COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Courtois e Caballero são companheiros no Chelsea (Foto: Yuri Cortez/AFP)

O começo de Copa do Mundo da Argentina é dramático. Após empatar com a Islândia na estreia, a albiceleste voltou a tropeçar e desta vez perdeu para a Croácia na segunda rodada. O duelo foi marcado por uma falha fatal do goleiro Willy Caballero no primeiro gol dos croatas. Mesmo antes desse episódio, o arqueiro argentino sofria com críticas, o que – é de se imaginar – só piorou. Quem saiu em sua defesa, porém, foi seu companheiro de Chelsea, o também goleiro Thibaut Courtois.

“Sinto muito por Willy, porque é um grande goleiro. No primeiro jogo (contra a Islândia), fez uma grande defesa”, pontuou o belga, que considerou o erro do companheiro como algo normal.

Além disso, Courtois disse palavras de apoio ao argentino e acredita em sua volta por cima. “Esse é o risco do futebol quando se joga atrás. Mas acredito que ele não vai mais sofrer, porque é um ótimo goleiro. Não vai ter problemas”, acrescentou.

A Argentina agora joga a classificação para as oitavas de final na próxima terça-feira, às 15h (de Brasília) contra a seleção da Nigéria, que ainda tem chances de ir para a próxima fase. Completando o Grupo D, a já classificada Croácia enfrenta a Islândia, que, com um ponto, vive a mesma situação dos hermanos.



Pela segunda rodada da fase de Grupos da Copa do Mundo, a seleção do México garantiu mais um triunfo, desta vez diante da Coreia do Sul. Depois da boa vitória na estreia contra a Alemanha, ficava a dúvida de como a equipe de Juan Carlos Osorio se comportaria em campo. Apesar do resultado, engana-se quem pensa que os sul-coreanos não levaram perigo à meta de Uchoa. Mas o que garantiu a vitória mexicana foi justamente a eficiência, o que faltou ao time asiático.

A Coreia do Sul realizou 17 finalizações, com seis delas em direção ao gol. O México, por sua vez, chutou 13 vezes, sendo cinco na direção da meta. Assim, o time do “Profe” aproveitou melhor as chances, balançando as redes duas vezes em cinco oportunidades, contra apenas uma em seis dos coreanos.

Chicharito marcou o segundo gol na vitória do México (Foto: Khaled Desouki/AFP)

Quem ficou com a bola no pé mais tempo foi a equipe americana. O México terminou a partida com 59% de posse de bola, contra 41% dos adversários.

No quesito passes, ambas as seleções tiveram bom desempenho, mas o time de Osório também levou vantagem. Os mexicanos trocaram 492 passes, com 434 destes completos, totalizando 88% de aproveitamento. Os sul-coreanos, por sua vez, trocarem 350 passes, completando 282, resultando em 81%.

Na parte defensiva, os coreanos levaram a melhor por pouco em termos de bolas recuperadas, com 42 a 40. Em desarmes, o mesmo se repetiu, com a equipe de Son realizando 17 contra 13 do México.

Por fim, nas faltas, o time asiático ganhou por larga diferença: cometeu 24 e levou 4 cartões amarelos, contra apenas sete faltas do time de Osório e nenhum cartão.

As equipes voltam a campo na próxima quarta-feira para a definição do Grupo F. O México encara a Suécia em Ecaterimburgo e a Coreia do Sul pega a Alemanha na Arena Kazan, ambos às 11h (de Brasília).



Algoz da Alemanha na estreia pela Copa do Mundo da Rússia, o México manteve o alto nível neste sábado para ganhar por 2 a 1 da Coreia do Sul. O experiente Javier “Chicharito” Hernandez brilhou durante o triunfo da seleção norte-americana em Rostov.

No primeiro tempo, em jogada pela esquerda, o atacante deu passe para Guardado cruzar no lance que originou o pênalti convertido por Carlos Vela. Na etapa complementar, em um rápido contragolpe, ele recebeu de Lozano, cortou a marcação e ampliou para o México.

Aos 30 anos de idade, o atacante do West Ham marcou seu quarto gol em uma Copa, igualando o recorde do compatriota Luis Hernandez. Coincidentemente, ele também balançou as redes no dia 23 de junho de 2014, durante a vitória mexicana por 3 a 1 sobre a Croácia, pelo Mundial do Brasil.

Chicharito é filho de Javier “Chícharo” Hernandez, que representou o México na Copa do Mundo de 1986, e neto de Tomás Balcazar, convocado para a edição de 1954 do torneio. Com seis pontos, o México lidera o Grupo F e depende de um empate contra a Suécia para passar de fase.



O México se aproximou de uma vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia durante a tarde deste sábado. Empurrada por milhares de torcedores em Rostov, a seleção comandada pelo técnico Juan Carlos Osório dominou a Coreia do Sul e venceu por 2 a 1.

Com seis pontos ganhos, o México lidera o Grupo F do torneio. Alemanha e Suécia contabilizam os mesmos três pontos, enquanto a Coreia do Sul, ainda sem pontuar, figura na lanterna da chave. As quatro seleções ainda têm chances de avançar às oitavas de final.

Na última rodada da fase classificatória da Copa do Mundo, às 11 horas (de Brasília) de quarta-feira, o México enfrenta a Suécia dependendo de um empate para passar de fase, em Ecaterimburgo. Ao mesmo tempo, na Arena Kazan, a Coreia do Sul pega a Alemanha.

O Jogo – O México ditou o ritmo no primeiro tempo e manteve mais posse de bola, mas tomou alguns sustos. Em seu melhor ataque na metade inicial, após cobrança de escanteio pela direita, Ki Sung-Yueng cabeceou firme e Ochoa deu um tapa por cima do gol.

A seleção norte-americana respondeu rapidamente e inaugurou o marcador aos 24 minutos do primeiro tempo. Guardado recebeu de Chicharito na esquerda e cruzou. Na tentativa de interceptar a bola, Jang Hyun-Soo deu um carrinho com o braço para cima e cometeu pênalti, convertido por Carlos Vela.

O México manteve a superioridade e levou perigo pouco depois em chute frontal de Layun, defendido pelo goleiro Jo. Nos minutos finais do primeiro tempo, o insinuante Lozano partiu para cima de dois marcadores pela esquerda, invadiu a área e bateu por cima da meta sul-coreana.

O primeiro ataque consistente da etapa complementar em Rostov foi do México. Guardado recebeu de Chicharito perto da entrada da área e bateu de direita, mas acertou a zaga. Ele mesmo pegou o rebote e, com o pé esquerdo, chutou para boa defesa do goleiro Jo.

O México marcou o segundo aos 20 minutos da etapa complementar. Após roubada de bola de Herrera no campo de defesa, Lozano disparou no contragolpe. Chicharito recebeu do companheiro pela esquerda, cortou a marcação e bateu mascado, mas suficiente para marcar.

Colocado por Osório no lugar de Guardado, o veterano Rafa Marquez quase entregou o ouro em recuo curto para Ochoa, mas conseguiu se recuperar. Nos acréscimos, Son recebeu perto da entrada da área pela direita, limpou a marcação e acertou belo chute para marcar o gol de honra sul-coreano.

FICHA TÉCNICA
COREIA DO SUL 1 x 2 MÉXICO

Local: Arena Rostov, em Rostov (Rússia)
Data: 23 de junho de 2018 (Sábado)
Horário: 12 horas (de Brasília)
Árbitro: Milorad Mazic (Sérvia)
Assistentes: Milovan Ristic (Sérvia) e Dalibor Djurdjevic (Sérvia)
Público: 43,472 pessoas
Cartões amarelos: Kim, Lee, Seungwoo Lee e Jung (COR);
Gols:
MÉXICO: Vela, aos 25 minutos do 1º Tempo, e Chicharito, aos 20 minutos do 2º Tempo
COREIA DO SUL: Son, aos 47 minutos do 2º Tempo

COREIA DO SUL: Jo; Lee, Jang, Kim (Hong) e Minwoo Kim; Ju (Seungwoo Lee), Ki, Monn (Jung) e Hwang; Jaesung Lee e Son
Técnico: Tae-Young Shin

MÉXICO: Ochoa; Alvarez, Salcedo, Moreno e Gallardo; Herrera, Guardado (Rafael Marquez), Layún e Vela (Giovani dos Santos); Lozano (Corona) e Chicharito Hernández
Técnico: Juan Carlos Osorio



O técnico Nabil Maaloul foi austero ao analisar a campanha da Tunísia na Copa do Mundo. A equipe africana, goleada pela Bélgica por 5 a 2 durante a manhã deste sábado, em Moscou, foi eliminada na fase de grupos com uma rodada de antecedência.

Com o resultado, a Tunísia segue sem marcar pontos na Rússia, já que perdeu para a Inglaterra por 2 a 1 na estreia, pelo Grupo G. O time africano tentará diminuir o prejuízo diante do Panamá, contra quem cumprirá tabela na próxima quinta-feira, em Saransk.

“Em nosso primeiro jogo fomos criticados por focar na defesa e não no ataque. Hoje somos criticados por nossos erros defensivos. Para mim, fomos ridículos considerando a pontuação. Perder de 5 a 2 é ridículo”, analisou o treinador.

Diante da favorita Bélgica, a Tunísia levou dois gols em 15 minutos, mas conseguiu descontar logo em seguida e esboçou uma reação. No entanto, com uma defesa muito frágil, voltou a cometer erros primários e acabou sofrendo a goleada.

“Como esperávamos, foi um jogo extremamente difícil. Desde o sorteio, sabíamos que a Bélgica seria um adversário extremamente complicado. Não devemos esquecer que os belgas são superiores”, reconheceu.

Maaloul, que levou a Tunísia ao Mundial após 12 anos de ausência, se emocionou e foi às lagrimas durante a execução do hino nacional de seu país antes da partida. Após o revés, ele se desculpou com os milhares de compatriotas que compareceram ao estádio.

“Gostaríamos de pedir desculpas à torcida tunisiana que foi numerosa no estádio. No entanto, fizemos o nosso melhor. Vamos nos esforçar para melhorar de desempenho no futuro”, concluiu.



Farfán foi titular na partida de estreia do Peru contra a Dinamarca (Foto: Jack Guez/AFP)

Sem chances de se classificar para a próxima fase da Copa do Mundo, o Peru ainda tem um jogo pela frente contra a Austrália para cumprir tabela e por isso segue treinando na Rússia. Neste sábado, porém,  as atividades na Arena Kimkhi contaram com um susto. Jefferson Farfán sofreu um golpe na cabeça durante uma dividida e precisou ser hospitalizado.

De acordo com o jornal peruano El Comércio, o atacante chegou a ficar inconsciente depois do choque acidental com um jogador da seleção sub-20 e foi retirado do treino e levado de ambulância a uma clínica próxima do local, a cerca de 40 minutos do centro do Moscou.

Segundo outra publicação, desta vez o jornal El Bocón, Farfán teria sido diagnosticado com traumatismo crânio encefálico, mas ainda não há informações oficiais sobre seu estado.

O El Comercio revela ainda que o atacante despertou depois de alguns minutos depois e que sua situação é estável. O camisa 10 da blanquirroja ficará em observação na clínica e vira dúvida para a partida de terça-feira contra os australianos pela última rodada do Grupo C, às 11h (de Brasília).



Senegal tem tudo para ser uma das boas surpresas da Copa do Mundo da Rússia. Após baterem a Polônia por 2 a 1 na estreia, os africanos agora miram a classificação às oitavas de final, que pode ser encaminhada neste domingo, contra o Japão. E quem atribui o sucesso desta seleção ao talento de Sadio Mané, atacante do Liverpool, está enganado. Como o próprio camisa 10 faz questão de afirmar, o trunfo da equipe está no espírito coletivo.

“É uma honra todos estarem falando de mim, mas vamos jogar como um time. Temos uma grande equipe que está nos dando todas as condições. Cissé (técnico) é o chefe, é quem está montando todas as estratégias. Nós estamos jogando com o espírito coletivo, o time todo é importante e vai ser uma linda partida”, reiterou, em coletiva de imprensa concedida neste sábado.

Prevendo um confronto complicado, o jogador ainda aproveitou para elogiar a equipe japonesa, que, segundo ele, “sabe jogar”. O jogo ainda marca o encontro dele com o zagueiro Yoshida, do Southampton, com quem está acostumado a duelar pelo Campeonato Inglês e mantém uma ótima relação extra-campo.

“Temos uma excelente relação. Sei que ele vai fazer todo o possível para me vencer, mas eu farei o mesmo do nosso lado”, garantiu.

Mané é o grande nome da seleção senegalesa nesta Copa (Foto: HECTOR RETAMAL/AFP)

Mané tinha apenas 10 anos de idade quando Senegal disputou a Copa do Mundo de 2002, sediada por Coreia/Japão. Na ocasião, os senegaleses fizeram bonito, batendo a França na estreia e chegando às quartas de final do torneio. O técnico Aliou Cissé era capitão daquela equipe, que foi muito exaltada pelo camisa 10.

“Tenho boas memórias. Lembro do tempo em que ele (Cissé) era capitão do Senegal, e nosso time foi bem nessa Copa. Todo mundo gostava de ver esse time jogando futebol, gostaria de ter jogado com eles, mas infelizmente eu era jovem. Não me esqueço disso”, recordou.

A bola rola para Senegal e Japão a partir das 12h (no horário de Brasília), em Ecaterimburgo. O jogo é importante, visto que os asiáticos também venceram na estreia e possuem os mesmos três pontos na classificação. Quem vencer, dará um importante passo na busca pela vaga nas oitavas de final. Colômbia e Polônia, derrotas na primeira partida e com pontuação zerada, entram em campo às 15h.



Armani (à esquerda), deve substituir Caballero contra Nigéria (Foto: JUAN MABROMATA/AFP)

Na próxima terça-feira, em São Petersburgo, a Argentina define sua vida na Copa do Mundo da Rússia. Com apenas um ponto nas duas primeiras rodadas, a seleção Albiceleste precisa vencer e tirar uma desvantagem no saldo de gols para avançar. Para tentar tudo isso, Jorge Sampaoli deve promover uma mudança importante no gol. Depois de uma falha bizarra contra Croácia, Willy Caballero deve ser substituído por Franco Armani.

De acordo com o canal argentino TyC Sports, o treinador já conversou com com os dois arqueiros e irá promover o estreante. Aos 31 anos, o jogador do River Plate foi convocado como a opção em melhor momento para herdar o posto em solo russo, mas a representatividade de Romero se sobressaiu. Porém, o arqueiro do Manchester United acabou cortado e, mesmo assim, Armani foi preterido pela experiência de Caballero.

Conhecido pelas grandes atuações defendendo o Atlético Nacional-COL, inclusive que renderam o título da Copa Libertadores de 2016, Armani acabou se transferindo para o River Plate nesta temporada. Agora, assume o posto de titular depois da falha de Caballero, que abriu o caminho para a derrota contra a Croácia. No lance, o chute errado caiu nos pés de Rebic, que estufou a rede.

A mudança no gol, aliás, não deve ser a única para o jogo contra Nigéria. Precisando vencer por uma vantagem considerável, existe a expectativa do retorno de Di Maria ao time inicial, assim como as entradas de Dybala e Higuaín, reservas nas duas primeiras partidas.



Pouraliganji marcou Diego Costa na partida entre Irã e Espanha e ouviu ofensas do brasileiro (Foto: Saeed Khan/AFP)

O brasileiro naturalizado espanhol Diego Costa já marcou três gols nesta Copa, dois na estreia contra Portugal e um diante do Irã, na última quarta-feira, o único da partida. Na ocasião, ele foi marcado pelo zagueiro Morteza Pouraliganji, que revelou ter sido desestabilizado emocionalmente pelo atacante.

“Acho que ele foi imoral e sinto muito por ele, usou palavras grosseiras sobre minha mãe, minha irmã, minha cunhada e outros membros da minha família. Ele queria me deixar louco e talvez tenha achado que eu seria inexperiente e mostraria um comportamento que me levaria a ser expulso da partida. Eu me controlei muito enquanto pensava na seleção iraniana”, disse o defensor, segundo o Tehran Times.

Pouraliganji também relatou que ele foi insultado na maior parte do tempo, dos 10 minutos iniciais até o fim da partida. “Ele queria me deixar com raiva, mas eu mantive a calma”. Além disso, o zagueiro também comentou a indicação de Costa como o melhor do confronto. “Eu não sei por que ele foi escolhido como o melhor do jogo, já que ele tocou a bola apenas por cinco vezes e acidentalmente marcou um gol”, afirmou.

O Irã ainda tem chances de se classificar para as oitavas de final da Copa do Mundo. Na segunda-feira, enfrenta Portugal às 15h (de Brasília), em Saransk, e precisa vencer para avançar. Os espanhóis enfrentam o Marrocos no mesmo dia e no mesmo horário. O Grupo B está com a liderança dividida entre Espanha e Portugal (quatro pontos) e o Irã vem logo em seguida (com três pontos).



Cristiano Ronaldo tem companhia na artilharia da Copa do Mundo. Romelu Lukaku, da Bélgica, marcou duas vezes na goleada por 5 a 2 sobre a Tunísia, na manhã deste sábado, em Moscou, e chegou a quatro gols anotados na Rússia, empatando com o craque português.

Veja mais: Tudo sobre o futebol belga em O Outro Lado da Bola

O status, porém, não deslumbra o jogador do Manchester United, que faz questão de dividir os méritos com os companheiros. “(A sensação) É ótima. Hoje todos conseguiram contribuir. A defesa também esteve presente. Enquanto time, continuamos progredindo. Assim fica mais fácil para mim como atacante”, celebrou.

O seu primeiro gol saiu graças ao oportunismo de Mertens, que aproveitou vacilo para roubar a bola do defensor africano para arrancar em contra-ataque. O camisa 9 recebeu livre e chutou cruzado para a marcar o segundo da Bélgica na partida.

O terceiro dos europeus também saiu dos pés de Lukaku. Após nova falha da defesa tunisiana, Mounier deu grande passe para o centroavante, que foi frio para tocar na saída do arqueiro.

Em entrevista coletiva, o técnico Roberto Martínez exaltou a atuação de seu puilo, que já havia balançado as redes duas vezes na vitória por 3 a 0 sobre o Panamá, pela estreia no Mundial.

“(Lukaku) Tentará marcar o maior número possível de gols, mas não a todo custo. Eu acho que ele foi incisivo pela direita, esteve confiante. Quando ficou na cara do gol, ele foi cirúrgico como era esperado”, analisou o espanhol.

Com os triunfos sobre panamenhos e tunisianos, a Bélgica marca seis pontos e lidera o Grupo G. Os Diabos Vermelhos garantem a vaga de forma antecipada caso o Panamá não vença a Inglaterra neste domingo, em Moscou.