Com a presença de ídolos, Palmeiras inaugura sala de troféus no Allianz Parque

São Paulo, SP

26-08-2021 21:32:54

Nesta quinta-feira, dia em que o Palmeiras comemora 107 anos de vida, o clube palestrino inaugurou sua nova sala de troféus, localizada no Allianz Parque. O evento contou com a presença de inúmeros ídolos da história do Verdão, diretamente responsáveis pelas conquistas das taças expostas no local.

O presidente Maurício Galiotte foi o responsável por conduzir a breve cerimônia que marcou a inauguração do espaço. Abel Ferreira também esteve presente e revelou que se sente inspirado em meio a tantas troféus, além de ter relembrado as duas conquistas à frente do Verdão.

Com cerca de 2.200 metros quadrados, o espaço exibe cerca de cinco mil taças conquistadas pelo Palmeiras nas mais diversas modalidades. Todos os troféus passaram por um processo de manutenção antes da inauguração da sala. Dentre os destaques, estão as taça do Campeonato Paulista de 1942 (conhecido pela Arrancada Heroica), da Copa Rio 1951, das Libertadores de 1999 e 2020 e das dez conquistas do Campeonato Brasileiro.

No discurso que abriu a inauguração da sala de troféus, Galiotte destacou a importância do espaço para o torcedor e para a instituição, que tem sua memória preservada.

"São 107 anos de lutas, conquistas e glórias. Hoje é um dia muito especial, estamos dando um grande presente para o torcedor. Estamos inaugurando a nossa sala de troféus. Depois de muitos anos e muita expectativa, os nossos troféus estão de volta ao Palestra Itália. Este era um grande anseio do torcedor palmeirense, e era um compromisso da gestão", disse Galiotte.

"Aqui, a história grandiosa da Sociedade Esportiva Palmeiras se faz presente. Revisitar a nossa história para compreendermos a grandeza do Palmeiras e seguirmos no caminho da evolução", completou.


Fernando Prass, fundamental na conquista da Copa do Brasil de 2015, convertendo o último pênalti contra o Santos, esteve presente na inauguração da sala e garantiu que o palmeirense ficará fascinado com o local.

"Às vezes, quem está vendo tem uma noção pequena do que é isso aqui. Agora, o pessoal vai poder visitar. É impressionante a grandiosidade desta sala de troféus, acho que era uma coisa que realmente faltava. O torcedor vai ficar alucinado aqui dentro", afirmou o ex-goleiro.

Cafu, que participou da campanha vitoriosa do Paulista de 1996, destacou o ambiente familiar do novo espaço localizado no Allianz Parque.

"Está maravilhosa, a coisa mais linda do mundo. Aconselho vocês a virem, trazerem seus filhos, seus parentes. É uma história de troféus para a família, onde vocês terão a oportunidade de ver a história do Palmeiras, desde quando começou até hoje", pontuou.

Com participação direta em oito títulos pelo Palmeiras, Zinho não escondeu a emoção que sente ao conhecer a sala e rever os troféus.

"Nós temos a nossa construção dentro de campo. A gente vê algumas taças, relembra e se emociona. Vem na memória o bi Brasileiro, o bi Paulista, a Copa do Brasil, a Libertadores... São 107 anos de história, e é uma honra fazer parte dela", disse.


Amaral, que foi companheiro de Zinho no Verdão, acredita que a sala de troféus pode servir de inspiração para os jogadores do atual elenco do Alviverde.

"Que isso possa servir de exemplo para os jogadores que estão jogando agora. Alguns já têm história aqui, e outros vão conquistar ainda mais história do que a gente conquistou. É um momento de gratidão, a gente fica até arrepiado. Passa um filme na nossa cabeça", revelou.

A sala é dividida em nichos e, dentre eles, está o espaço destinado à memória dos goleiros. Velloso comentou sobre a importância de sublinhar a história que os jogadores da posição escreveram pelo Verdão.

"Em se falando de Palmeiras, não poderia faltar um cantinho para os goleiros. Sempre que se fala da Academia, tem que falar da Academia de goleiros, que tem uma escola riquíssima também. Fico grato por essa homenagem, essa parte está muito emocionante", afirmou.

Por fim, Leão foi bem direto ao dizer que a construção de um espaço bem estruturado para expor os troféus do Palmeiras foi tardia.

"Acho que o torcedor e a sociedade já mereciam uma sala de troféus digna, porque o Palmeiras sempre foi um colecionador de títulos, continua até hoje. Foi formada agora, já com um certo atraso, e isso é muito bom. Quando você fala de Academia, é porque alguma coisa ensinou, e o Palmeiras ensinava a ganhar títulos", disse o ex-goleiro.

' href='https://www.gazetaesportiva.com/wp-content/uploads/imagem/2020/04/10/00837998-1024x643.jpg' data-thumb='https://www.gazetaesportiva.com/wp-content/uploads/imagem/2020/04/10/00837998-1024x643.jpg'>

Durante os primeiros 25 dias de atividade, a sala de troféus será destinada a eventos com convidados especiais. A previsão é de que o espaço seja aberto para o público geral a partir do dia 20 de setembro. Detalhes como o horário de funcionamento e o valor do ingresso serão divulgados pelo clube posteriormente.

Deixe seu comentário