Futebol/Campeonato Gaúcho

Ídolo do Inter, Clemer diz que partida contra o Grêmio “vai ser uma guerra”

São Paulo , SP
07/02/2018 14:17:26

Em: Brasil de Pelotas, Campeonato Gaúcho, Futebol, Grêmio, Internacional
Ex-goleiro do Internacional, Clemer hoje dirige o Brasil de Pelotas (Foto: Reprodução/Facebook Grêmio Esportivo Brasil)

Nesta quarta-feira, o Brasil de Pelotas vai visitar o Grêmio, às 21h45 (horário de Brasília), pela sétima rodada do Campeonato Gaúcho. O Xavante é o segundo colocado da competição, empatado em pontos com o líder Caxias, e está invicto na temporada. O Tricolor Gaúcho, por sua vez, é o lanterna, com apenas um ponto ganho. A situação delicada do campeão da Libertadores causa preocupação ao técnico Clemer, do time do interior gaúcho, um ídolo da história do Internacional.

“Mais um jogo muito difícil. Mas o grupo tem se superado. Pensei até que a gente iria vir com o time completo, mas nossa dupla de zaga está fora e o Luiz Eduardo, nosso centroavante, sentiu no jogo contra o Inter. Mas é bom para fazer o experimento de outros jogadores. Eu costumo treinar dois times, tanto o considerado titular, como os reservas. Mas a gente sabe que vai ser uma guerra, o Grêmio é o último colocado, vem com o time titular e é muito forte aqui dentro. A gente não pode se acomodar, cada jogo é uma decisão”, afirmou em entrevista à Rádio Gaúcha.

O técnico disse que está tentando tirar o máximo de cada jogador, e vê evolução no grupo a cada jogo. O ex-arqueiro acredita também que pode tirar proveito da situação do próximo adversário, e que garante que seu time não vai abrir mão de suas características.

“Temos que sentir o jogo. A gente acredita que o Grêmio vai partir pra cima, só a vitória interessa para eles. Então temos que tirar proveito disso. A gente não pode abdicar da nossa forma de jogar, vamos marcar o Grêmio muito forte. Sabemos que não podemos dar espaço, é um time muito qualificado. Mas o que eu peço muito para eles é que quando tivermos com a bola no pé, temos que jogar. Arriscar, fazer a transição rápida, buscar o gol do adversário. Isso é uma coisa que não abro mão”, completou Clemer.