Gazeta Esportiva |

Varejão e Raulzinho vibram com chance de disputar os Jogos no Brasil

Em Basquete, Mais Esportes, Olimpíadas 2016, Olimpíadas Destaque
Atualizado em 04/07/2016 - 22:53:12 Compartilhe
São Paulo , SP
Varejão exaltou o bom relacionamento com os companheiros de Seleção (Foto: Gaspar Nóbrega/Inovafoto)
Varejão exaltou o bom relacionamento com os companheiros de Seleção (Foto: Gaspar Nóbrega/Inovafoto)

A Seleção Brasileira de basquete masculino segue realizando sua rotina de trabalhos no Ginásio da Hebraica, em São Paulo, visando à preparação para a disputa dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto. Treinando desde a última quinta-feira com a equipe, o ala-pivô Anderson Varejão, do Golden State Warriors, e o armador Raulzinho, do Utah Jazz, falaram nesta segunda-feira sobre a concentração do elenco e as expectativas para a disputa das Olimpíadas de 2016.

Aos 33 anos, o já experiente Anderson Varejão falou sobre a sensação de se juntar mais uma vez à delegação do Brasil. “É muito bom estar de volta à Seleção Brasileira. Estou muito feliz por estar novamente junto dos amigos e não só companheiros. Estamos muito unidos, é bom trabalhar com eles e com a comissão técnica que está junta conosco há algum tempo. Isso tudo é muito bom. Estou muito motivado e animado já com os treinos mais puxados nessa preparação para a Olimpíada”, afirmou o ala-pivô.

Raulzinho se vê mais experiente para auxiliar a Seleção nos Jogos de 2016 (Foto: Gaspar Nóbrega / Inovafoto)
Raulzinho se vê mais experiente para auxiliar a Seleção nos Jogos de 2016 (Foto: Gaspar Nóbrega / Inovafoto)

Indo para sua segunda Olimpíada apenas aos 24 anos, Raulzinho acredita ser um jogador mais experiente para auxiliar a Seleção em busca de uma medalha. “Quando eu comecei em 2010, era uma promessa. Acredito que era um atleta que ele (o técnico) pensava que podia estar nas próximas convocações, nos próximos campeonatos. Depois de muito trabalho e das oportunidades que tive com o Magnano (Rubén), estou num momento diferente, sou um jogador mais experiente”, disse o armador.

Os atletas também falaram sobre a sensação de mais uma vez defender o Brasil em uma Olimpíada. Para Varejão, os Jogos de 2016 são ainda mais especiais por serem disputados em casa. “É um momento único para todos nós na sua carreira. Esse momento de poder jogar uma Olimpíada em casa é uma coisa que muitos aqui nunca imaginaram que pudesse acontecer um dia. Representar o seu país numa Olimpíada diante do nosso povo brasileiro, da família, dos amigos. A gente que joga fora sente um pouco a falta de jogar no Brasil. Representar a Seleção Brasileira numa Olimpíada vai ser algo que a gente vai levar para o resto das nossas vidas”, enalteceu.

Raulzinho também comentou sobre a disputa das Olimpíadas dentro do país e listou os pontos positivos que podem favorecer o Brasil. “Nunca mais na minha carreira vamos ter outra Olimpíada no Brasil. Então vai ser um momento especial, uma oportunidade para mim e todos os atletas brasileiros poder disputar uma Olimpíada em casa. Nós temos uma vantagem e um ponto positivo, o fato de jogarmos juntos e termos um bom entrosamento. Também estamos num bom momento da carreira. E nos últimos dois três anos muitas seleções estão passando por uma renovação”, completou.

No Grupo B das Olimpíadas, o Brasil faz sua estreia no torneio diante da Lituânia, no dia 07 de agosto. A chave conta também com Espanha, Argentina, Nigéria e com o vencedor do Pré-Olímpico Mundial 3, que ainda não está definido. Já o Grupo A é composto por Austrália, China, Estados Unidos, Venezuela e os vencedores do Pré-Olímpico Mundial nas posições 1 e 2.

Comente