Antes de jogo contra Corinthians, Boca Juniors pede para torcedores evitarem gestos racistas

São Paulo, SP

05/07/22 | 15:22

O Boca Juniors, via nota em seu site, pediu para que seus torcedores não entoem e não façam gestos racistas para corintianos nesta terça-feira, em jogo válido pela volta das oitavas de final da Libertadores. A bola rola na Bombonera, às 21h30 (de Brasília).

Dos três confrontos entre Corinthians e Boca nesta Libertadores, em todos a torcida xeneize se manifestou de forma racista contra corintianos.

Na vitória do Corinthians por 2 a 0 durante a fase de grupos, o Boca foi multado em 30 mil dólares (cerca de R$ 143 mil na cotação atual). O Boca foi punido por violar os artigos 9 (Responsabilidade Objetiva) e 17 (Discriminação) do Código Disciplinar da entidade. Na ocasião, um torcedor chamado Leonarzo Ponzo foi detido pela Polícia Militar ainda dentro da arena corintiana por ter imitado um macaco a torcedores. O consulado argentino pagou a fiança de R$ 3 mil e ele foi liberado.


Já no empate em 1 a 1, na Bombonera, também pela fase de grupos, o Boca foi multado em em 100 mil dólares (aproximadamente R$ 524,3 mil) pela infração.

No empate em 0 a 0 em Itaquera, na semana passada, três torcedores do Boca foram detidos por conta de gestos racistas e até nazistas. A entidade máxima do futebol sul-americano ainda não estabeleceu uma nova punição para a equipe argentina.

O Boca se manifestou dizendo que não compactua com gestos discriminatórios e pediu para que seus torcedores não fizessem isso, visando a preservação da imagem do clube e buscando evitar novas punições financeiras.

Confira a nota completa do Boca Juniors:

"Antes da revanche contra o Corinthians pela oitavas de final da Libertadores, o Boca Juniors pede uma reflexão para os torcedores viverem a partida desta quarta na Bombonera com paixão, mas distante de qualquer tipo de manifestação racista.

Esta nova partida contra uma equipe do Brasil representa outra oportunidade para negar qualquer ato xenofóbico que ataque os direitos de qualquer grupo e para demonstrar o aprendizado de experiências recentes, que não só causam dano à imagem do clube como também para as finanças. O Boca, vale dizer mais uma vez, não discrimina.

Cabe lembrar mais uma vez que a Conmebol endureceu severamente as multas aos clubes participantes em casos de racismo e caso isso volte a acontecer pode acarretar em sanções econômicas maiores, assim como o fechamento do estádio para o público. Assim como também da parte do clube esse tipo de conduta implica em um problema grave que pode ser passível das penas mais duras previstas segundo o estatuto, como a expulsão de sócios ou sócias."

Deixe seu comentário