Gazeta Esportiva

WTorre justifica campo encharcado e cita chuva “acima do normal”

São Paulo, SP

30/09/17 | 21:05 - 30/09/17 | 23:58


A primeira partida no novo campo do Estádio Palestra Itália acabou disputada longe das condições ideais. De acordo com a WTorre, administradora da arena, o terreno encharcado durante o jogo entre Palmeiras e Santos foi consequência da chuva intensa deste sábado, aliada ao plantio recente da grama.

Após uma série de shows, a WTorre promoveu a troca do campo nesta semana e esperava que o gramado já reunisse condições para receber o clássico pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. A chuva registrada na região do estádio, porém, não estava nos planos.

“Um volume de chuva muito acima do normal atingiu a arena nesse sábado. O que ocorre é que como os rolos de grama pré-plantados possuem uma espessura muito grande para sua fixação no campo, a drenagem ocorre de forma um pouco mais lenta do que de costume. Se fosse uma chuva menos intensa, não haveria nenhum tipo de problema”, diz a nota enviada pela assessoria de imprensa.

A porção do campo mais próxima aos bancos de reservas do Palestra Itália ficou comprometida e dificultou a condução de bola de palmeirenses e santistas. No restante do gramado recém-plantado, as condições eram melhores, suficientes para a bola rolar.

Minutos antes de os dois times entrarem em campo, houve ainda uma queda de energia no Estádio Palestra Itália. O imprevisto foi resolvido rapidamente, mas atrasou o protocolo oficial antes do início da partida, inicialmente programada para as 19 horas (de Brasília).

Veja nota oficial da WTorre:

O Allianz Parque tem investido pesado nos últimos meses para desenvolver em nosso país nova tecnologia de plantio rápido do gramado. Essa inovação tem se mostrado extremamente eficaz, garantindo ao Palmeiras, além de um número maior de jogos em sua casa, um gramado de alta qualidade em todos as suas partidas.

No entanto, um volume de chuva muito acima do normal atingiu a arena nesse sábado. O que ocorre é que como os rolos de grama pré-plantados possuem uma espessura muito grande para sua fixação no campo, a drenagem ocorre de forma um pouco mais lenta do que de costume. Se fosse uma chuva menos intensa, não haveria nenhum tipo de problema.

Como é de conhecimento público, essa técnica é extremamente nova no país. Ainda existem aprendizados e temos trabalhado constantemente para o aperfeiçoamento desse novo sistema. Temos orgulho do nosso pioneirismo e por sermos responsáveis pelo desenvolvimento dessa nova técnica, algo que começa a ser replicado por outros estádios brasileiros.

Deixe seu comentário