Futebol

Por interferência externa, Ponte pedirá anulação do jogo da Copa do Brasil

São Paulo , SP
13/02/2019 13:37:01

Em: Copa do Brasil, Futebol, Ponte Preta

Nesta quarta-feira, a Ponte Preta anunciou que irá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça Despoitva (STJD) pedindo a anulação da partida de terça-feira contra o Aparecidense de Goiânia pela Copa do Brasil, alegando interferência externa sobre a arbitragem.

Segundo o clube, o seu departamento jurídico já está levantando todas as imagens e provas necessárias para o abrir o processo, o que pretende fazer o mais rápido possível.

Ponte Preta reclama de interferência externa sobre a arbitragem (Foto: Reprodução)

A polêmica aconteceu aos 44 minutos do segundo tempo, quando Hugo Cabral balançou as redes e o gol foi validado pelo juiz Léo Simão Holanda. No entanto, o jogador estava em posição irregular e os atletas do Aparecidense foram para cima do árbitro indignados com o erro. Depois de oito minutos de muita confusão, o juiz voltou atrás, assinalou o impedimento e anulou o tento pontepretano.

“Ficou claro que o árbitro corrigiu um erro com outro, porque havia validado o gol e só voltou atrás por interferência externa, o que pela regra não pode. VAR só tem na fase final e a TV tem imagem do delegado da partida entrando no campo, falando com o árbitro e o quarto arbitro. É nítido que as regras foram quebradas”, disparou o Executivo de Futebol da Macaca, Marcelo Barbarotti.

“A Copa do Brasil é apontada como a competição mais democrática do país, mas as regras precisam ser seguidas. Ninguém está discutindo o impedimento em si e sim interferência do delegado da partida. Tivemos algo similar na final do Paulista e temos a convicção de que fomos prejudicados ontem. Estamos pedindo a anulação em respeito ao clube e ao torcedor, em busca de uma moralização. O delegado não tinha esse direito”, concluiu o dirigente.




  • João Leocádio da Anunciação

    Agora virão os “defensores da verdade” argumentarem que a “justiça” foi feita, afinal o gol seria irregular… A questão não é se o lance foi ou não irregular, a questão é que, como no Paulisteca do ano passado, “sapos de fora” decidiram o lance.