Gazeta Esportiva |

Com defesa sólida, Seleção admite vitória com gosto de vingança

Em Handebol, Mais Esportes, Olimpíadas 2016
Publicado em 08/08/2016 19:13:10 Compartilhe
São Paulo , SP
A ponta esquerda Fernanda França deixou a quadra com um gol diante das romenas (Foto: Eric Fererberg/AFP)
A ponta esquerda Fernanda França deixou a quadra com um gol diante das romenas (Foto: Eric Fererberg/AFP)

A acachapante vitória da Seleção Brasileira feminina de handebol por 26 a 13 diante da Romênia, na tarde desta segunda-feira, pela segunda rodada dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, teve gosto de vingança, segundo a ponta esquerda Fernanda. A atleta referiu-se à eliminação do Mundial de 2015, na Dinamarca, onde o time nacional, então atual campeão, perdeu para as europeias nas oitavas de final.

“Foi uma forma de se vingar da Romênia, sim, que perdemos nas oitavas de final na Dinamarca. Sabemos que quando jogamos em grupo, não tem pra ninguém”, vibrou Fernanda, em entrevista ao Sportv.

Com o resultado, o Brasil se tornou líder provisório do Grupo A, com quatro pontos. As comandadas do técnico dinamarquês Morten Soubak, no entanto, ainda têm três partidas para fazer nesta primeira fase.

“Dentro da quadra, sentimos o arrepio e a vontade de chorar é grande. Ganhar da Romênia foi muito importante. Mas não estamos classificadas ainda. A nossa chave ainda é difícil e temos um longo caminho pela frente”, acrescentou Fernanda.

Duda Amorim, por sua vez, exaltou o apoio dado pela torcida que lotou a Arena do Futuro. Eleita a melhor jogadora do mundo em 2014, ela admitiu culpa na expulsão por falta ainda antes do intervalo. “Elas estão certas (em me dar cartão vermelho). Tem que manter o jogo limpo. No momento, eu puxei por trás e foi correto o cartão vermelho. Agora entendi o que é ser torcedor da Seleção, que trabalho lindo elas fizeram”, elogiou.

Já a capitã Dara pediu serenidade em relação à tranquila vitória, surpreendente em sua análise. “Era importante para a gente esses dois pontos, o nosso grupo está muito equilibrado, então saímos para vencer. Sabíamos que seria difícil, nem nos meus sonhos achei que seria um placar tão alto. Mas seguimos com os pés no chão, porque ainda tem muito campeonato pela frente”, avaliou, antes de destacar a postura defensiva da equipe brasileira.

“Sempre fomos conhecidas por ter uma defesa forte e o nosso ponto fraco era o ataque. Então batemos muito nessa tecla e investimos muito na nossa paciência”, explicou.

Líder do Grupo A, com quatro pontos, o Brasil voltará à quadra nesta quarta-feira às 09h30 (de Brasília), para enfrentar a Espanha. Uma eventual vitória praticamente selaria a classificação das anfitriãs às quartas de final.

Comente