Gazeta Esportiva

Foi pênalti contra o Corinthians? O árbitro acertou? Leia o que diz a regra

Tiago Salazar - São Paulo,SP

04/07/21 | 09:00

A arbitragem da partida entre Corinthians e Internacional, nesse sábado, gerou muita polêmica e discussão por causa de um pênalti assinalado para o Colorado, na Neo Química Arena.

O lance aconteceu, aos 35 minutos do primeiro tempo, quando o jogo ainda estava 0 a 0, e partiu de uma falta cobrada por Edenílson à área corintiana.

Victor Cuesta, em posição de impedimento, sofreu falta de Jô dentro da área enquanto corria em direção à bola. Gil e Cantillo também foram para a disputa, mas apenas o colombiano tocou na bola.

O árbitro carioca Marcelo de Lima Henrique assinalou pênalti. O VAR, então comandado pelo também carioca Carlos Eduardo Nunes Braga, confirmou a decisão, apesar de admitir a posição irregular de Cuesta no início da jogada. A equipe de arbitragem levou pouco mais de quatro minutos para definir o caso.

 

A CBF, em seu site oficial, disponibiliza o texto atualizado da regra.

Na página 108 do documento, em meio às explicações da regra 11, aquela que trata sobre o impedimento no futebol, há os trechos que remetem ao lance em questão.

Três situações no texto são citadas para que sejam base de interpretação para jogadas, a princípio parecidas, mas que devem, segundo a regra, ter julgamentos diferentes.

Leia, abaixo, e tire sua conclusão:

"Quando um jogador, em posição de impedimento, se move dessa posição ou fica parado nessa posição no caminho de um adversário que estiver indo para a bola e interfere em seu deslocamento, comete uma infração de impedimento, se impacta na possibilidade do adversário jogar ou disputar a bola; quando um jogador se move no caminho de um adversário e impede seu deslocamento (por exemplo, bloqueia o adversário), a infração deve ser punida com base na regra 12 (Faltas e Incorreções)".

"Quando um jogador, em posição de impedimento, se movimenta em direção à bola com intenção de jogar a bola e é impossibilitado por um adversário antes de jogar ou tentar jogar a bola ou disputar a bola com um adversário, a falta deve ser punida porque ocorreu antes de uma infração de impedimento".

"Quando uma infração for cometida contra um jogador que estiver em posição de impedimento e que já esteja jogando ou tentando jogar a bola ou disputando a bola com um adversário, o impedimento deve ser punido, porque ocorreu antes da falta".

Após o jogo, o presidente Duilio Monteiro Alves e o diretor de futebol Roberto de Andrade externaram a indignação dentro do Corinthians e prometeram cobrar uma resposta na CBF.


Deixe seu comentário