Gazeta Esportiva |

Garantida nos JO, Maila revela falta de apoio e empréstimos para atuar

Em Atletismo, Mais Esportes, Olimpíadas 2016, Olimpíadas Destaque
Atualizado em 02/07/2016 - 11:34:13 Compartilhe
Marcelo Baseggio* - São Paulo , SP
Maila,  (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)
A brasileira Maila em ação durante o Troféu Brasil de Atletismo (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Maila Paula se sagrou campeã do Troféu Brasil de Atletismo pela nona vez nesta sexta-feira ao vencer a final dos 100m com barreiras. A atleta já havia assegurado o índice olímpico no Campeonato Ibero-Americano e voltou a cravar o tempo exigido pela Iaaf na disputa pela medalha de ouro em São Bernardo, cravando 13s00 para chegar ao Rio de Janeiro, em agosto, mais confiante e tentar sair de lá com um bom resultado, já que esta deverá ser, ao que tudo indica, sua última Olimpíada aos 35 anos.

Apesar dos resultados convincentes, Maila vem sofrendo com a falta de apoio para seguir competindo em alto nível. Após subir ao lugar mais alto do pódio no Troféu Brasil, ela contou como vem fazendo para conseguir se manter em alto nível mesmo sem patrocínio e outros tipos de apoio, já que a Marinha também acabou fechando as portas para ela após lesão no tendão de Aquiles que a afastou do esporte em 2014.

“A Marinha alegou que eu não tinha feito o resultado suficiente que eles pedem, mas como tinha feito minha cirurgia realmente não fiz resultado nenhum. No ano seguinte seria outra história e o Almirante que estava na Marinha à época havia me garantido que continuaria, mas houve a troca de Almirante e o novo não quis nem saber. Mas depois disso daí não posso reclamar porque abriu-se outra porta que foi a do Santiago, que hoje é meu treinador, revelou.

Maila ainda completou contando sobre a necessidade de empréstimos para conseguir bancar sua recuperação, que envolveu, principalmente, um importante trabalho de fisioterapia. Sem contar com nenhum tipo de renda, a atleta de Piracicaba teve de se endividar para manter seu sonho vivo em voltar a correr em alto nível. Hoje, ela divide seu tempo entre treinamentos e seu trabalho como personal trainer.

“Tive que me endividar, tive que fazer empréstimo. Ainda não paguei, estou pagando. Então não foi fácil. O empréstimo serviu para pagar minha reabilitação após a cirurgia, minha fisioterapia, meu transporte até o local que eu realizava tratamento”, disse.

Com nove títulos de Troféu Brasil e indo para sua terceira Olimpíada – Atenas 2004 e Pequim 2008 fazem parte do seu currículo – Maila acredita que se repetir o desempenho da final dos 100m com barreira poderá passar da qualificatória nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Segundo a atleta, se conseguir ir para a semifinal a previsão é baixar o tempo para menos de 13s.

“Se eu fizer o tempo que eu fiz hoje na qualificação eu consigo chegar até a semifinal. Chegando na semifinal minha pretensão, posso estar sendo muito ousada, mas desde quando fiz minha cirurgia sou ousada, é ser finalista olímpica. Na semifinal preciso correr abaixo de 13s”, finalizou.

*especial para a Gazeta Esportiva

Comente