Atletismo/São Silvestre

FCL enaltece 91ª edição da São Silvestre e recebe bicampeão da prova

Daniel Gelbaum* - São Paulo , SP
31/12/2015 12:37:04

Em: Atletismo, Mais Esportes, São Silvestre
Para Carlos Franciso Bandeira Lins, à direita, a São Silvestre traz dignidade ao esporte  (Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)
Para Carlos Franciso Bandeira Lins, à direita, a São Silvestre traz dignidade ao esporte (Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)

 

Nesta quinta-feira foi realizada, em São Paulo, a tradicional Corrida Internacional de São Silvestre, que chegou à 91ª edição, fato celebrado pela Fundação Cásper Líbero. Em cerimônia realizada antes do início da prova, o presidente do Conselho Curador da FCL, Carlos Francisco Bandeira Lins, comemorou mais uma edição do evento e exaltou a figura de Cásper Líbero, criador da prova e pioneiro no estímulo da prática esportiva no Brasil.

“A São Silvestre foi criada por Cásper Líbero, que viu a Olímpiada de 1924, oportunidade em que assistiu a uma prova em que os corredores portavam um archote. Cásper se inspirou nessa corrida para instituir uma em São Paulo que superasse fronteiras e escolheu o dia 31 de dezembro, dia de São Silvestre, batizando assim a hoje tradicional e importante prova do Brasil. De modo que é uma reverência que a Fundação faz a seu fundador”, afirmou Bandeira Lins. “Em segundo lugar, é um estímulo à prática esportiva, que no Brasil era muito insipiente há 90 anos. Cásper Líbero é um pioneiro da prática esportiva no País”, acrescentou.

Ainda falando sobre a São Silvestre, Bandeira Lins enfatizou o fato de ela ser realizada pela 91ª vez sem interrupção e revelou o desejo de viver até 2024 para acompanhar de perto a edição centenária da prova.

“A São Silvestre confere uma dignidade ao esporte, porque é realizada pela 91ª vez. É a prova reconhecida pela Confederação Internacional de Atletismo mais antiga do mundo a se realizar sem interrupção todos os anos. Então isso é um privilégio que o Brasil tem de ter uma prova tão antiga, de modo que a Fundação tem um carinho especial pela prova. A vontade é de viver mais nove anos para ver chegar a centésima edição”, completou.

Bicampeão da São Silvestre, José João da Silva ressaltou a dificuldade da prova (Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)
Bicampeão da São Silvestre, José João da Silva ressaltou a dificuldade da prova (Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)

 

A cerimônia teve a presença ilustre do bicampeão da Corrida Internacional de São Silvestre nas edições de 1980 e 1985, o pernambucano José João da Silva, que destacou o tamanho e a dificuldade da prova, ressaltando ainda a importância dela para o Brasil.

“A São Silvestre representa, para mim, um ex-atleta, para o cidadão paulistano e para o País, uma força de energia positiva, de esportividade e de bem-estar. Não é fácil uma São Silvestre. A São Silvestre é uma referência, maior até do que os Jogos Olímpicos, porque acontece todo ano. E isso em 91 anos não é fácil. Por isso, é complicado falar da São Silvestre, ela é muito grande! É uma referência fantástica para o País. É um orgulho. Eu como atleta, que tive o privilégio de ganha-la por duas vezes, me sinto honrado de estar aqui presente”, disse.

Relembrando as duas conquistas na São Silvestre, José João da Silva aponta a comoção da população brasileira e o apoio dos torcedores como fatores mais marcantes da carreira como atleta. “As memórias mais bonitas são a comoção nacional. O brasileiro é movido a energia boa e a São Silvestre transmite essa energia positiva. Analisando hoje, vem gente dos quatro cantos do mundo e do Brasil também para disputar a São Silvestre, então a emoção de chegar na frente é como nascer de novo. Eu nasci algumas vezes na Paulista”, concluiu.

Walid Shuqair, Secretário Adjunto de Esportes, Lazer e Recreação, exaltou a tradição da corrida (Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)
 Secretário Adjunto de Esportes, Lazer e Recreação exaltou a tradição da corrida (Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)

 

Outra personalidade presente na Fundação Cásper Líbero para acompanhar a Corrida Internacional de São Silvestre foi o Secretário Adjunto de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura de São Paulo, Walid Shuqair. Para ele, a tradição da prova, que acontece há 91 anos, tem grande valor para o município.

“Para São Paulo, em especial, ela abre o ano dos circuitos de rua da cidade. Hoje a cidade de São Paulo tem mais de 200 corridas de rua por ano e a São Silvestre faz a sua abertura. É tradicional, esta é a 91ª edição, e ela é muito importante para a cidade de São Paulo”, avaliou.

O Secretário Adjunto de Esportes, Lazer e Recreação fez questão de lembrar o apoio institucional da Prefeitura de São Paulo à Corrida de São Silvestre. “Esta prova sempre teve apoio institucional da Prefeitura de São Paulo e este ano não foi diferente. Todo o apoio institucional necessário para a realização deste evento foi feito e a organização tem tido sempre êxito em relação ao seu trabalho”, pontuou.

Em relação à programação de corridas de rua para o próximo ano, Walid Shuqair revelou que o planejamento será o mesmo de 2015, já que São Paulo recebe cerca de 200 provas por ano e não tem capacidade para aumentar este número. “O planejamento segue o mesmo. A nossa agenda é o que comporta na cidade de São Paulo. Se pudéssemos abrir mais espaços para a corrida de rua, a gente ultrapassaria a marca de 200 corridas no ano, mas este é o limite que a cidade de São Paulo comporta por ano”, finalizou.

*especial para a Gazeta Esportiva