Após problemas pessoais, ex-sensação Keirrison se reergue no Londrina

Lucas Sarti e Leonardo Moric * - São Paulo,SP

03-08-2016 10:00:21

Poucos jogadores profissionais de futebol possuem uma chance de reerguer a carreira em um meio tão disputado. O atacante Keirrison, conhecido por suas passagens por Coritiba e Palmeiras, está voltando a conquistar espaço no cenário nacional após enfrentar problemas pessoais que ocasionaram uma queda de rendimento.

Em 11 de novembro de 2015, Keirrison teve que passar pelo trauma de perder seu filho, Henri Lucca, de apenas dois anos, após um quadro de infecção seguido por uma parada cardíaca e respiratória. O atacante estava afastado do elenco do Coritiba por conta de problemas contratuais, e acabou rescindindo seu vínculo em dezembro do mesmo ano.

Apesar de passar quatro meses afastado dos campos para cuidar de sua família, o jogador admitiu nunca ter pensado em largar o futebol. Em março deste ano, o atacante acertou sua ida ao Londrina, clube do interior do Paraná e que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro.

(Foto: Reprodução/Facebook)
Henri Lucca faleceu no dia 11 de novembro de 2015 (Foto: Reprodução/Facebook)

“Este pensamento não passou. Mas tinha que viver um momento só com a minha família, porque o mais importante é dentro de casa. O trabalho fica em segundo plano. Tive que abrir mão um pouco da carreira profissional e cuidar da família naquele momento. Dar uma atenção maior. E as coisas começaram a melhorar aos poucos e pude pensar em dar continuidade ao meu trabalho”, contou Keirrison em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

A escolha pelo LEC se deu não apenas pela proximidade do clube, mas também por ter no Londrina um amigo de longa data. Sérgio Malucelli é gestor do clube e foi o responsável por anunciar a contratação do atacante.

“Tinha interesse de outros clubes, sim. Mas, pelas circunstâncias familiares que eu estava vivendo, a gente tomou esta decisão, até por ser próximo de Curitiba e também por conhecer o Sérgio Malucelli, um amigo que tenho no futebol há algum tempo. Isso facilitou para que pudéssemos acertar aqui e caminhar como está caminhando tudo bem”, comentou.

Atuando pelo LEC o atacante vem fazendo uma boa Série B. Com seis gols anotados, o último na vitória sobre o Bragantino, K9, apelido recebido ainda em sua primeira passagem pelo Coxa, já é um dos principais nomes da competição. O primeiro gol marcado pelo jogador em sua volta aos gramados, no entanto, foi pela Copa do Brasil, em duelo contra o Parauapebas, vencido por 6 a 0. O jogador de 27 anos vê sua ida ao clube como uma ajuda a superar os momentos complicados do último ano.


“(Me ajudou) em tudo. Em questão de trabalho, moradia, junto com o pessoal daqui. Todos têm me ajudado neste ponto. Como sempre agradeci, vou continuar agradecendo a todos por dar este carinho, esta ajuda. Eles realmente têm mostrado isso aqui na cidade de Londrina. É bacana ver isso, algo muito raro no mundo de hoje, o respeito, o carinho, o amor ao próximo. Realmente isto tem sido muito legal”, disse o atacante.

Na sétima colocação, com 28 pontos, o Londrina briga para voltar à elite do futebol nacional. Depois de um bom início de competição, o atacante acredita que o clube tem chances de brigar pelo acesso até o fim da disputa.

“A vontade de todos é conseguir subir para a Série A. Objetivo maior de nós todos é alcançar isto. Estamos finalizando o primeiro turno com uma campanha relativamente boa. Acredito que somente no segundo turno que irá começar a decidir as equipes que irão brigar na parte de cima da tabela. Sabemos que algumas equipes, como o Vasco, se mantêm na parte de cima o tempo todo, e creio que também entraremos na briga para subir para a Série A”, afirmou.

(Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)
K9 foi uma das sensações do Palmeiras de 2009 (Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)

Outro momento marcante da carreira de Keirrison foi sua passagem pelo Palmeiras. Depois de brilhar com a camisa do Coritiba, entre 2006 e 2008, K9 acertou sua ida para o clube paulista. Em apenas seis meses o atacante atuou em 36 partidas e marcou 24 gols, ostentando o título de melhor estreante da história do Verdão com 16 gols em 14 jogos. Quando vivia um dos melhores momentos de sua carreira, Keirrison foi vendido para o Barcelona por cerca de R$ 50 milhões na cotação atual, mas não chegou a atuar em nenhuma partida oficial e colecionou empréstimos.

O jogador explica que quando chegou ao Barça a equipe não possuía nenhuma vaga para estrangeiros em aberto. Com isso, teve que ser emprestado para o Benfica, do futebol português, mas não teve espaço. Na sequência, foi ao Fiorentina, clube italiano, antes de retornar ao Brasil, quando atuou por Santos e Cruzeiro.

“Existia uma questão de precisar de uma vaga estrangeira para jogar e não tinha essa vaga. E eu não tinha passaporte para poder jogar no exterior e isso dificultou um pouco para que eu permanecesse no Barcelona naquela época. São questões burocráticas que não temos como resolver e acabei optando por ir para outro lugar. No futebol acontece essas coisas, mas me sinto feliz de ter participado de um clube grande como o Barcelona”, revelou o camisa 9.

A boa fase faz K9 pensar no futuro. Com a visibilidade de ser um dos líderes do Londrina, o jogador pode chamar a atenção de clubes da Série A do Brasileirão. Para o atacante, no entanto, o pensamento é exclusivo no clube que tão bem o acolheu.

(Foto: Divulgação/Barcelona)
O atacante não chegou a atuar com a camisa do Barcelona (Foto: Divulgação/Barcelona)

“Acho que isso irá acontecer naturalmente conforme o trabalho. Não é algo que gera uma grande motivação, até porque hoje me sinto bem aqui no Londrina. As coisas irão acontecer naturalmente conforme eu for demonstrando meu trabalho e tendo uma sequência. Acho que é natural, as coisas aparecerão no momento certo. Se for a decisão certa a tomar, acredito que irá acontecer independente do clube que for”, completou Keirrison.

* Especial para a Gazeta Esportiva

Deixe seu comentário