Futebol

Relembre 10 polêmicas relacionadas ao VAR no Brasileirão

São Paulo , SP
12/07/2019 08:00:35

Em: Brasileiro Série A, Corinthians, Futebol, Notícias, Palmeiras, Santos, São Paulo
VAR protagonizou polêmicas nas nove primeiras rodadas do Brasileirão (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

O árbitro de vídeo foi a grande novidade da edição de 2019 do Campeonato Brasileiro. Todas as partidas da competição contaram com o auxílio da tecnologia para revisar decisões de arbitragem que foram tomadas dentro de campo. Apesar da busca pela redução de erros, o Brasileirão já contou com alguns episódios polêmicos envolvendo o VAR.

A Gazeta Esportiva relembra dez polêmicas que aconteceram entre a primeira e a nona rodada, antes da parada para a Copa América. Confira os jogos abaixo:

Bahia 3 x 2 Corinthians – 1ª rodada

Logo na rodada inicial, o árbitro de vídeo já foi assunto muito comentado por conta de uma possível penalidade não marcada para o Corinthians. Quando o jogo ainda estava 1 a 1, Ralf foi puxado dentro da área pelo lateral-esquerdo Moisés, porém o juiz nada marcou. O VAR não interferiu e causou revolta na torcida, que circulou um vídeo mostrando o puxão sofrido pelo volante do Timão dentro da área.

Fluminense 0 x 1 Goiás – 1ª rodada

Ainda na primeira rodada, o VAR entrou em ação diversas vezes na partida entre Fluminense e Goiás. Os dois times reclamam de erros de arbitragem de Dewson Freitas. O Esmeraldino protesta contra a anulação do gol de cabeça de Leandro Barcia, que teria empurrado Gilberto antes de desviar a bola. Do outro lado, o Tricolor aponta erro da arbitragem ao invalidar gol de Everaldo, que finalizou de fora da área. O juiz interpretou que Luciano, que não tocou na bola, interferiu na visão do goleiro.

Atlético-MG 2 x 1 Avaí – 1º rodada

O Avaí reclama de um gol anulado contra o Atlético-MG. Betão completou de mão escanteio batido da direita e marcou para o Leão da Ilha. No entanto, a reclamação do time catarinense deve-se ao fato de que o zagueiro Leonardo Silva empurrou Betão antes do toque de mão, o que poderia ser interpretado como uma penalidade para o Avaí.

São Paulo 1 x 1 Flamengo – 3ª rodada

Logo no início da partida, Pato recebeu uma pancada enquanto subia para disputar uma bola com o zagueiro Thuler. O atacante do São Paulo teve que sair do jogo e ainda teve uma lesão constatada no ligamento das vértebras. O defensor do Mengão recebeu apenas o cartão amarelo do árbitro Ricardo Marques Ribeiro, revoltando os são-paulinos, que queriam o vermelho.

Botafogo 1 x 0 Fortaleza – 3ª rodada 

O time comandado por Rogério Ceni reclama de um pênalti não marcado em cima de Wellington Paulista. Ainda no primeiro tempo, o centroavante foi calçado pelo lateral-esquerdo Gilson. O VAR recomendou que o árbitro Wagner Reway revisasse o lance, porém o juiz manteve sua decisão de não assinalar a penalidade após assistir ao lance na cabine.

Botafogo 0 x 1 Palmeiras – 6ª rodada

A polêmica mais comentada em todo o Campeonato Brasileiro foi parar até no STJD. Na partida entre Botafogo e Palmeiras, Deyverson foi derrubado por Gabriel dentro da área, porém o árbitro Paulo Roberto Alves não marcou pênalti. No entanto, depois do VAR sugerir que o juiz revisasse, a penalidade foi marcada. O time carioca reclama que o jogo já havia sido reiniciado quando Paulo Roberto Alves foi conferir a imagem na cabine.

Santos 0 x 0 Internacional – 6ª rodada

No empate sem gols com o Internacional, o Santos reclama de um lance envolvendo Rodrygo dentro da área. O atacante, que agora está no Real Madrid, foi derrubado por Cuesta e o árbitro Rodolpho Toski Marques marcou o pênalti. No entanto, o VAR recomendou a revisão do lance. Toski, então, optou por voltar atrás e não marcar a infração.

São Paulo 1 x 1 Cruzeiro – 7ª rodada

O árbitro Braulio da Silva Machado teve uma tarde agitada no Pacaembu no confronto entre São Paulo e Cruzeiro. Os dois times reclamam de pênaltis não marcados na partida. Primeiro, a Raposa ficou na bronca pelo juiz não ter marcado a penalidade em lance que Anderson Martins bloqueou com a mão uma finalização de Lucas Romero de fora da área. Enquanto isso, o Tricolor reclama de uma jogada na qual Vitor Bueno foi empurrado por Dedé dentro da área. Apenas o lance do Cruzeiro foi revisado na cabine por Braulio.

Bahia 0 x 0 Ceará – 8ª rodada

No empate sem gols entre Bahia e Ceará, o Tricolor reclama de pênalti não marcado em Artur no segundo tempo. O meia-atacante foi derrubado dentro da área pelo pelo zagueiro Valdo depois de tentar um drible. O árbitro Thiago Duarte Peixoto nada marcou e o VAR não recomendou a revisão do lance.

Goiás 3 x 1 Chapecoense – 8ª rodada 

A Chapecoense reclama de dois lances na derrota para o Goiás. Primeiro, o clube catarinense contra o pênalti marcado após Márcio Araújo dividir com Léo Sena dentro da área. O árbitro Igor Júnior Benevenutto a princípio não assinalou a penalidade, porém mudou de ideia após revisar o lance na cabine por orientação do VAR. Depois, a Chape ainda reclama da expulsão de Bruno Pacheco, que deu uma entrada dura no atacante Michael. O juiz sequer foi conferir a imagem do lance.