Uefa lista "perigos reais" de Copa do Mundo bienal e se diz "desapontada" com a Fifa

São Paulo, SP

22-09-2021 13:56:09

A proposta de reforma do calendário do futebol mundial a partir de 2024 que vem sendo analisada pela Fifa, incluindo a Copa do Mundo passando a ser realizada a cada dois anos, segue dando polêmica. Nesta quarta-feira, a Uefa divulgou um comunicado em tom crítico à proposta, listando "perigos reais" em caso de aplicação das medidas mencionadas.

"Existem perigos reais associados a este plano: a diluição do valor do evento número um do futebol mundial, cuja ocorrência quadrienal lhe confere uma mística com a qual cresceram gerações de torcedores; a erosão das oportunidades esportivas para as seleções nacionais menos poderosas, substituindo jogos regulares por torneios finais; o risco para a sustentabilidade dos jogadores, forçados a participarem em competições de alta intensidade no verão (europeu) em todos os anos, em vez de terem intervalos de recuperação mais longos, em anos alternados; o risco para o futuro dos torneios femininos, privados de espaços temporais exclusivos e ofuscados pela proximidade dos principais eventos masculinos", comunicou a entidade que comanda o futebol europeu.

A Uefa também disse estar "desapontada" com a Fifa pelos projetos de reforma do calendário serem promovidos antes de consultas e reuniões com outras partes interessadas.

"A Uefa está desapontada com a metodologia adotada, que até agora tem levado a projetos de reforma radical serem comunicados e promovidos abertamente antes de ter sido dada, juntamente com outras partes interessadas, a oportunidade de participar em qualquer reunião de consulta", comentou.

A entidade ainda ressaltou que, junto com as federações locais europeias, solicitou uma reunião com a Fifa  para tratar do assunto, mas que ainda não receberam resposta.

"Em 14 de Setembro, a Uefa e as suas 55 federações membro solicitaram à Fifa que organizasse uma reunião especial conjunta para poderem expressar as suas preocupações sobre o impacto de tais planos. A Uefa e as suas 55 federações membro ainda não receberam uma resposta da Fifa sobre este pedido", ressaltou.

 

Deixe seu comentário