Treinador do PSG diz não ter medo de intervir em briga de Neymar e Cavani

São Paulo, SP

17-09-2017 20:43:16

A vitória do Paris Saint-Germain sobre o Lyon não trouxe apenas boas notícias para o torcedor parisiense. Um dos lances capitais da partida, que terminou em 2 a 0, foi a penalidade sofrida por Mbappé. A escolha do batedor gerou um princípio de conflito entre Neymar e Cavani, principalmente depois que o Uruguaio perdeu a cobrança. Depois do jogo, o treinador Unai Emery fez questão de acalmar os ânimos e evitar qualquer princípio de polêmica envolvendo os jogadores.

Leia mais: PSG segue 100% e vence o Lyon em partida marcada por polêmica

"Questões como a de hoje serão resolvidas internamente, pelo grupo. Há vários atletas capazes de bater os pênaltis, não possuímos uma lista de hierarquia. Acredito que os dois sejam capazes de chegar a um acordo, porque se não se resolverem quem vai decidir sou eu. Não quero que isto vire um problema para o restante do elenco", disse o treinador em entrevista após o jogo.

O lance polêmico aconteceu aos 32 minutos da segunda etapa. Logo após a confirmação da penalidade, Cavani já se preparou para bater. O brasileiro, no entanto, foi conversar com o uruguaio e pediu para bater, mas o camisa nove foi irredutível ao pedido. Depois de ter o chute defendido pelo goleiro Anthony Lopes, a polêmica tomou grandes proporções e foi tema das entrevistas. O clima começou a esquentar um pouco antes, quando Daniel Alves não deixou Cavani bater uma falta e entregou a bola para Neymar.

Sobre o jogo, Unai Emery revelou ter se surpreendido com a postura do Lyon e afirmou que não acreditava em tanta dificuldade. "Esperava que tivéssemos mais tranquilidade, mas é sempre bom ganhar partidas assim, difíceis. Temos muito respeito por todos os times do campeonato e o Lyon já nos deu muito trabalho na última temporada", declarou o treinador.

 

Deixe seu comentário