Arthur Elias detona calendário do Paulista feminino antes de derrota para o Palmeiras: "Palhaçada"

São Paulo, SP

22/09/22 | 12:04 - 22/09/22 | 13:22

Técnico da equipe feminina do Corinthians, Arthur Elias não poupou críticas ao calendário do Campeonato Paulista antes da derrota para o arquirrival Palmeiras, por 2 a 0, nesta quarta-feira. Em entrevista prévia à partida, o treinador questionou a presença do Derby em meio à disputa da final do Campeonato Brasileiro, contra o Internacional.

De olho na decisão nacional, o Timão foi a campo com uma escalação alternativa, mesclando atletas reservas e também da base. No Paulistão, o Timão já soma três reveses em clássicos: 3 a 0 para o São Paulo, 2 a 1 para a Ferroviária, além da derrota desta quarta, para o time alviverde. Desta forma, estacionou na nona colocação, com nove pontos.

"A gente é tricampeão dessa competição (Paulista). Então, a gente sempre entra para vencer todos os jogos e todos os campeonatos, esse é o nosso trabalho. Agora, a questão da gente ter que dividir o foco é complicada, porque a Federação Paulista fez uma palhaçada conosco. Acho uma falta de respeito com o clube que apoia e que está investido forte no futebol feminino há muitos anos", criticou Arthur Elias.

"Colocaram três clássicos no meio do mata-mata do Campeonato Brasileiro, sendo que o Campeonato Paulista tem 15 rodadas e poderia ter sido distribuído de uma forma muito melhor. Para mim, isso tem que ser revisto. A gente já falou muitas vezes, não é de hoje", declarou.

Arthur Elias ainda comentou a dificuldade em escalar a equipe por conta do desgaste causado pela decisão do Brasileirão. Segundo ele, foi feito "o possível" para entrar em campo com um time competitivo, mas não "tinha como esgotar as jogadoras".

"Eu fiz o possível. As atletas que vão jogar a final não tinham condições de jogar agora, dividir esse foco. A gente ia deixar de fazer um treino de qualidade, como fizemos hoje de manhã, e não íamos nos preparar para enfrentar uma equipe forte como o Internacional. Respeitamos muito o outro lado, sabemos da qualidade que elas têm, vai ser muito difícil. Mas não tinha como esgotar nossas jogadoras e deixar elas com foco dividido", disse.

Por fim, o técnico ameaçou utilizar apenas as categorias de base no próximo ano, caso o calendário do Paulistão não seja revisto. Ele ainda criticou a premiação do torneio, afirmando que o valor de R$ 1 milhão não justifica a falta de organização.

"Se eu seguir no Corinthians no ano que vem, e a tabela do Paulista for parecida com essa, eu vou escalar só jogadoras das categorias de base. Não importa se o campeonato paga R$ 1 milhão de prêmio, não é isso que vai fazer o campeonato ser organizado", reclamou.

O trecho de quase três minutos de reclamações havia sido cortado pela Federação Paulista de Futebol (FPF), no vídeo que foi ao ar. No entanto, Arthur Elias publicou o corte em sua conta do Instagram na madrugada desta quinta-feira, e voltou a criticar a entidade. O comandante se disse "decepcionado" com a censura, e afirmou sempre estar disposto para ajudar no desenvolvimento do futebol feminino.

De volta o Brasileirão, o Corinthians tem pela frente novo e derradeiro duelo contra o Internacional no próximo sábado, às 14 horas (de Brasília), na Neo Química Arena. Na ida, no Beira-Rio, o confronto terminou empatado em 1 a 1. Para o jogo da volta, 39 mil ingressos já foram vendidos.

Confira abaixo, na íntegra, o texto publicado por Arthur Elias nas redes sociais:

"Conforme já noticiado por alguns veículos de comunicação, hoje antes do jogo dei entrevista para TV da Federação Paulista a pedido da mesma e não foi ao ar. Decepcionante. Apenas respondi a pergunta da repórter e dei a minha opinião. Aliás, uma crítica construtiva sobre um assunto que obviamente precisa ser refletido pela Federação. Pois se trata de algo recorrente e que diminui o próprio Campeonato Paulista. Pesquisem quais jogos estavam no meio das finais do Brasileiro no ano passado e em 2019. Com tantas datas disponíveis ao longo do ano, a Federação pode evitar esses conflitos que atrapalham os clubes de São Paulo no Campeonato Brasileiro.

Dediquei muitos anos da minha vida ao futebol feminino e ser censurado foi lamentável.

Assim como disse na própria entrevista, tenho muito respeito ao presidente Reinaldo, sempre elogiei sua atenção ao futebol feminino, mesmo respeito a Thais Picarte e também a Cristina, diretora de competições da federação, e a toda diretoria. Sempre me coloquei a disposição para propor ideias para o desenvolvimento do futebol, especialmente das mulheres. Mas a pessoa que tomou a decisão de me censurar não tem esse direito. Ninguém escolhe o que eu vou responder.

E não vou mais falar sobre este assunto nos próximos dias. Meu foco agora está totalmente na final do Campeonato Brasileiro, no próximo sábado, onde mais uma vez vou tentar ajudar esse grupo de atletas fantásticas que eu treino, e este clube gigante com a maior torcida do Brasil, que é o Corinthians".

Deixe seu comentário