São Paulo prevê ajustes em telão que apresentou falha em Japão x Chile - Gazeta Esportiva
Copa América Copa América

Um dos novos telões do estádio do Morumbi parou de funcionar durante o confronto entre Japão e Chile, pela primeira rodada do Grupo C da Copa América, na noite desta segunda-feira. Instalada na última terça-feira, a peça sofreram um problema técnico de fibras e fusões, uma espécie de mau contato, durante o primeiro tempo da disputa, a segunda a partida sediada pelo local na competição.

A primeira vez em que a reportagem observou a falha após o encerramento dos hinos, quando a partida estava prestes a começar. A partir dali, sempre que a transmissão era mudada da câmera aberta para algum replay ou algum outro detalhe, a mesma parte ficava apagada. Houve falhas que duraram mais de dois minutos.

Apesar de no segundo tempo os telões terem funcionado normalmente, eles passarão por ajustes nesta terça-feira, segundo o diretor de infraestrutura do São Paulo, Eduardo Rebouças. A próxima partida da Copa América que acontecerá no estádio será na quarta-feira, entre Colômbia e Catar.

Os telões fazem parte das modernizações que foram feitas no estádio do Morumbi para sediar a Copa América. Além deles, um novo túnel que dá acesso ao gramado foi construído e os vestiários foram reformados e ampliados, agora contando até mesmo com hidromassagem.

Os novos telões do Morumbi têm 20,16 metros de largura por 7,68 metros de altura e pesam 24 toneladas cada. Além disso, a resolução da imagem é de 2016 x 768 pixels, prometendo imagem de qualidade apesar da distância das arquibancadas para a estrutura.

 



Roberto Firmino é uma das principais estrelas do futebol brasileiro na atualidade, entretanto, o atleta é completamente avesso a entrevistas. Ainda tentando se acostumar com o assédio da imprensa, o campeão da Liga dos Campeões com o Liverpool aos poucos vai se soltando mais, porém, nesta segunda-feira aproveitou a primeira oportunidade que teve para deixar Tite sozinho na mesa respondendo as questões dos jornalistas.

Após os primeiros minutos de entrevista, os fotógrafos foram convidados a se retirar para o restante da coletiva. Sem precisar deixar a sala, Roberto Firmino aproveitou o embalo dos profissionais para também se despedir da imprensa, fato que espelha bem o quão desconfortável o atacante ainda se sente com compromissos midiáticos.

“Estou tentando me acostumar [a dar entrevistas], no começo foi mais difícil. Eu sempre tento correr, mas tem hora que não tem como e tem que dar [entrevista]”, brincou Firmino. “Sou um cara alegre, muito feliz, e claro que nem sempre é momento de sorrir, mas não sei. Sou um cara feliz”.

Embora não tenha confirmado a escalação para o duelo desta terça-feira, com a Venezuela, na Arena Fonte Nova, em Salvador, o técnico Tite deverá manter Roberto Firmino como titular no ataque. E o jogador falou o que muda quando está na Seleção Brasileira em relação ao que está acostumado a fazer com a camisa do Liverpool.

“[O posicionamento] é igual no clube e na Seleção. Eu gosto de me movimentar, buscar o jogo e abrir espaço para os pontas. Aqui é igual. Sempre focado em fazer meu trabalho e ajudar o time”, prosseguiu.

“Nós temos um grupo muito forte, que, para mim, não tem reserva. Todos que estão ali estão prontos para quando chegar a sua hora, entrar bem e ajudar como podem. Para mim, temos um grupo muito forte”,  concluiu.




Tite não revelou escolhas no meio-campo e no ataque (Pedro Martins/MoWA Press)

Depois da vitória por 3 a 0 na estreia da Copa América contra a Bolívia, a Seleção Brasileira enfrenta a Venezuela nesta terça-feira, às 21h30, na Fonte Nova, em Salvador. Para a segunda partida da fase de grupos, ainda há dúvidas em relação à escalação que entrará em campo.

As incertezas estão no setor de meio-campo e no ataque: Fernandinho e Arthur, recuperado de lesão, brigam por uma vaga, enquanto David Neres e Everton disputam outra. Tite não revelou com que time entrará em campo, explicando que quer esconder a estratégia do adversário.

“O sentido maior não é omitir de vocês, tenho respeito, sei da importância, mas o sentido maior é não dar a oportunidade de o adversário saber com quem vamos jogar. Vai jogar David Neres ou Cebolinha? Vai jogar o Fernandinho ou Arthur? Não vamos facilitar o trabalho do outro lado”, explicou Tite

“Campo molhado a qualidade do passe fica prejudicada, optamos por não fazer o trabalho de forma consensual com a Venezuela para termos uma condição melhor de espetáculo, prejudica o espetáculo e principalmente o passe. A escalação é a base da equipe do último jogo, mas não quer confirmar. Daqui a pouco o outro lado de alguma forma verá as possibilidades que a gente tem. Quero omitir, mas não mentir”, completou o treinador.

Tite ainda explicou que os jogadores possuem características diferentes e, dependendo das combinações formadas no meio de campo, o funcionamento do time é alterado.

“A formação do meio-campo tem versatilidade nos seis que compõem o meio-campo. Terminamos o jogo contra a República Tcheca com Arthur e Allan. O último jogo foi Fernandinho e Casemiro. Arthur e Casemiro, Arthur e Fernandinho. Essas duplas possibilitam as vezes uma liberdade maior para o Dani, às vezes o Richarlison ficar como segundo atacante, elas geram outras possibilidades para os atletas. Sempre com o Coutinho com uma liberdade de criação maior, essa é a ideia”, detalhou o técnico.

O Brasil lidera o grupo A com três pontos somados na primeira rodada. A Venezuela, adversária de terça-feira, empatou em 0 a 0 com o Peru em sua estreia na competição.



O técnico Tite concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira, véspera do confronto com a Vanezuela, pela segunda rodada do Grupo A da Copa América, em Salvador. Questionado sobre a possibilidade de o craque brasileiro voltar ao Barcelona, o treinador da Seleção preferiu não opinar sobre o assunto.

“São situações muito particulares, até profissional. Ele tem que ir para onde ele se sente bem, onde se sente feliz. Eu iria para um local em que eu me sentiria feliz enquanto pessoa”, disse Tite.

A possibilidade de Neymar voltar ao Barcelona veio à tona após as fortes declarações do presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, que garantiu não querer mais nenhum atleta no elenco com comportamento de “popstar”.

Segundo o globoesporte.com, o Barcelona estaria disposto a oferecer o zagueiro Umtiti, o meia Rakitic e o atacante Dembelé, além de uma boa quantia em dinheiro, para ter Neymar de volta na Catalunha. O PSG, por sua vez, estaria vendo a possibilidade de negociar o craque brasileiro com bons olhos.

Fora da Copa América e se recuperando de uma lesão no tornozelo direito, Neymar curte suas férias em meio à acusação de estupro feita pela modelo Najila Trindade. Na semana passada o jogador compareceu à 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, em Santo Amaro, Zona Sul de São Paulo, para prestar depoimento.



A Seleção Brasileira realizou nesta segunda-feira seu último treino antes do confronto com a Venezuela, pela segunda rodada do Grupo A da Copa América, em Salvador. A atividade aconteceu novamente no Barradão, estádio do Vitória, uma vez que a Arena Fonte Nova, local do jogo, foi preservada pela organização do torneio.

Embora Tite tenha permitido que a imprensa acompanhasse apenas o aquecimento dos jogadores, o volante Arthur deve voltar ao time titular, uma vez que foi testado no último domingo na formação que estreou contra a Bolívia. Na partida no Morumbi, o jogador do Barcelona foi poupado por conta de dores no joelho direito e substituído por Fernandinho.

Desta forma, a Seleção Brasileira deve enfrentar a Venezuela, nesta terça-feira, às 21h30 (de Brasília) com Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís; Casemiro e Arthur; Richarlison, Coutiniho e David Neres; Roberto Firmino.

Conforme o protocolo exige, as seleções devem treinar na véspera do jogo no local onde enfrentará seu adversário. Desta forma, Tite e seus jogadores deveriam trabalhar nesta segunda-feira na Arena Fonte Nova, mas, graças às chuvas e às reclamações dos treinadores da Argentina e Colômbia em relação ao gramado, a organização do torneio mudou os planos, deixando o Barradão à disposição das equipes.

Enquanto o Brasil soma três pontos na tabela, a Venezuela figura com apenas um tento decorrente do empate sem gols com o Peru na estreia, na Arena do Grêmio. Buscando garantir sua classificação à próxima fase o mais breve possível, o time canarinho tentará fazer prevalecer seu amplo favoritismo sobre o adversário.

Mas, se engana quem pensa que a Venezuela não oferecerá perigos à Seleção Brasileira. Em março deste ano, em amistoso realizado no estádio do Atlético de Madrid, na Espanha, o time vinotinto superou surpreendentemente a Argentina de Lionel Messi por 3 a 1, fato que faz com que o elenco verde e amarelo fique com o alerta ligado para o confronto desta terça-feira.




A CBF alterou o local do treino da Seleção Brasileira nesta segunda-feira. Antes marcada para acontecer na Arena Fonte Nova, a atividade foi realocada para o Barradão, às 17h45 (de Brasília).

A mudança tem um motivo: o gramado da Fonte Nova, criticado pelo técnico da Argentina, Lionel Scaloni, após a derrota por 2 a 0 diante da Colômbia, no último sábado.

Assim, para preservar o gramado da arena, o treinamento do Brasil na véspera do segundo desafio na Copa América foi alterado para o Barradão. A Venezuela, rival da Seleção, fará uma atividade no Pituaçu, às 18 horas.

As coletivas de imprensa de ambas as equipes, contudo, permanecem marcadas para a noite desta segunda-feira, na Fonte Nova – o atacante Roberto Firmino foi o escolhido para falar com os jornalistas.

O duelo, válido pela segunda rodada da Copa América, está marcado para esta terça-feira, às 21h30, na Fonte Nova. Após derrotar a Bolívia por 3 a 0 na estreia, o Brasil lidera o Grupo A com três pontos. A Venezuela, que ficou no 0 a 0 com o Peru, é a terceira colocada da chave.



O volante Matías Vecino deixou o duelo com o Equador machucado (Foto: Luis Acosta/AFP)

O Uruguai corre o risco de sofrer uma importante baixa na Copa América. Trata-se do volante Matías Vecino, que deixou a goleada por 4 a 0 sobre o Equador no último domingo, no Mineirão, com dores musculares.

O jogador da Inter de Milão foi substituído aos 37 minutos do segundo tempo por Valverde. O motivo foi justamente o problema no posterior da coxa.

Na manhã desta segunda-feira, Vecino deixou o hotel em que a Celeste está hospedada em Belo Horizonte para ser submetido a uma ressonância a fim de descobrir a gravidade da lesão. Ele, portanto, não treinou com seus companheiros na Cidade do Galo.

De acordo com o jornal Ovación, do Uruguai, o meio-campista sofreu uma ruptura fibrilar e está fora da próxima partida e “provavelmente do resto da competição, já que o tempo de recuperação é de 20 a 25 dias”.

Se Matías Vecino for realmente cortado, Óscar Tabárez não poderá chamar outro jogador para o seu lugar. O regulamento da Copa América permite uma substituição por lesão apenas 24 horas antes da estreia no torneio.

Com três pontos ganhos, o Uruguai lidera o Grupo C da Copa América. Pela segunda rodada, a Celeste enfrenta o Japão, na próxima quinta-feira, às 20 horas (de Brasília), na Arena Grêmio.



O Uruguai passou por cima do Equador em sua estreia na Copa América 2019, no último domingo, no Mineirão. A goleada por 4 a 0 animou o atacante Luis Suárez, que classificou a atuação da Celeste como “perfeita”.

“A partida não muda nossa mentalidade de que as expectativas são máximas para nós. Obviamente que [a vitória] te deixa um saldo positivo, ganhamos da forma como queríamos, mas não significa que ter jogado com um homem a mais desde o primeiro tempo nos ajudou, fomos contundentes e isso é importante”, avaliou o jogador, na zona mista do Mineirão.

O Uruguai abriu o placar aos cinco minutos do primeiro tempo, com um golaço de Lodeiro. Aos 23, o lateral direito Quintero foi expulso, o que tornou as coisas mais difíceis para o Equador. Cavani e Suárez, aos 32 e 43 minutos, ampliaram para o Uruguai antes do intervalo. Mina, contra, fechou o placar na etapa final.

“Também mudou a partida o gol que fizemos nos primeiros minutos e a expulsão fez o jogo ainda mais favorável para nós. Foi uma partida perfeita”, disse o atacante do Barcelona, que despistou quando questionado se a Celeste era a favorita ao título.

“Não. Temos a mesma responsabilidade que tínhamos antes da Copa, com a mesma ilusão, com a mesma vontade de quando começamos o torneio. Este resultado não muda em nada como vamos disputar a Copa”, concluiu.

Com os primeiros três pontos ganhos, o Uruguai assumiu a liderança do Grupo C da Copa América. Pela segunda rodada, o time de Óscar Tabárez enfrenta o Japão, na próxima quinta-feira, às 20 horas (de Brasília), na Arena Grêmio.