São Paulo conclui instalação dos novos telões no Morumbi - Gazeta Esportiva
Copa América Copa América

Telões foram instalados e testados com sucesso (Foto: Igor Amorim/SPFC)

O São Paulo anunciou nesta terça-feira a conclusão da instalação dos dois novos telões no Estádio do Morumbi. As estruturas, posicionadas nas arquibancadas leste e oeste do estádio, foram testadas durante o fim de semana e apresentaram o resultado esperado.

Os novos telões do Morumbi têm 20,16 metros de largura por 7,68 metros de altura e pesam 24 toneladas cada. Além disso, a resolução da imagem é de 2016 x 768 pixels, prometendo imagem de qualidade apesar da distância das arquibancadas para a estrutura.

Diretor executivo de infraestrutura do clube, Eduardo Rebouças espera que o torcedor seja impactado pelos telões. “Nosso esforço foi em trazer um equipamento que realmente tivesse um impacto para o torcedor e fizesse diferença para quem vem ao estádio. Os primeiros testes nos dão a certeza de que a gestão atingiu seu objetivo e conseguimos trazer uma melhoria importante para nosso estádio”.

As estruturas foram instaladas nas arquibancadas leste e oeste (Foto: Igor Amorim/SPFC)

Os telões serão usados em jogo pela primeira vez nesta sexta-feira, na abertura da Copa América. Às 21h30 (de Brasília), a Seleção Brasileira estreia enfrentando a Bolívia. O Morumbi receberá outros dois confrontos da primeira fase: Japão x Chile, na próxima segunda-feira, e Colômbia x Catar, na quarta-feira seguinte (19).

O primeiro encontro do torcedor são-paulino com os novos telões será no dia 14 de julho, um domingo, quando o Tricolor recebe o rival Palmeiras pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro.



Conquistar o título! Essa é a ambição da seleção do Uruguai na Copa América, ao menos para o meio-campista Rodrigo Bentancur, um dos símbolos da nova geração da Celeste. Nesta terça-feira, em entrevista coletiva concedida após o treino Montevidéo, o volante da Juventus pregou que se deve ter atenção em todas as partidas, mas revelou pensar apenas em erguer a taça no Brasil.

“Sonhamos ganhar a Copa América, mas primeiro temos objetivos curtos que são vencer as próximas partidas. E depois o objetivo maior, que é vencer a Copa. O mesmo aconteceu com o Mundial (da Rússia), mas não foi possível. Agora o objetivo principal é voltar com a taça”, disse Rodrigo Bentancur, que concedeu entrevista ao lado de Lucas Torreira.

Bentancur admitiu a ambição de conquistar a Copa América (Foto: Pablo PORCIUNCULA BRUNE/AFP)

O jogador do Arsenal, por sua vez, ficou responsável pelo discurso tático e de análise dos adversários na primeira fase da competição. Para Torreira, ambos os compromissos serão complicados e um bom início será fundamental para a confiança do grupo e estabilização do elenco a fim da conquista do título.

“Enfrentamos o Japão em uma viagem pela Ásia. É um rival muito difícil, sofremos nessa partida. Contra Equador e Chile nunca joguei, mas são rivais complexos. Mais perto das partidas vamos fazer uma análise com mais profundidade do Equador e dos demais rivais para ver quais serão nossas possibilidades”, finalizou Torreira, que terá a presença da família in loco durante a Copa América.

Membro do Grupo C da competição, o Uruguai terá pela frente Equador, Chile e Japão na primeira fase. E a estreia Celeste será justamente contra os equatorianos, no próximo domingo, no Mineirão, em belo Horizonte. Depois, os comandados de Óscar Tabárez enfrentam os japoneses no dia 20 em Porto Alegre e encerram a fase de grupos contra o Chile, dia 24, no Maracanã.



A estreia da Seleção Brasileira na Copa América, marcada para esta sexta-feira, às 21h30 (de Brasília), contra a Bolívia terá um argentino no apito. Nesta terça, por meio de seu twitter, a Conmebol definiu as equipes de arbitragem para os primeiros compromissos da competição e determinou Néstor Pitana como o responsável para comandar o jogo no Estádio do Morumbi.

Aos 43 anos, Pitana possui experiência em grandes jogos, entre eles a abertura da Copa do Mundo de 2018 entre Rússia e Arábia Saudita, além da decisão, quando a França bateu a Croácia. Neste primeiro jogo da Copa América, ele será auxiliado dentro de campo por outros dois compatriotas: Hernán Maidana e Juan P. Belatti. O também argentino Patricio Loustau irá operar o VAR.

Néstor Pitana também possui no currículo partidas apitadas da Seleção Brasileira. Dia 25 de março de 2016, nas Eliminatórias da Copa do Mundo, na Arena Pernambuco, Brasil e Uruguai empataram em 2 a 2. Renato Augusto e Douglas Costa marcaram para os donos da casa, ainda comandados por Dunga, enquanto a dupla Cavani e Luís Suárez balançou as redes para o time uruguaio.

Além da estreia, a Conmebol também definiu as equipes de arbitragem para os jogos Venezuela x Peru, marcado para sábado, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, às 16h (de Brasília), e Argentina x Colômbia, que acontece no mesmo dia, às 19h (de Brasília), na Fonte Nova, em Salvador.

O confronto entre venezuelanos e peruanos será liderado por um trio colombiano: Wilmar Roldan apita, auxiliado por Alexander Guzmán e Jhon A. Leon. O uruguaio Leodán Gonzalez ficará responsável pelo árbitro de vídeo. Já o encontro em solo baiano terá um trio chileno comandado por Roberto Tobar. Christian Schiemann e Claudio Rios serão os auxiliares. Julio Bascuñan opera o VAR.



Com início marcado para a próxima sexta-feira, com a partida entre Brasil e Bolívia no Estádio do Morumbi, em São Paulo, a Copa América terá segurança reforçada em solo brasileiro, principalmente contra os tradicionais ‘barrabravas’ e torcedores violentos. A estratégia de contenção terá uma tecnologia de reconhecimento facial nos estádios durante toda a competição.

De acordo com a AFP, o país, que possui um histórico de organizar megaeventos, como a Copa do mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, segue em preparação para conter qualquer problema e garantir a segurança das delegações, autoridades e turistas, evitando a entrada dos torcedores conhecidos por brigas e depredações.

Brasil será sede da Copa América, disputada entre os dias 14 de junho e 7 de julho (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

“Com toda a expertise dos grandes eventos que já fizemos, posso garantir que nós temos condições totais de termos uma Copa América segura”, disse César Martinez, diretor de Operações Integradas no Ministério de Justiça e Segurança, à AFP.

O primeiro filtro será nos aeroportos, portos e fronteiras terrestres. Os torcedores com antecedentes criminais em seus países serão parados no controle migratório. Além disso, a Argentina forneceu uma lista de 5.000 barrabravas. Essa base de dados, junto com a de outros países, “é atualizada diariamente”, disse Martinez. Outro filtro estará nos estádios, que vão contar com tecnologia de reconhecimento facial.

“Trabalhamos em parceria com os organismos de segurança pública e Interpol para impedir que um indivíduo indesejado, que já tenha causado distúrbios ou possa causá-los, entre nos estádios”, disse Hilario Medeiros, gerente de Segurança do Comitê Organizador Local (COL) da Copa América.

A vigilância nos estádios vai ficar a cargo de 10.000 agentes de segurança privada contratados pelo COL, informou Medeiros. Os entornos serão vigiados pelas polícias de cada estado. O esquema inclui um estudo cuidadoso dos trajetos dos ônibus de esportistas e torcedores, levando em conta os incidentes registrados durante a final da Libertadores em 2018 em Buenos Aires.

O jogo de abertura entre Brasil e Bolívia, na sexta-feira no Estádio Morumbi, terá um efetivo reforçado, devido à possível presença do presidente Jair Bolsonaro. A proteção ao chefe de estado é mais rigorosa desde a facada que quase tirou a vida do chefe de estado durante um ato de campanha em setembro do ano passado. O Batalhão de Ações com Cães (BAC) vai vasculhar as instalações em busca de possíveis bombas.



Mesmo já tendo participado de 13 continentais, foi a primeira vez que a Venezuela sediou uma Copa América – aliás era o único país da Conmebol que ainda não tinha recebido o torneio. Além dos países da América do Sul, estiveram presentes México e Estados Unidos. No futebol, nem sempre o melhor time no papel consegue prevalecer. Brasil e Argentina chegaram para a decisão com elencos de níveis contrastantes, mas a rivalidade de sempre.

A seleção dos hermanos estava incrível no campeonato, com 100% de aproveitamento até a final. Uma das melhores seleções que a Argentina já teve, com nomes como Roberto Ayala, Javier Zanetti, Hernán Crespo, Carlos Tévez, Mascherano, Cambiasso, Messi e muitos outros grandes astros. A albiceleste claramente estava na Copa para ganhar. Por outro lado, o Brasil não contava com seus maiores nomes – uma equipe composta de bastante promessas – mas mesmo assim não estava na competição para brincadeira.

A Seleção canarinha teve alguns lampejos de ótimo futebol, como nos 6 a 1 em cima do Chile de Valdívia, nas quartas-de-final. Mas a trajetória brasileira foi muito mais tortuosa do que tranquila, com direito a uma dramática partida nas semifinais decidida nos pênaltis contra o Uruguai. Já os hermanos conseguiram impor a superioridade de seu elenco durante todo o torneio. Passaram no mata-mata sem nenhum esforço por Peru e México.

Era mais do que evidente que a Argentina era a favorita para a final contra o Brasil. O que ninguém esperava era um golaço de Júlio Baptista logo aos quatro minutos de jogo. A partir daí, o jogo ficou bastante disputado, com grandes chances dos dois lados. Porém, valeu a pressão dos brasileiros, que fizeram o zagueiro argentino Ayala acertar o próprio gol, aumentando a vantagem. Os albicelestes tentaram, contudo, aos 25 do segundo tempo, Daniel Alves fechou o caixão. O Brasil, além de trazer o oitavo título, manteve a fila da Argentina de, naquela época, 14 anos e que hoje se estende para 26 anos sem um título continental.



Durante a preparação da Seleção Brasileira na Granja Comary, Tite foi questionado se o atual elenco, convocado para disputar a Copa América, é superior ao grupo que foi à Copa do Mundo da Rússia, ano passado, também sob a sua batuta.

“Principalmente no setor de meio-campo, no quarteto. Ele proporciona formatações diferentes, sim. Com diferentes composições”, cravou o gaúcho.

Quis o destino que justamente o setor central da equipe ganhasse um problema de última hora. Arthur levou uma pancada no joelho direito ainda durante o primeiro tempo do amistoso contra Honduras e pode ser desfalque para a Seleção na estreia do torneio continental, agendada para às 21h30 (horário de Brasília) de sexta-feira, contra a Bolívia, no estádio do Morumbi.

As ideais de Tite, então, podem ser colocadas à prova, caso o ex-gremista realmente não reúna condições de jogar. Após passar por exames, Arthur ficará entregue aos fisioterapeutas e está vetado dos treinamentos até segunda ordem.

Na Seleção Brasileira, o reserva imediato do atleta do Barcelona é Allan, que inclusive entrou em seu lugar frente aos hondurenhos “para ser esse jogador de infiltração”, como explicou Tite.

Mas, as combinações são muitas na cabeça do técnico.

“Casemiro com Arthur. Casemiro com Fernandinho. Casemiro com Allan. Eles te dão três combinações que, conforme o jogo te pedir, tu podes trabalhar”, disse Tite, antes de se alongar na resposta tática.

“Com Casemiro e Arthur, tu tens um articulador e um jogador mais posicional, e tu tens o teu lateral para um plano médio, senão fica exposto o lado direito”, detalhou, deixando claro como o posicionamento do meio de campo do Brasil pode influenciar no jogo de Daniel Alves.

“Pode ter Arthur e Fernandinho, dentro desse mesmo princípio. E pode ter Fernandinho com Casemiro para dar uma liberdade maior para o lateral ser criador e ter recomposição”, concluiu.

Nessa terça, Tite terá, a exceção de Arthur, todo o restante do elenco à disposição para o treinamento no estádio do Pacaembu. A princípio, o momento tático será fechado à imprensa. A definição da equipe, porém, só deve sair na quarta, em atividade totalmente privada, ou seja, sem a presença de jornalistas no mesmo palco paulistano.

 



A presença de Arthur na estreia da Seleção Brasileira na Copa América 2019 é cada vez mais incerta. O volante, que em tese seria titular da equipe de Tite, fez exames de imagem na tarde dessa segunda-feira, em São Paulo, por causa de uma pancada no joelho direito.

A assessoria da CBF informou no início da noite que o jogador ficará afastado dos treinamentos, entregue aos fisioterapeutas e em constante observação. Os resultados dos exames não foram revelados.

Arthur deve ser titular, se tiver condições de jogo (Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

O Brasil estreia na sexta, contra a Bolívia, no estádio do Morumbi. Nos dois próximos dias, a equipe trabalhará no estádio do Pacaembu, que já foi palco da atividade dessa segunda. O treinamento de quarta-feira será totalmente fechado à imprensa.

Allan é o substituto natural de Arthur no time brasileiro. Tite, que ainda no Sul tranquilizou sobre o ex-gremista, agora já percebe uma preocupação maior sobre o caso.

Um carrinho do hondurenho Quioto ainda no primeiro tempo do amistoso deste domingo, em Porto Alegre, foi a causa de todo o problema. Em um cenário mais grave, Tite tem até 24 horas antes da estreia na Copa América, agendada para sexta-feira, às 21h30, frente a Bolívia, para solicitar à Conmebol a substituição de um convocado por meio de comprovação do exame médico.

O Brasil já perdeu Neymar para a competição depois do camisa 10 sofrer um entorse no tornozelo direito durante amistoso contra o Catar, quarta-feira passada. Willian foi chamado para o lugar do atacante do PSG.

Folga
O grupo da Seleção foi liberado da concentração para um breve período de folga até às 10h desta terça, quando todos deverão se apresentar no hotel em que a delegação está hospedada, na Vila Mariana, em São Paulo. O treinamento está marcado para às 16h.



Seleção feminina é apenas a oitava favorita ao título mundial (Foto: Jean-Pierre Clatot / AFP)

Um estudo divulgado pela Escola de Matemática Aplicada da FGV (EMAp/FGV) projetou os resultados da Copa América e da Copa do Mundo Feminina. Baseados em análises estatísticas e simulações, os dados apontam a ordem dos favoritos para vencer cada torneio.

Segundo a instituição, a Seleção Brasileira masculina tem mais chances de vencer o torneio sul-americano, com 52% de probabilidade. Em seguida, aparece o Uruguai, com 12%. Em relação ao torneio feminino, o Brasil é apenas o oitavo no ranking, com 3%. O primeiro lugar fica com os Estados Unidos, que possuem 28% de chances de ganhar.

Os resultados não levam em conta apenas o aproveitamento do time. “Vitória ou derrota, apenas, não são fatores definitivos, porque tudo depende de quem era o adversário. Ganhar de um time mais fraco pode ter um peso igual a empatar com uma potência do esporte, por exemplo”, explica Moacyr Silva, professor da EMAp/FGV e coordenador do estudo.

Todos os resultados dos mais de 200 times masculinos e mais de 150 times femininos inscritos na FIFA, ao longo dos últimos quatro anos, foram contabilizados, dando maior peso para os mais recentes. Assim, o ataque e a defesa de cada time receberam notas, além da estimativa de quantos gols tendem a marcar e levar, de acordo com o adversário. Para chegar às estimativas sobre os dois torneios, cada partida foi simulada cem mil vezes.

Confira as informações completas nos sites lançados pela EMAp/FGV: 

Copa do Mundo Feminina: public.tableau.com/profile/antonio.neto6319#!/vizhome/ChancesnaCopadoMundoFeminina/Painel1

Copa América: public.tableau.com/profile/antonio.neto6319#!/vizhome/ChancesnaCopaAmrica/Painel1



Embaixador boliviano foi visitar o técnico da seleção (Foto: Divulgação)

Neste domingo, Eduardo Villegas recebeu a visita do embaixador, Jorge Ledesma, e de alguns bolivianos que residem no Brasil. A poucos dias da estreia na Copa América, o treinador destacou a presença de torcedores no país e espera que isso possa fazer a diferença.

“É motivador, emocionante, ficamos agradavelmente surpresos por ter autoridades aqui e que nos trazem a mensagem dos bolivianos que estão no Brasil. Sabemos que haverá muitos bolivianos no estádio e estamos agradecidos por esta visita”, disse Villegas.

Eduardo Villegas revela privilégio em enfrentar a Seleção Brasileira (Foto: Divulgação)

A Bolívia vai enfrentar a Seleção Brasileira na estreia da competição. Para o duelo do dia 14, no Morumbi, às 21h30 (de Brasília), o comandante espera muita garra de seus jogadores. Para ele, esta é a chance para conseguir pontuar.

“É um privilégio enfrentar o Brasil, o mesmo que tivemos contra a França, queremos fazer bem. Sabemos que estamos um pouco abaixo do resto, mas sabemos que isso pode ser nivelado, é uma questão de atitude, de garra e é isso que estamos pregando e incutindo”, revelou.

No último teste antes do torneio continental, neste domingo, a seleção boliviana fez um jogo treino contra o sub-20 do São Paulo, em Cotia. O time de Eduardo Villegas levou e melhor e venceu por 4 a 1. Os gols foram marcados por Marcelo Moreno, Marvin Bejarano, Gilbert Alvarez e Paul Arano.



José Pedro Fuenzalida e Pedro Pablo Hernández foram os jogadores responsáveis por dar a primeira entrevista coletiva da seleção chilena no Brasil, nesta segunda-feira. Em Itu se preparando para a Copa América, eles falaram sobre a responsabilidade de defender o título da competição.

“É um título que devemos defender e o faremos da melhor maneira”, revelou Fuenzalida. “Nós focamos claramente nos três primeiros jogos. Espero que estejamos a altura de uma equipe que defende a Copa América”, falou.

Fuenzalida espera Chile forte para defender o título (Foto: Carlos Parra/ANFP)

O meia da Universidad Católica ainda enfatizou a importância do tempo de treinamento em Itu antes do início da competição. Pablo Hernández, por sua vez, falou sobre a importância de ter um jogador como Alexis Sánchez no elenco. Para ele, ter um atleta dessa categoria é melhor para todos.

“Ele é importante para a seleção. Ter um jogador dessa categoria, que está bem, é o melhor para todos. Ele se sente melhor a cada vez e esperamos que ele esteja bem para o início da Copa”, destacou o meia.

Pablo Hernández revela dificuldade da partida de estreia contra o Japão (Foto: Carlos Parra/ANFP)

O adversário na estreia da seleção chinela será o Japão. Sobre o confronto do dia 17 de junho, no Morumbi, às 20h (de Brasília), o jogador do Independente revelou que estão acompanhando vídeos do adversário.

“É um time difícil, estivemos vendo algumas partidas que jogaram. Vai depender muito do que fizermos. É um rival físico e rápido, mas acredito que com a posse de bola podemos complicá-los”, antecipou.


×
Quer receber notícias do São Paulo?