Gazeta Esportiva

Danilo conta como superou críticas e projeta mudança na carreira: "Acho que vou ser zagueiro"

São Paulo, SP

08/12/22 | 09:10 - 08/12/22 | 09:33

Aos 31 anos, Danilo chegou à Copa do Mundo de 2022 rodeado de críticas. O lateral direito, no entanto, aprendeu a lidar com as opiniões externas para evoluir na carreira e, assim, conquistar uma vaga no time titular da Seleção Brasileira. Nesta quinta-feira, em entrevista coletiva, ele falou sobre o seu processo de amadurecimento.

“Ao longo dos anos eu entendi essa cobrança, esse gosto do brasileiro de contar com laterais ofensivos e que vão à linha de fundo. Mas com o passar dos anos me adaptei ao futebol de diferentes maneiras, com diferentes escolas e treinadores. Percebi a necessidade de me adaptar. E funcionou. Se tratando de Seleção, demorou um pouco mais. Mas eu costumo dizer sobre inteligência cristalizada, a capacidade de focar realmente no que importa no momento e deixar o externo de lado", disse.


"Claro que é importante ter o reconhecimento do torcedor brasileiro e o afeto, nós trabalhamos para isso, massageia o nosso ego. Mas durante a minha carreira tive que escolher, focar nas críticas ou no meu desenvolvimento como jogador, em amadurecer de forma tática e técnica para continuar jogando em alto nível e na Seleção”, completou.

Danilo, aliás, vem se sendo peça chave no esquema do técnico Tite. Isso porque o defensor pode em diversas funções. Com Alex Sandro e Alex Telles afastados por lesão, ele está sendo escalado na lateral esquerda, função que ele já exerceu outras vezes na carreira.

"Joguei assim por um bom tempo pelo Manchester City, onde talvez eu tenha tido o maior aprendizado. Na Juventus eu jogo assim há alguns anos. Acho que o segredo do sucesso na seleção, dessa nossa capacidade de transformar os esquemas táticos, é a disponibilidade dos jogadores", analisou.

"A comissão trabalha, vê de acordo cada um o que pode ser melhor para o jogo, mas a disponibilidade dos jogadores em aceitar, fazer e compreender tudo da melhor maneira possível, faz com que as coisas possam funcionar. Não é uma tarefa fácil, mas a disponibilidade do grupo tem feito com que isso seja mais fácil”, ampliou.

E no futuro a tendência é que Danilo passe a jogar como zagueiro. O camisa 2 da Seleção, inclusive. até já atuou no setor, na Juventus, da Itália.

"Jogar na esquerda ou direita ou no centro é indiferente. Sai de forma natural para mim. Acho que em um futuro bem recente eu vou ser zagueiro, porque é onde eu estou desfrutando melhor”, finalizou.

A Seleção Brasileira enfrenta a Croácia, pelas quartas de final da Copa do Mundo, nesta sexta-feira, às 12 horas (de Brasília), no Estádio Cidade da Educação.

Deixe seu comentário