Estreante em Mundiais, Roberta elogia retorno de “medalhões”

Theo Certain - São Paulo , SP
12/08/2018 08:00:05

Em: Mais Esportes, Vôlei

Daqui cerca de um mês e 20 dias, a Seleção Brasileira Feminina de vôlei tentará, mais uma vez, conquistar o título inédito do Mundial, que será realizado no Japão. Para alcançar o feito, o técnico Zé Roberto Guimarães optou por apostar em um plantel de confiança, pouco diferente em relação à edição de 2014 e às Olimpíadas de 2016. Jogadoras consideradas como “medalhões” voltaram a ficar à disposição do treinador, que manteve a base ao longo deste ciclo.

A levantadora Roberta, por outro lado, vive a expectativa de disputar seu primeiro Mundial, já que começou a ser convocada à equipe principal somente em 2015 e, mesmo assim, acabou ficando de fora das Olimpíadas do Rio. Para ela, a presença de atletas como Dani Lins, Fê Garay e Thaísa só tem a ajudar, como a mesma falou em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva na última sexta-feira, após treinamento em Barueri.

“O Zé manteve algumas meninas sim, mas isso é de grande importância para a gente. Trabalhar com a Dani Lins é maravilhoso, me acrescenta muito. Thaísa, Fê Garay, Natália, que estão aqui há tantos anos, trazem uma bagagem, uma experiência muito boa para compartilhar com a gente, e é uma mescla com as meninas que não estão há tanto tempo. Eu, por exemplo, estou há alguns anos, mas não tenho a mesma experiência em campeonatos, então acho que essa mescla faz bem para o time”, apontou a jogadora do Sesc/RJ.

Roberta exaltou a presença de jogadoras experientes no plantel brasileiro (Foto: Leandro Martins/CBV)

Fato é que, tecnicamente, as jogadoras citadas acima são incontestáveis. E em termos de experiência, a própria Roberta garante que a importância das mesmas é enorme. No entanto, há dúvidas quanto ao aspecto físico, que não seria o mesmo de anos atrás. Na visão da levantadora, porém, os problemas principais dizem respeito às lesões pelas quais passaram recentemente, ainda que todas devam estar recuperadas até o início do Mundial.

“Não sei, é difícil para eu fazer essa comparação, mas acho que o trabalho está sendo muito bem feito. Thaísa está voltando de algumas lesões, a Garay está ótima, só estava parada mesmo, a Nat está lutando com essa questão do joelho, mas creio que vai estar todo mundo bem para daqui a um mês e meio, que passa muito rápido”, completou.

Durante esta semana, a Seleção Brasileira irá encarar uma maratona de amistosos contra os Estados Unidos, com a primeira partida já neste domingo, às 10h (no horário de Brasília), em Brasília (DF). O Mundial tem início programado para o dia 29 de setembro, quando a equipe de Zé Roberto Guimarães estreia pelo Grupo D, contra Porto Rico. Cazaquistão, República Dominicana, Sérvia e Quênia serão os outros adversários da primeira fase. A finalíssima será realizada no dia 20 de outubro.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com