Atletismo/São Silvestre

Africanos reclamam, mas Giovani queria ainda mais calor na SS

André Sender - São Paulo, SP - Brasil
01/01/2015 10:00:00

Em: Atletismo, Corrida Internacional de São Silvestre, Mais Esportes

Os atletas da África sofreram com o forte calor durante a disputa da 90ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre. Apesar de dominarem a prova, afirmaram que condições climáticas de São Paulo no último dia do ano atrapalharam. Já o brasileiro Giovani dos Santos queria temperaturas ainda mais altas na corrida.

A São Silvestre de 2014 teve dobradinha etíope. No masculino Dawit Admasu venceu com o tempo de 45min04s, seguido pelo queniano Stanley Koech e o tanzaniano Fabiano Naasi. No feminino, Ywer Wude Ayalew levou o bicampeonato (venceu também em 2008), com sua compatriota Netsanet Gudeta Kebede na segunda posição e a queniana Priscah Jeptoo em terceiro.

“A corrida foi boa, não tive problemas. Os desafios foram o percurso e o clima, que estava muito quente. Mas estou feliz com tudo o que aconteceu na prova”, avaliou o queniano Koech, reforçando o discurso dos outros atletas africanos que disputaram a São Silvestre.

São Silvestre foi disputada sob calor forte no último dia do ano pelas ruas de São Paulo
São Silvestre foi disputada sob calor forte no último dia do ano pelas ruas de São Paulo – Credito: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Assim como nos dois anos anteriores, a São Silvestre de 2014 foi disputada no período da manhã, com largada às 9h (de Brasília) para a elite masculina e o pelotão geral. A elite feminina iniciou a diisputa 20 minutos antes, quando o sol forte já brilhava no céu de São Paulo, causando dificuldade extra aos corredores.

Mas para o brasileiro Giovani dos Santos, que ficou na quinta colocação da prova masculina e foi o melhor atleta nacional, o calor poderia ter sido ainda mais forte. O corredor da equipe Pé de Vento acredita que com temperaturas mais altas poderia ter ido ainda melhor.

“Eles sempre reclamam do calor quando vêm correr aqui no Brasil, mas para mim não faz tanta diferença. Se estivesse mais quente ainda seria melhor porque a gente estava em um ritmo muito forte e eles sentiram um pouco isso, me aproximei deles no final” afirmou Giovani, que conseguiu seu quarto pódio na São Silvestre.

Veja os resultados da 90ª edição da São Silvestre:

Masculino
1: Dawit Admasu (Etiópia) – 45min04s
2: Stanley Koech (Quênia) – 45min05s
3: Fabiano Naasi (Tanzânia) – 45min10s
4: Mark Korir (Quênia) – 45min19s
5: Giovani dos Santos (Brasil) – 45min22s
6: Cybrian Kimurgor Kotut (Quênia) – 45min27s
7: Damião Ancelmo de Souza (Brasil) – 46min10s
8: Joseph Tiophil Panga (Tanzânia) – 46min27s
9: Tariku Bekele (Etiópia) – 46min30s
10: Ederson Vilela Pereira (Brasil) – 46min37s

Feminino
1: Ymer Wude Ayalew (Etiópia) – 50min43s
2: Netsanet Gudeta Kebede (Etiópia) – 50min46s
3: Priscah Jeptoo (Quênia) – 51min29s
4: Feyse Tadese Boru (Etiópia) – 52min31s
5: Delvine Relin Meringor (Quênia) – 52min34s
6: Nancy Jepkosgei Kipron (Quênia) – 52min50s
7: Failuna Abdi Matanga (Tanzânia) – 53min15s
8: Joziane da Silva Cardoso (Brasil) – 53min18s
9: Sueli Pereira da Silva (Brasil) – 53min36s
10: Layesh Tsige Abebaw (Etiópia) – 54min07s