Gazeta Esportiva

Fernando Lázaro comemora vitória e explica “bom ambiente” no Corinthians: “Foco é vencer"

Marina Bufon - São Paulo,SP

18/01/23 | 23:03 - 18/01/23 | 23:15

Um Fernando Lázaro mais sorridente esteve presente na entrevista coletiva na Neo Química Arena, após a vitória do Corinthians em cima do Água Santa, por 3 a 0. Mais leve após dar a resposta que a torcida tanto queria após a derrota na estreia do Paulistão, ele, inclusive, aproveitou o momento para esclarecer o que seria o "bom ambiente", que tanto foi discutido de lá para cá.

“Vitória do Corinthians é vitória, como interino, efetivo. Em casa, com esse clima... Não muda o sentimento, a emoção é indescritível, você para e fica ali, desfrutando um pouco de tudo”, falou, aos risos, logo após o duelo.

“Queria aproveitar para esclarecer bem: o objetivo é competir bem, vencer jogos, conquistar coisas no clube. O ambiente é consequência, não o objetivo final, que fique bem claro isso. Temos profissionalismo e uma busca clara de diretriz de time, de projeção", explicou, emendando que ele não sabe o que há de diferente em relação ao seu antecessor, Vítor Pereira:

"É início de trabalho, uma forma de trabalho, não sei o que eles sentem (de diferente), mais proximidade com alguns atletas, talvez eles se sintam um pouco mais, no dia a dia, como a dinâmica das coisas funcionam. O nosso grupo é muito bom, entre eles mesmo, eles já têm um grande ambiente entre eles, isso ajuda muito. E, depois, vamos tocando nosso cotidiano”.

Por fim, Lázaro falou, também, sobre o triunfo e aproveitou para enaltecer o elenco, que ele considera muito qualificado.


“Do jogo, uma grande partida, na nossa atmosfera, na nossa arena, com a nossa torcida vindo junto, a nossa equipe, desde o início, se impondo no jogo e conseguindo criar oportunidades e fazendo um jogo consistente. As oscilações fazem parte, mas os atletas vão se soltando e alcançando uma regularidade. Esse equilíbrio é o que vamos buscar, vamos evoluindo nesse sentido, pouco a pouco”, iniciou sobre o assunto.

"Não temos só uma dupla de ataque, temos um elenco com opções muito boas. Róger e Yuri muito bem, Romero entrando, o Júnior retomando um patamar que vai nos ajudar muito na temporada, e agora iniciou a temporada indicando que vai nos ajudar também. Além da dupla de ataque, temos outras opções”, finalizou.

Com o resultado, o Timão foi aos três pontos, saindo da lanterna e alcançando a terceira posição do grupo C, ainda fora da zona de classificação. O São Bento, com quatro pontos, é o líder, seguido pela Ferroviária, também com três.

O Alvinegro volta a entrar em campo neste sábado, diante da Inter de Limeira, às 18h30 (de Brasília), no Limeirão, pela terceira rodada do Estadual.

Veja outros trechos da entrevista coletiva:

Da derrota para a vitória

"Foram três dias, a gente sabe como é, faz parte da função. Depois de uma pré-temporada, estrear com um jogo daquele jeito, fica um gosto amargo. Mas o futebol é assim, logo ele oportuniza um novo jogo. A gente vai encontrar o nosso padrão ao longo da temporada".

Força do grupo

"A força do grupo. É um grupo que tem um ambiente muito saudável, temos uma relação direta. Eles entendem todo esse momento, esse contexto. A gente tem um bom relacionamento e isso é uma das forças do grupo, eu acredito, trazendo sempre para um lado positivo, como grupo, nada de individual. Isso é uma marca que fará parte".

Avaliações do jogo

"Na verdade, a gente teve um bom equilíbrio. Às vezes as ações dos gols partiram desse lado, mas o lado esquerdo também teve, com Renato e Fábio. Muitas dessas ações, mas a bola construindo do lado esquerdo para acabar a jogada. Além das questões individuais, o time inteiro coletivamente esteve bem, isso vai potencializando, não ficando uma situação específica como ponte forte. O equilíbrio é a ideia, as coisas vão começar a acontecer e isso vai dando a cara do que vem por aí".

"Do nosso posicionamento, no geral, o Renato é a função que ele está acostumado a exercer no meio-campo, mais avançado para a esquerda, estava voltando para construir. Essa sintonia pelo lado esquerdo, já tem um entrosamento. O Adson jogou pelo lado, tem velocidade, mas é um meia, é um atleta que tem construção, ele consegue aparecer dos dois lados, aparecia nos espaços, para dar continuidade nas construções e foi bem na sua função".

O que diria ao Fernando do passado?

"Não tenho a menor ideia do que falaria para o outro Fernando, não sei dizer o que diria para o Fernando de 20 anos atrás, iniciando. Acho que ele nem acreditaria".

Participação no planejamento do 2023 do clube

“É uma estrutura muito grande do clube, são muitos profissionais que fazem esse planejamento, são muitas pessoas discutindo ideias e trabalhando em prol de um planejamento que faz parte do grupo. Primeiro, foi uma discussão da montagem da pré-temporada, independentemente de q uem seguiria. Depois, a direção tem uma clareza grande, tanto o Roberto quanto o Alessandro, o Duilio sempre muito presente, eles têm uma sintonia grande sobre a necessidade, como o caso do Romero, com a clareza de quem está acompanhando o dia a dia, independentemente de quem vai assumir. Não temos uma questão objetiva de percentual de participação. O grupo trabalha muito bem junto”.

Quanto de Lázaro já tem no time?

"Analisando os dois jogos, foram bem discrepantes no geral. As ideias são similares, mas são como as coisas acontecem no início da temporada. Estamos em um momento em que não temos energia para reverter situações, ainda estamos criando um patamar de performance normal. Reverter um placar gera uma dificuldade. Com o passar dos jogos, isso vai se equilibrando. Hoje, desde o início, o time já conseguiu se impor, vai ganhando confiança, colocando o adversário em maior dificuldade. É isso que a gente vai buscar sempre. As oscilações vão acontecer, mas não tão grandes como foram (na estreia), e vamos buscar o equilíbrio".

Bruno Mendez

"Time todo foi bem, isso potencializa individualmente todos os atletas, isso é normal, no momento que no outro jogo o time todo não funcionou. Gil foi um zagueiros extraordinário, na minha opinião foi o melhor zagueiro na última temporada. E faz parte do início de temporada. Rodagem vai ser de forma gradual. As vezes gera espanto em uma mudança natural. Estamos início de temporada. No meio da temporada já seria difícil uma sequência de quatro jogos em 10 dias, no início. Mudanças faz parte de uma sequência de ideias".

Esquema preferido

"Não é preferência, a gente tem trabalhado com algumas possibilidades e vamos estruturar a equipe com as características dos atletas e também de acordo com o adversário. Pode variar, inclusive no próprio jogo, como aconteceu. O Adson fez muito bem essa função, não ficou só por dentro, foi também pelo lado, deu uma boa dinâmica. Temos outros meias com essas características, os atacantes também e outras peças".

Entrada do Romero

"O Romero, pelo lado, é um atleta que entrega muito. Naquele momento do jogo, a gente estava começando a oscilar muito. Então, ter esse atleta que segura mais a bola, sair mais por aquele lado, por isso a troca dele pelo Adson. O adversário estava tentando buscar aquilo que precisava e, com a troca, conseguimos equilibrar melhor isso".

Rodízio no próximo jogo

"A gente tem feito isso, já fez para esse jogo, com algumas trocas, não só dos veteranos. É yma sequência muito curta entre os jogos, no início da temporada. Hoje gerenciamos o Maycon no intervalo, coisas normais que precisamos tomar cuidado, temos sido bem criteriosos. Os atletas têm comprado essa ideia da recuperação pós-jogo. Essas mudanças vão ser graduais, para não chegar ao ponto de fazer muitas trocas da mesma vez. Então, vamos gerindo aos poucos".

Deixe seu comentário