De Mucinelli a Cuadrado: a camisa 7 da Juve antes de Cristiano Ronaldo

São Paulo, SP

17-07-2018 16:49:25

A camisa 7 da Juventus carregou 31 nomes até Cuadrado cedê-la para Cristiano Ronaldo, novo atacante do clube de Turim. Marca do português, o 7 faz parte de praticamente toda a carreira dele e passou a ser até associado a um pedaço do nome do melhor do mundo. Após fazer história no Manchester United e no Real Madrid, CR7 veste a camisa bianconera que carregas inúmeros títulos e ídolos da Juve do passado, mas que há anos não aparece como protagonista no elenco.

O histórico da camisa 7 da Juventus é curioso pelo alto número de trocas de donos. O jogador que a vestiu por mais tempo foi Gianlucca Pessotto, por sete temporadas. Já outros, não usaram por um ano sequer. Grandes nomes, grandes títulos, atletas desconhecidos e passageiros na história do clube. Dentre os 31 que vestiram a camisa 7 da Velha Senhora, alguns merecem destaque.

O primeiro craque do clube a aparecer com o número foi o bicampeão do mundo com a seleção italiana, Ermes Mucinelli. O meia jogou entre 1946 e 1955 na Juve e antes de mudar para a 11, jogou duas temporadas com a 7. Mucinelli é o maior artilheiro que passou pelo clube e usou a camisa, com 69 gols, em 226 jogos. Assim como ele, mais um que começou com o número foi Umberto Colombo. Apesar de fazer história com a 10 da Velha Senhora, o meia escolheu primeiro a camisa 7.

Mais de uma década depois, o número voltou a se destacar com Marco Tardelli, na temporada 75/76. O meia ficou apenas um ano com a camisa, antes de mudar para a 8, mas foi um dos mais vitoriosos a vestí-la, com 11 títulos conquistados nos dez anos que passou na Juve. O herdeiro da 7 de Tardelli foi Franco Causio. Ambos participaram do tricampeonato mundial da seleção italiana, em 82. Causio ganhou oito títulos com a Juventus, nos 11 anos que defendeu a esquadra. Vestindo a camisa 7 em três temporadas, o haxacampeão italiano marcou 59 gols pelo clube.

Já no anos 90, muitos nomes revesaram o número. Entre eles, dois ex-jogadores que se destacam atualmente como treinadores. Antonio Conte, ex-técnico do Chelsea, fez história na Juventus e é mais conhecido por vestir a camisa 8 bianconera. Mas antes disso, o meia, que conquistou 15 títulos, nos 13 anos defendendo a Juve, usou por duas temporadas a 7. Quando mudou, Conte passou a camisa para Didier Descahmps. Hoje bicampeão da Copa do Mundo, primeiro como jogador e em 2018 como treinador, o francês migrou na Juventus entre três números. 7, 8 e 14 fizeram parte da história do meia nos cinco anos que jogou no clube.

Depois de uma temporada com Deschamps, a camisa 7 ficou por seis anos em Angelo Di Livio. O jogador também fez parte de uma geração vitoriosa e levantou 9 taças com o clube. Logo depois o recordista de tempo vestindo o número, Gianlucca Pessotto. O lateral-esquerdo foi o último multicampeão a usar o 7, com 13 títulos, incluindo a Liga dos Campeões da temporada 95/96, conquistada ao lado dos últimos quatro donos do número 7, Di Livio, Deschamps, Conte e Giancarlo Marocchi.

Com a saída de Pessotto, em 2006, quatro jogadores vestiram sem muito brilho a camisa 7. Cuadrado é o maior destaque desde então, mas com o reforço de Cristiano Ronaldo, não usará mais o número a partir da próxima temporada. CR7, então, dará início, em agosto, à uma nova era da camisa, que coleciona títulos e marcas. O primeiro recorde já quebrado mostrou o novo peso que o número tem, antes mesmo de o português entrar em campo, com mais de meio milhão de camisas vendidas em um dia.

 

 

 

 

Deixe seu comentário