Gazeta Esportiva |

“Poluição na Baía de Guanabara não é problema para 2016”, diz Paes

Em Mais Esportes, Olimpíadas 2016
Publicado em 23/03/2015 16:20:00 Compartilhe
GazetaEsportiva.net - Rio de Janeiro , RJ

A poluição na Baía de Guanabara, sede das competições de vela dos Jogos Olímpicos 2016, é um dos maiores pontos de atenção na preparação do Rio de Janeiro para receber o evento. O prefeito Eduardo Paes (PMDB) se eximiu ao lembrar que o saneamento é responsabilidade do Estado, mas disse não estar preocupado.

“Na minha opinião, (a poluição da Baía de Guanabara) não é um problema para as Olimpíadas. A área de regatas é a mais próxima da saída para o mar, então fica menos poluída. Além disso, as Olimpíadas serão realizadas em uma época com pouquíssima chuva”, disse Paes ao Sportv, sem descartar um plano de contingência.

“A quantidade de detritos que vem de cinco municípios da região metropolitana também é controlável. Em última instância, você faz um plano de contingência e coloca gente para coletar os resíduos sólidos para não atrapalhar as Olimpíadas”, declarou o prefeito.

O governo do estado do Rio de Janeiro, hoje dirigido por Luiz Fernando Pezão (PMDB), prometeu tratar 80% do esgoto no local até os Jogos 2016. Embora tenha garantido que a poluição não prejudicará as competições de vela, Eduardo Paes lamentou a situação atual.

Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, acha que a poluição na Baía de Guanabara não atrapalha os Jogos
Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, acha que a poluição na Baía de Guanabara não atrapalha os Jogos – Credito: Djalma Vassão/Gazeta Press
“É uma oportunidade perdida, sim. Despoluir completamente a Baía de Guanabara é algo que deveríamos ter conseguido fazer. É uma pena que as Olimpíadas não tenham sido o motivo para se resolver de uma vez por todas essa questão. A razão de ser do Rio de Janeiro é a Baía de Guanabara, é um ativo muito importante da cidade”, disse.

Em agosto de 2014, o Rio de Janeiro recebeu o primeiro evento-teste dos Jogos Olímpicos 2016, justamente o de vela. Apesar da poluição na Baía de Guanabara, a competição, disputada por medalhistas olímpicos e mundiais, ocorreu sem maiores problemas.

Uma das modalidades que mais renderam medalhas ao Brasil, a vela (17) é fundamental nos planos do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) de integrar o top 10 do quadro em 2016 no quesito número de pódios. Nesta terça-feira, faltarão 500 dias para o início da competição.

Comente