Carille evita falar de arbitragem e aponta erros do Santos contra o Atlético-MG: "Incomoda demais"

Lucas Musetti Perazolli - Santos,SP

13-10-2021 21:46:29

O técnico Fábio Carille lamentou os erros do Santos na derrota por 3 a 1 para o Atlético-MG na noite desta quarta-feira, no Mineirão, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O treinador evitou falar da arbitragem polêmica de Paulo Roberto Alves Junior (PR). Quatro pênaltis foram checados e dois marcados para o Galo.

"Ainda não vi (os lances) Conversei com os atletas para assimilarmos esse golpe antes da decisão de domingo. Sei que a bola aérea incomoda o Santos há muito tempo e hoje nos incomodou. Falhamos depois de nos comportarmos bem contra São Paulo e Grêmio", disse Carille, em entrevista coletiva.

"VAR faz parte das competições e não temos como fugir disso. Nossa concentração tem que ser maior. Nos comportamos bem na defesa, achamos o gol e sofremos logo na sequência, numa bola de frente, que deixamos antecipar. Cabeceio na nossa área em falta... Independentemente das paradas, concentração precisa ser total. Isso faz parte do futebol e não é desculpa. Não podemos tomar esses gols para que possamos escapar das últimas colocações", completou o técnico.


Carille mostrou chateação com os erros defensivos do Santos pelo alto, ponto forte do Atlético-MG. E disse que preferia que o Galo tivesse mérito em seus gols.

"A gente sabia da dificuldade de hoje. É natural que adversário se atire depois de fazermos o gol. Eu queria que ocorresse o gol por mérito deles, não por erros nossos. Bola aérea incomoda demais o Santos. Fomos bem contra São Paulo e Grêmio e falhamos hoje. Futebol é decidido nos detalhes na maior parte das vezes. E temos que estar mais atentos. Os três gols não foram por questão de posicionamento. Se olharmos para trás estamos ferrados, precisamos olhar para a frente. Faltam 13 jogos. Se olhar e levar o que o Santos fez até agora fica ruim e não nos leva a nada. É melhorar com os erros daqui para frente, consertar e melhorar as coisas boas. Vou olhar para frente", avaliou.

"Temos que estar mais atentos. Concentração lá em cima, ainda mais em jogo decisivo. Estamos perto (do Sport) na tabela. Não posso reclamar de vontade, de entrega, desde o início correndo e lutando, mas temos que ter mais concentração e jogar mais, sim. Nos desfazemos da bola às vezes e precisamos controlar mais. Em certos momentos conseguimos, outros não. Vamos assimilar o golpe o quanto antes. Tristes, sim, mas assimilar o golpe para amanhã de cabeça erguida começar a preparação para a decisão de domingo. Ficamos chateados com a derrota e muitos olham só para o ruim. Precisamos corrigir e também enaltecer o que foi bom. O líder finalizou 10 vezes contra o nosso gol, sendo que duas de pênalti. Bloqueamos um time que tem volume, que tem ideia bem definida e está há bastante tempo junto e não lidera por acaso. Amanhã vamos treinar pela manhã, passar detalhes da partida e falar o que precisamos melhorar o quanto antes por um jogo equilibrado em Recife. Marcando e chegando forte. É um jogo decisivo como foi contra o Grêmio", concluiu.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Sport no domingo, às 20h30, na Ilha do Retiro, pela 27ª rodada do Brasileirão.

Deixe seu comentário