Duílio dá explicações sobre processos contra o Corinthians e lembra dívida deixada por Gobbi

São Paulo, SP

16-06-2020 15:15:03

O diretor de futebol do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, fez questão de lembrar, na tarde desta terça-feira, que o ex-presidente (de 2012 a 2015) e forte nome da oposição para as eleições agendadas para novembro, Mário Gobbi, foi o responsável pelo não cumprimento do acordo com feito com a empresa J. Malucelli à época da venda de Jucilei. Agora, o clube é alvo de novas ações na Justiça que, acumuladas, se aproximam de R$ 26 milhões.

A venda foi em 2011 e em 2012 teria de ter começado a pagar o parcelamento, que não foi pago. Isso estourou agora novamente. O Corinthians tem essa dívida, reconhece e vai ter de pagar. Agora, tem muito jogo de empurra, situação, oposição, quem era situação e não é mais hoje”, comentou o dirigente, em entrevista à Band.

"O ex-presidente Mário Gobbi coloca sempre que ele é protagonista nos títulos que conquistou. Também acho que tem que ser protagonista nas contas que não pagou, nos acordos que não cumpriu. Quando é protagonista, tem que ser protagonista em tudo. Então, fica fácil jogar a responsabilidade para o sucessor, mas cada um tem a sua responsabilidade. A dívida é do clube e o clube vai pagar essa dívida".

Duílio também reforçou que não é hora de pensar em eleição, refutou que seja o candidato da situação e garantiu que a única negociação no momento sobre reforços é com Jô.

A Gazeta Esportiva mostrou no último sábado o estudo feito pela Pluri Consultoria que aponta para o crescimento da dívida alvinegra desde 2012. Veja aqui!

Duílio Monteiro Alves foi diretor de futebol na gestão de Mário Gobbi Filho (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Caso Jonathas
Ainda no âmbito jurídico, Duílio também falou sobre a ação movida por Jonathas.

“O Corinthians, por dificuldade financeira nesse momento difícil para todo mundo, acabou não pagando as primeiras parcelas, mas o jurídico está em contato com ele para fazer um acordo sobre esses primeiros pagamentos e para que isso evite que essa ação tenha sequência”.

Caso Bruno Méndez
Por causa de uma ação movida pelo Montevideo Wanderes na Fifa, o Corinthians tem até o dia 22 para pagar duas parcelas atrasadas do acordo feito no momento da compra de Bruno Méndez. O Timão pagou apenas a primeira parcela e ainda terá uma quarta parcela a vencer. Ao todo, a operação vai custar cerca de R$ 18 milhões.

"O departamento financeiro já está com o planejamento feito e o pagamento deve ser feito nos próximos dias. O que tem que se fazer é pagar e o Corinthians vai pagar antes do prazo, evitando qualquer tipo de punição".

Novas receitas
Enquanto espera os 20 milhões de euros da venda de Pedrinho para sanar pendências emergenciais, o Corinthians também corre em outras frentes para conseguir novas receitas. Duílio explicou que o grande problema para o clube foi o corte na entrada de dinheiro por causa da pandemia.

“A gente vem negociando, tem um (patrocinador) que está praticamente fechado, valor bom, bem melhor que o anterior, vai entrar na manga da camisa. O Corinthians não espera só o dinheiro do Pedrinho, algumas delas (novas receitas) são venda de atletas, como vendemos o Andrés Luís por um bom valor, tem a sondagem do Gustavo, nosso marketing está trabalhando. O Corinthians tem muito mais a receber do que a pagar, o problema que existe é o fluxo de caixa, com essa paralisação de três meses e esse atraso do Pedrinho acabou levando a esse problema”.


 

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?