Gazeta Esportiva

Rivais do Chelsea em 2012, corintianos assumem "lado azul" contra Palmeiras no Mundial

Marina Bufon - São Paulo,SP

12/02/22 | 05:00

Em dez anos muita coisa pode acontecer, mas, ainda assim, o torcedor corintiano se lembra em detalhes como foi a grande decisão do Mundial de Clubes entre seu time do coração e o Chelsea.

O que aconteceu no jogo em si todo mundo está cansado de saber, mas somente quem esteve no Japão conseguiu sentir, de fato, o que foi a invasão corintiana no país.

“Tóquio estava dominado por corintianos, nunca vi algo assim na vida. Os próprios japoneses falavam ‘vai, Corinthians’ e ‘chora, porco’, porque ensinaram a falar isso em português. O clima era de Copa do Mundo, me arrepio até hoje só de lembrar”, disse Felipe Di Iorio Tavares, estudante, que, na época, tinha 12 anos.

Felipe, aos 12 anos, segura faixa do Corinthians (Foto: Arquivo pessoal)

Ele foi com os pais e o irmão para acompanhar o Timão na competição do outro lado do mundo. Na semi, o clima era de tensão, mas, na final, o clima já era outro, de otimismo e muito apoio ao time comandado por Tite.

“A torcida apoiou demais, desde o hotel até a volta, cantando sem parar. Lembro de um torcedor que pulou a janela e subiu no ônibus. O motorista japonês não sabia o que fazer, não tinha ideia do que estava acontecendo”, contou.

VEJA MAIS: Tite admite erro que poderia ter custado título do Mundial do Corinthians

Jairo Pakes, consultor empresarial, também esteve por lá, mas somente para a grande final, no dia 16 de dezembro. Junto com a mãe, Ana, eles também conseguiram sentir toda a atmosfera levada pelos torcedores.

“A cidade era corintiana, isso é um fato. O nosso hotel estava fechado para brasileiros, inclusive o Vampeta estava hospedado lá. No dia do jogo, o próprio hotel colocou o símbolo do Corinthians no elevador. Esse era o clima”.

Sobre os torcedores do Chelsea, ele “nunca nem viu”. “Sabíamos que existia a torcida deles lá. Ou eram muito discretos ou tinham medo. Não víamos nas ruas, grito, nada. Realmente, a cidade era corintiana”.

Jairo e sua mãe, Ana, na grande final do Mundial de Clubes de 2012 (Foto: Arquivo pessoal)

Coisas do futebol

Em dez anos muita coisa pode mudar… E mudou. O Chelsea vai tentar seu primeiro título no Mundial, já que lá em 2012 foi o Timão quem conquistou, mas o adversário será ninguém mais ninguém menos que o maior rival alvinegro.

O Palmeiras se encontrará com o time inglês neste sábado, às 13h30, para tentar, além de levar a taça para casa, acabar com todas as piadas que existem em relação ao fato. Se em 2012 os torcedores queriam um Chelsea fraco e perdendo, agora a situação é bem diferente.

“Hoje eu sou Chelsea desde criancinha. Eu não sou uma pessoa que levo o futebol muito a sério. Apesar de tudo, não sou fanático. Eu entendo a sensação de amigos que estão lá. Mas, poxa, vai perder um pouco daquela sensação de ‘eles não têm e nós temos’. Vou torcer pro Chelsea”, disparou Jairo.

Torcida corintiana dominando o Japão na comemoração do título (Foto: Arquivo pessoal)

“Vou assistir para secar, obviamente. Não tem nem muita explicação, somos o último campeão brasileiro e tomara que seja o último até ser de novo. Vou torcer mais contra mesmo e, se não for campeão, não vou poupar a zoação”, brincou Felipe.

O Corinthians venceu os Blues por 1 a 0 no dia 26 de dezembro de 2012. O time que entrou em campo foi: Cássio; Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo; Jorge Henrique, Paolo Guerrero e Emerson Sheik. Após chute prensado de Danilo, Guerrero subiu e marcou aos 24 minutos.

De lá para cá, o Corinthians segue sendo o último time brasileiro campeão do mundo.

Deixe seu comentário