Gazeta Esportiva |

Robson Conceição celebra ouro e convoca povo de Salvador a recebê-lo

Em Mais Esportes, Olimpíadas 2016
Atualizado em 16/08/2016 - 20:32:56 Compartilhe
São Paulo , SP

O resultado histórico de Robson Conceição deu ao Brasil a primeira medalha de ouro no boxe olímpico. Emocionado, o pugilista brasileiro recordou tudo o que passou na vida até chegar ao lugar mais alto do pódio, depois de vencer o francês Sofiane Oumiha na decisão do título do peso ligeiro masculino (60kg).

“Queria agradecer a todos os meus patrocinadores. Tive uma infância humilde, mas que nunca faltou o pão de cada dia. Essa luta minha diária de acordar cedo, ir para a escola, ajudar a minha avó na feira livre, hoje, fui recompensado. Sou campeão olímpico”, disse Robson Conceição em entrevista ao SporTV.

Esta foi a primeira medalha de Robson em Jogos Olímpicos. O atleta, que caiu logo na primeira luta nas Olimpíadas de Pequim 2008 e Londres 2012, destacou a experiência adquirida nestes anos como fator preponderante para a conquista desta terça-feira e convocou a população de Salvador, sua cidade natal, a recebê-lo na volta para casa.

“Mudou que estou com muita mais vontade de ser campeão, estou muito mais experiente. Mudou que nas outras duas edições eu era muito novo, porém, com a ajuda da Confederação, que vem me apoiando muito, consegui pegar muita experiência. E graças a eles eu sou o primeiro pugilista campeão olímpico da história do Brasil. Quero festa em Salvador. Dia 18 estou chegando pela manhã e quero ver todo mundo lá comigo”, completou.

Um dos responsáveis pela medalha de ouro de Robson Conceição, o técnico Matheus Alves não escondeu a felicidade com o resultado do pupilo. O treinador, porém, fez questão de ressaltar que o título olímpico do pugilista baiano não veio por acaso.

“O trabalho olímpico é fruto de um desenvolvimento. As coisas têm que vir passo a passo. O Robson foi em 2008, perdeu a primeira luta, foi em 2012, perdeu a primeira. Não é do dia para a noite que se fazem campeões. O trabalho vem sendo feito. Tivemos quatro medalhas olímpicas, três em Londres 2012 e agora essa do Robson. Não é à toa. E torço para que isso seja um divisor de águas, para que a gente seja uma Confederação, um boxe forte no Brasil, que a gente valorize a base e todos os treinadores”, declarou Alves ao SporTV.

Comente