Futebol Internacional

Além de protestarem, torcedores do PSG se reúnem com os jogadores

São Paulo , SP
11/03/2019 13:41:44

Em: Futebol, Futebol Francês, Futebol Internacional, Liga dos Campeões, Notícias, Paris Saint Germain
Grupo de torcedores teve uma reunião com o elenco antes do treinamento (Foto: Divulgação/PSG)

Depois da eliminação para o Manchester United na Liga dos Campeões na última semana, o Paris Saint-Germain teve uma sessão de treinamento tensa neste domingo. De acordo com o jornal francês L’Equipe, mais de uma centena de torcedores organizados estiveram no estádio Parque dos Príncipes na reapresentação do elenco para protestar e exigir uma melhor atitude do grupo de jogadores. Houve uma reunião entre os aficionados e os atletas antes do treino.

Inicialmente marcada para o centro de treinamento do clube, a atividade foi remarcada pelo PSG para o Parque dos Príncipes como uma medida de segurança. 30 minutos antes do início do treinamento, parte dos torcedores esteve em uma reunião com o elenco, com o intuito de demonstrar a indignação com a eliminação na competição europeia. Em nenhum momento houve qualquer tipo de agressão, porém o jornal relatou que o clima do encontro foi tenso.

Quando os jogadores foram a campo para o início das atividades, os torcedores fizeram uma cortina de fumaça, vaiaram e insultaram o elenco de diversas formas. “Nem valor nem honra! Comprem culhões ou vão embora”, foi um dos gritos. Mesmo depois de jogadores como Thiago Silva e Marquinhos dialogarem com os manifestantes, os protestos permaneceram durante todo o treinamento comandado pelo treinador Thomas Tuchel.

Na última sexta-feita, a torcida organizada do PSG publicou uma nota com muitas críticas à postura da equipe e ao insucesso do time na Liga dos Campeões, mesmo com tanto investimento feito pelo clube em contratações. Segundo o comunicado, a eliminação para o Manchester United foi motivo de “vergonha” e “humilhação”. Além de afirmarem que o time tornou-se “o motivo de riso da Europa”, os torcedores finalizaram a nota ameaçando: “Não iremos mais aceitar que vocês manchem nossas cores e a honra de nossa cidade dessa maneira”.