Dirigente celebra vitória do Chile no TAS e pede resultados em campo

São Paulo, SP

29/08/17 | 19:33

O Tribunal Arbitral dos Esportes (TAS) negou, nesta terça-feira, a apelação da Bolívia em relação à punição importa a Fifa, que decretou os bolivianos perdedores dos jogos contra Chile e Peru por causa de uma irregularidade na escalação de um jogador. Após a decisão, Arturo Salah, presidente da Associação Nacional de Futebol do Chile (ANPF), comemorou.

“O TAS deu razão aos argumentos chilenos. Confirmaram os pontos entregues ao Chile da partida contra a Bolívia em setembro (de 2016). Isto ratifica o trabalho série que estamos fazendo”, declarou o dirigente.

“Temos defendido de boa forma os interesses da seleção. Era uma situação que nos manteve em um estado de incerteza. Agora temos que nos concentrar em classificarmos e ganharmos em campo. Acho que assim será”, completou.

Chile venceu as últimas duas Copas Américas disputadas (Foto: ANFP/Divulgação)

Além disso, Arturo destacou que “a diretoria tem avançado em recuperar o prestígio e a credibilidade no futebol” antes de afirmar que “essa foi uma vitória para as normas, regras e ética”.

Com a decisão do tribunal, o Chile continua com os três pontos ganhos relativos ao jogo contra a Bolívia – que havia terminado em 0 a 0 – por causa da punição, permanecendo com 23 na quarta colocação. Se a decisão fosse revertida, os chilenos seriam ultrapassados pela Argentina. O advogado da ANPF declarou que a seleção boliviana ainda pode recorrer, mas a sanção deve ser mantida.

Deixe seu comentário