Associação repudia ataques a árbitros e exalta punição ao Palmeiras

GazetaEsportiva.net - São Paulo,SP

08-01-2015 10:53:00

A Associação Brasileira de Árbitros e Oficiais de Mesa do Basquetebol (ARBBRA) emitiu nota oficial, nesta quinta-feira, repudiando os atos de violência contra o trio de arbitragem na partida disputada na última terça-feira entre Palmeiras e Minas Tênis, no ginásio do Palestra Itália, em São Paulo, válida pela primeira fase do Novo Basquete Brasil (NBB).

A Associação Brasileira de Árbitros e Oficiais de Mesa do Basquetebol (ARBBRA) emitiu nota oficial, nesta quinta-feira, repudiando os atos de violência contra o trio de arbitragem na partida disputada na última terça-feira entre Palmeiras e Minas Tênis, no ginásio do Palestra Itália, em São Paulo, válida pela primeira fase do Novo Basquete Brasil (NBB).

A equipe mineira venceu o jogo por 80 a 76, acabando com a invencibilidade do Verdão no Palestra Itália. Alguns torcedores palmeirenses, descontentes com marcações da arbitragem a segundos do fim do embate, agrediram os juízes na saída da quadra. O que motivou a confusão foi uma falta técnica por reclamação do argentino Maxi Stanic após infração.

O argentino Maxi Stanic foi punido com falta técnica por reclamar após infração
O argentino Maxi Stanic foi punido com falta técnica por reclamar após infração - Credito: Fabio Menotti/Palmeiras/Divulgação

Segundo o relatório da partida, um grupo de torcedores impediu a entrada dos árbitros no vestiário que lhes é designado, deixando os juízes no centro da quadra. Após isso, a luz do ginásio foi apagada e o trio, formado por Marcos Fornies Benito, Bruno da Costa Oliveira e Leandro Sehnem, tentou deixar o local escoltado por seguranças do Palmeiras, mas não tiveram sucesso.

Depois de alguns instantes, os juízes tentaram novamente entrar no vestiário com escolta dos funcionários do Alviverde, mas dois árbitros foram atingidos por chutes de torcedores, que também lançaram copos d’água e cuspiram e cuspiram em direção às autoridades.

Escrita por José Francisco Galvão Junior, presidente da ARBBRA, a carta de repúdio lembra que o árbitro “é uma pessoa normal e está sujeito a erros e acertos, que são comuns no âmbito esportivo, sem falar na necessidade de se tomar rapidamente uma decisão, sem qualquer recurso externo para auxiliá-lo”. O texto também diz que as decisões dos juízes sempre vão gerar reclamação de um dos lados, já que a interpretação pode ser diferente.

Por fim, a carta de repúdio parabeniza a Liga nacional de Basquete (LNB) pela punição imposta ao Palmeiras, que terá um jogo no Palestra Itália com portões fechados. A pena será cumprida já nesta quinta-feira, quando o Alviverde enfrenta o Unitri/Pilhas Energizer, às 20 horas (de Brasília).

Confira na íntegra a nota oficial da ARBBRA:

A Associação Brasileira de Árbitros e Oficiais de Mesa do Basquetebol (ARBBRA) repudia os lamentáveis acontecimentos envolvendo o trio de arbitragem (Marcos Benito, Bruno da Costa Oliveira e Leandro Sehnem), na partida disputada na noite de terça-feira (06 de janeiro), no ginásio do Palestra Itália em São Paulo (SP), reunindo a SE Palmeiras, equipe mandante, e o Minas Tênis Clube, visitante, válida pela fase inicial do Novo Basquete Brasil (NBB) – 2014/2015.

O árbitro – assim como o atleta, o técnico e o dirigente – é uma pessoa normal e está sujeito a erros e acertos, que são comuns no âmbito esportivo, sem falar na necessidade de se tomar rapidamente uma decisão, sem qualquer recurso externo para auxiliá-lo. É preciso relatar que a determinação tomada pelo árbitro nunca será vista com êxito total, pois cada equipe/atleta/torcida vai interpretar de uma maneira, agregando sempre uma pitada de polêmica ao jogo.

Entendemos o lado das equipes e dos torcedores, que não são obrigados a concordar com as decisões dos árbitros, porém não podemos aceitar que essa discordância abra espaço para agressões físicas, verbais e coisas do gênero. Os árbitros e oficiais de mesa do basquete são merecedores de respeito e tratamento humano adequado.

Por fim, parabenizamos a Liga Nacional de Basquete (LNB), entidade que organiza e administra o Novo Basquete Brasil (NBB) sempre buscando uma perfeita organização, pelas medidas preventivas adotadas, utilizando o regulamento disciplinar, visando punir e coibir os tristes acontecimentos ocorridos no já citado jogo.

São Paulo, 08 de janeiro de 2015

José Francisco Galvão Junior
Presidente da Associação Brasileira de Árbitros e Oficiais de Mesa do Basquetebol (ARBBRA)

Deixe seu comentário