiro foi reserva de Caballero nos dois primeiros jogos, empate com a Islândia e derrota para a Croácia, e assumiu a titularidade na terceira partida. Com Armani entre as traves, a Argentina venceu a Nigéria, garantindo vaga nas oitavas de final, e perdeu para a campeã França na fase seguinte.

Na Libertadores, a campanha do River Plate é baseada na defesa sólida. Dono de defesas importantes na semifinal contra o Grêmio, Franco Armani sofreu apenas seis gols em 12 jogos pela competição, média de um gol a cada dois jogos. O Boca Juniors, por outro lado, sofreu nove no mesmo período.

Franco Armani tem sido um dos principais jogadores do River na campanha (Foto: Reprodução/Twitter)

Armani certamente será o goleiro titular do River Plate na decisão da Libertadores. Benedetto, por outro lado, deve começar no banco de reservas, assim como nos dios jogos contra o Palmeiras, e será forte candidato a entrar no decorrer da partida se o Boca precisar marcar gols. O primeiro capítulo do duelo será neste domingo, às 17 horas, na Bombonera.

Veja também:

River nunca venceu o Boca na Bombonera pela Libertadores: veja o histórico

Último encontro entre Boca e River pela Libertadores foi interrompido por confusão

Ingressos para a final chegam a custar R$ 15 mil

Conheça a bola da final da Libertadores divulgada pela Conmebol