FPF responde técnico do Corinthians sobre acusação de censura

São Paulo, SP

22/09/22 | 18:05

A Federação Paulista de Futebol (FPF) se pronunciou na tarde desta quinta-feira sobre a acusação de censura feita pelo técnico do time feminino do Corinthians, Arthur Elias. Segundo a entidade, não foi ela a responsável por vetar parte do conteúdo, onde estão as fortes críticas do treinador.

Na última quarta, antes do clássico contra o Palmeiras, Arthur Elias disparou contra o calendário do futebol feminino, já que o Derby foi colocado dias antes da disputa da final do Brasileirão da categoria, que acontece neste sábado. Ele utilizou atletas reservas, que acabaram perdendo a partida por 2 a 0.

No entanto, o trecho em que ele realiza as críticas ao calendário e à entidade foram cortados do ar. O treinador, então, postou o conteúdo na íntegra em seu Instagram pessoal e disse lamentar ter sido censurado.

Em resposta, a FPF afirmou que "sugestões de melhores e críticas são sempre consideradas" e que "o objetivo é apenas um: fortalecer o futebol feminino e sua coletividade", afirmando que cabe à entidade "a captação de todas as imagens das partidas e entrevistas" e que o "conteúdo é disponibilizado integralmente aos detentores de direitos da competição, que utilizam da forma como for conveniente".


Confira abaixo a nota da FPF na íntegra:

Pioneira na organização de competições femininas profissionais e de base, a Federação Paulista de Futebol tem orgulho de construir junto a todos os clubes filiados o Paulistão Feminino 2022, com a maior visibilidade e maior premiação da história.

Ano a ano, o Paulistão Feminino é organizado a partir de uma série de encontros com os profissionais dos clubes. Todas as decisões relativas à competição pertencem aos clubes, que definem as regras em Conselho Técnico prévio ao início do torneio.

Sugestões de melhorias e críticas são sempre consideradas, a fim de que as competições sejam cada vez mais relevantes aos clubes, torcedores, parceiros de mídia e patrocinadores. O objetivo é apenas um: fortalecer o futebol feminino e sua coletividade, que há décadas busca este espaço.

Diante de uma grave acusação de censura por parte do treinador do Corinthians, Arthur Elias, a FPF esclarece que cabe à entidade a captação de todas as imagens das partidas e as entrevistas. Esse conteúdo é disponibilizado integralmente aos detentores de direitos da competição, que utilizam da forma como for conveniente. Não cabe à FPF vetar ou obrigar nenhum parceiro a exibir determinado conteúdo.

A FPF reforça que continuará trabalhando pelo desenvolvimento do futebol feminino de forma coletiva e integrada, valorizando seus clubes, competições e parceiros.

Deixe seu comentário