Gazeta Esportiva

Derick fica na bronca com arbitragem, mas vê Santos "mais pronto" para vencer a Copinha

São Paulo, SP

17/01/23 | 17:20 - 17/01/23 | 22:16

O Santos passou sufoco, mas bateu o Água Santa nesta terça-feira, por 1 a 0, em Diadema, e avançou às quartas de final da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Mesmo com a classificação, o capitão do Peixe, Derick, ficou na bronca com o apito e não poupou críticas às decisões do árbitro da partida, Lucas Canetto Belotte.

Já com a vantagem no placar, os Meninos da Vila viram a arbitragem expulsar o volante João Victor Balão, após o jogador acertar o adversário em disputa aérea, além de questionarem dois pênaltis não marcados durante o jogo. O zagueiro não gostou e classificou as decisões como "tendenciosas".

"A gente sabia que ia ser difícil, ainda mais por ser aqui em Diadema, na casa do adversário. Mas nós estávamos bem preparados, soubemos sofrer no fim com um a menos. Mas também queria falar sobre a arbitragem. Achei que eles foram tendenciosos no lance do Balão, que ele foi disputar de cabeça, e não merecia levar o segundo amarelo. Teve outro lance no ataque que o jogador deles só pegou o Fernandinho dentro da área. Acho que a arbitragem tem que melhorar, mas nosso time está de parabéns", reclamou ao SporTV após o final do confronto.

Em contrapartida, Derick vê o time em crescimento e "mais preparado" para conquistar o título da competição. No último ano, o Santos chegou à final do torneio, mas ficou com o vice após ser derrotado pelo Palmeiras no Allianz Parque, por 4 a 0.

"Com certeza nós queremos ir com tudo para vencer. E agora chegamos mais fortes, com um time bem mais preparado, que já tem a experiência da Copinha passada. Vamos trabalhar bastante. É se organizar para chegar nessa final e, se Deus quiser, dessa vez sair com o título", disse.

Na próxima fase da Copa São Paulo, os Meninos da Vila encaram o Fortaleza, que bateu o Ibrachina, por 1 a 0, em Santo André.

O Peixe soma até o momento cinco vitórias e apenas uma derrota em seis compromissos disputados na competição. A equipe de Orlando Ribeiro busca quebrar um jejum de quase nove anos sem vencer o torneio de base mais tradicional do Brasil.

Deixe seu comentário