Corinthians aciona setor de compliance, e pode abrir exceção pelo goleiro Ivan; entenda

Tiago Salazar - São Paulo,SP

07-01-2022 07:00:01

O goleiro Ivan tem contrato com a Ponte Preta até abril de 2023 e a Macaca nunca escondeu que espera conseguir pelo menos 5 milhões de euros (cerca de R$ 32 milhões) com a venda do jogador, que atualmente está com 24 anos.

Então, por que o Corinthians está interpretando essa eventual contratação como uma "oportunidade de mercado"?

A Gazeta Esportiva apurou que muitos detalhes sobre os direitos econômicos de Ivan são incertos, tampouco foram admitidos ao público em geral.

Nos últimos dois anos, os dirigentes da Ponte Preta fizeram uma série de acordos sobre dívidas diversas em que a garantia principal de pagamento ficou relacionada ou à receita de uma venda de Ivan ou aos direitos econômicos do atleta.


Com isso, quem ganhou poder foi Fernando Garcia, dono da empresa Elenko Sports, que agencia Ivan. Fernando é sócio do Corinthians e irmão de Paulo Garcia, conselheiro e tantas vezes candidato à presidência do clube.

A Macaca, apesar de bater na tecla de que detém 100% dos direitos sobre Ivan, sabe que não receberá a totalidade de uma receita oriunda de uma negociação com o goleiro. Os dirigentes da Ponte sequer têm autonomia para decidir o futuro de Ivan nesse momento.

A possibilidade de uma negociação, então, foi oferecida ao Corinthians, que gostou da ideia por se tratar de um jogador jovem, promissor e já com boa experiência.

No entanto, a cúpula do Timão está tomando conhecimento de todo o imbróglio. Até essa quinta-feira, os dirigentes corintianos ainda não estavam cientes de todas as situações contratuais.

Por isso, mesmo admitindo interesse nos bastidores, o discurso é cauteloso. Ter segurança jurídica será primordial para o Corinthians avançar. O setor de compliance do clube já foi acionado.

Se o Corinthians tiver convicção de que é uma contratação segura, o passo seguinte será debater valores.

Devido à perda de força da Ponte para negociar, acredita-se que Ivan pode sair por muito menos do que os campineiros gostariam, até mesmo por meio de uma composição que garanta receita futura à Macaca e, consequentemente, reduza os valores que podem ser envolvidos agora.

O Corinthians, que tem adotado a postura de não investir no pagamento de multas rescisórias, entende que pode abrir uma exceção para contratar Ivan, caso o valor seja considerado baixo em relação ao que representa o potencial e o valor de mercado do atleta.

As conversam vão seguir, as possibilidades estão abertas, mas não há nada definido, por enquanto.

Deixe seu comentário